Digestão

Compartilhar no Facebook

Digestão é a transformação dos alimentos em substâncias assimiláveis, realizada no interior do aparelho digestivo, por meio de dois tipos de processos: mecânico e químico.

Digestão Mecânica

A digestão mecânica é realizada com a mastigação, a deglutição e com os movimentos que acontecem no tubo digestivo,chamado de movimentos peristálticos.

Mastigação e Deglutição

Na digestão, em seu processo mecânico, os alimentos são mastigados e reduzidos a pedaços bem pequenos, com o auxilio dos dentes e da língua. O contato dos alimentos com a saliva facilita sua passagem pelo tubo digestivo.

Após a mastigação e a salivação forma-se o bolo alimentar que é deglutido. Durante a deglutição o palato mole é retraído para cima e a língua empurra o alimento para trás, jogando-o dentro da faringe, que se contrai e projeta o bolo alimentar para o esôfago.

Esôfago

O esôfago, que é um conduto musculoso que realiza contrações involuntárias, denominadas de movimentos peristálticos, que conduzem o bolo alimentar até o estômago, onde é iniciado o processo químico da digestão.

Digestão Química

Na digestão química, os alimentos são decompostos em partículas menores graças a ação das enzimas presentes no suco digestivo, sofrendo alterações em sua composição química.

No estômago os movimentos peristálticos misturam o bolo alimentar ao suco gástrico, produzido pelas glândulas da mucosa. Esse suco contém o ácido clorídrico, que mantém a acidez estomacal, dando condição favorável ao trabalho das enzimas na digestão.

A pepsina, a principal enzima do estômago, atua na transformação das proteínas, intensificando a digestão química. O suco alimentar, resultado da digestão química é chamado de quimo. A passagem do quimo para o intestino é controlada através da válvula denominada piloro.

Intestino Delgado

No intestino delgado ocorre a maior parte da digestão e assimilação dos nutrientes. Distinguem-se nele duas regiões: O duodeno e o jejuno-íleo.

Duodeno

No duodeno são lançadas as secreções do fígado (bile), e do pâncreas (suco pancreático), que junto com o suco entérico ou intestinal, atuam sobre o suco alimentar (quimo).

Bile

A bile é a secreção do fígado armazenada na vesícula biliar, que é lançada no duodeno através de um canal e não contém enzimas digestivas e sim os sais biliares que separam as gorduras em partículas microscópias, que facilitam a ação das enzimas pancreáticas sobre os lipídios.

Suco Pancreático

O suco pancreático é produzido pelo pâncreas. Possui várias enzimas que atuam na digestão dos lipídios, das proteínas e dos carboidratos.

Suco Entérico

O suco entérico é produzido pela mucosa intestinal. Possui enzimas que completam a digestão dos lipídios, das proteínas e dos carboidratos.

No término do processo realizado no intestino delgado, o conjunto das substâncias forma um líquido viscoso de cor branca, denominado quilo, que segue para o jejuno-íleo.

Jejuno-íleo

No jejuno-íleo grande parte dos nutrientes, resultantes do processo da digestão, é absorvido pelo sangue e conduzido para todas as células do organismo. O que não é absorvido - a água e a massa alimentar, formada principalmente de fibras, passam para o intestino grosso.

Intestino Grosso

O intestino grosso absorve a água e os sais minerais que o intestino delgado não assimilou na digestão. O material que não foi digerido, forma as fezes que são acumuladas no reto e posteriormente empurradas por movimentos musculares ou peristálticos para fora do ânus. O reto e o ânus fazem parte do sistema excretor.

Veja também