Região Centro-Oeste

Compartilhar no Facebook

A Região Centro-Oeste do Brasil possui uma área de 1.606.399.509 km², corresponde a 18,86 % do território nacional. Apesar de ser a segunda maior região do país em extensão territorial, é a segunda menos populosa. Entre as cinco regiões é a única não banhada pelo mar. Faz fronteira com dois países sul americanos, Bolívia e Paraguai. Sua posição central é a única que permite ligação de fronteira com todas as outras regiões brasileiras. Abriga a Capital do País, Brasília, centro das decisões políticas. Possui a maior planície úmida do mundo, o Pantanal Mato-grossense.

Estados da Região Centro-Oeste

Os 3 estados da Região Centro-Oeste e suas capitais são:

  • Mato Grosso (MT) - Cuiabá
  • Mato Grosso do Sul (MS) - Campo Grande
  • Goiás (GO) - Goiânia

E o Distrito Federal (DF) - Brasília.

História

Durante os séculos XVI, XVII e XVIII, com o objetivo de descobrir ouro e pedras preciosas, os bandeirantes, partindo da vila de São Paulo, iniciaram a ocupação da região Centro Oeste, que antes era uma área praticamente esquecida pelos colonizadores.

As cidades de Cuiabá, Rosário do Oeste, Diamantino e Paconé no Mato Grosso e Goiás, Luziânia, Rio Verde e Jaraguá no estado de Goiás, surgiram com a mineração.

Fortificações militares deram origem a cidade de Corumbá no Mato Grosso do Sul e Cárceres no estado de Mato Grosso.

Em 1890, o militar Marechal Cândido Rondon, nascido em Mato Grosso, de origem indígena, comandou a construção de uma linha telegráfica entre Cuiabá e a região do Rio Araguaia, que posteriormente foi estendida até Goiás.

Em 1914, foi inaugurada a Ferrovia Novoeste, que saindo de Bauru (SP), chega até Corumbá no Mato Grosso do Sul.

Goiânia, a capital de Goiás, projetada e construída para abrigar uma população de 50 mil pessoas, só foi fundada em 1937.

Para estimular o crescimento da Região Centro Oeste, em 1940, o governo federal criou duas áreas de colonização: a Colônia Dourados, ao sul de Campo Grande e a Colônia de Goiás, ao norte de Goiânia.

A inauguração de Brasília, a capital do país, em 1960, pelo presidente Juscelino Kubitschek, atraiu para a região migrantes de todo o Brasil.

Vegetação

A Região Centro Oeste está localizada, em sua maior parte, no Domínio do Cerrado. Essa vegetação é composta de árvores tortuosas, entre as quais nascem gramíneas apropriadas para o pasto do gado.

O cerrado possui espécies típicas como o ipê, o pau serra, a lixeira e o pequi, cujo fruto é muito consumido na região.

A constante exploração das formações vegetais principalmente para fabricação de carvão vegetal, usado nas indústrias da região e parte do sudeste, destruiu grande parte do cerrado.

A Região Centro Oeste ainda mantém preservada grande área de Floresta Amazônica, no norte de Mato Grosso.

O Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, criado em 1981, tem 95% de seus 1.350 km² em áreas alagáveis. Localizado no chamado Complexo do Pantanal, o parque abriga paisagens de campos e florestas.

Outros parques da região: Chapada dos Guimarães em Mato Grosso, Chapada dos Veadeiros e Emas em Goiás e Serra da Bodoquena em Mato Grosso do Sul.

Clima

Na Região Centro Oeste predomina o clima tropical semi-úmido, com a presença de duas estações bem definidas: um verão úmido, com chuvas entre os meses de março a outubro, e um clima seco durante o inverno, entre os meses de abril a setembro, com temperaturas que variam em torno de 25 e 19 graus.

Em Brasília e cidades vizinhas, o clima seco faz a umidade do ar cair para 12% nos meses de agosto.

Nas regiões mais elevadas do Planalto Central predomina o clima tropical de altitude, onde nos meses mais frios pode ocorrer a precipitação de geada.

Relevo

A Região Centro Oeste é ocupada em grande extensão pelo Planalto Central, chegando a atingir altitudes superiores a 1000 metros. Compreende todo o estado de Goiás e o Distrito Federal, recebendo o nome local de Planalto Goiano, seguindo para o oeste até a planície do Araguaia e ao sul até o Planalto Sedimentar da Bacia do Rio Paraná.

O Planalto Meridional se estende nos estados de Mato Grosso do Sul e Goiás, apresentando um solo fértil formado pela terra roxa.

A Planície do Pantanal caracteriza-se por apresentar, em algumas épocas do ano, regiões alagadas devido as cheias do rio Paraguai e seus afluentes.

Rios

A Região Centro Oeste é banhada por vários rios, que fazem parte da Bacia Amazônica, da Bacia do Paraná e da Bacia do Rio Paraguai.

Os rios Jurema, Arinos e o Xingu, banham o norte do Estado de Mato Grosso vindos da Bacia Amazônica.

Os rios que formam a Bacia Hidrográfica do Paraná são o rios Paraná e o Parnaíba. São rios de planalto que se apresentam com grandes quedas d'água. Para tornar o rio navegável, foram construídas eclusas junto das barragens das hidrelétricas de Barra Bonita, Jupiá, Três Irmãos e outras.

As regiões de planície do Pantanal são drenadas pelo rio Paraguai, que tem a maior bacia Hidrográfica da Região Centro Oeste.

O rio Paraguai, junto com os afluentes, o Miranda, Taquari, Cuiabá e Aquidauana, que ocupam a região do pantanal, nos períodos chuvosos transbordam e ocupam vários quilômetros de suas margens.

Economia

Com a construção de grandes rodovias ligando o Centro Oeste às demais regiões do país e com a navegabilidade dos rios, a região passou a fornecer produtos para abastecer as indústrias principalmente do sudeste do país e também para exportação.

A Ferronorte, com projeto que pretende interligar Cuiabá à Rede Ferroviária do Estado de São Paulo e a Hidrovia Tietê-Paraná, permitirá o escoamento da produção da região. Uma outra etapa dessa ferrovia, está prevista estendê-la até Santarém, no Pará e Porto Velho, em Rondônia.

Na Região Centro Oeste a agricultura comercial é praticada em larga escala, onde destacam-se o milho, arroz, feijão, café, algodão, o trigo e a soja, que é um dos principais produtos da região.

Na pecuária destaca-se a criação de gado, de corte e de leite, a criação de equinos e suínos.

No Distrito Agroindustrial de Anápolis, em Goiás, o maior do estado, por oferecer total infra estrutura, atraiu vários investimentos para a região. Estão instaladas indústrias farmacêuticas de pequeno e grande porte, indústria de fertilizantes, madeireiras, indústria automobilística e de maquinário agrícola, entre outras.

No Maciço do Urucum, nas proximidades de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, destaca-se a atividade mineradora de ferro e do minério de manganês, uma das maiores do mundo.

Veja também