Afonso Pena


Affonso Augusto Moreira Penna (Afonso Pena) foi o quinto presidente do período republicano no Brasil. Governou entre 15 de novembro de 1906 e 15 de novembro de 1910. O advogado mineiro assumiu o governo quando tinha 59 anos, eleito de forma direta e recebendo 288,2 mil votos.

Governo Afonso Pena

O governo de Afonso Penna foi marcado pela oposição à política que valorizava o café e que fora estabelecida no Convênio de Taubaté. O presidente determinou a intervenção para defender o produto e conseguiu reduzir a pressão dos produtores do País descontentes com a gestão do produto em São Paulo.

Afonso PenaAffonso Pena promoveu as primeiras intervenções na economia

Entre os produtores descontente com o Convênio de Taubaté estavam mineiro e baianos. Como forma de garantir o mercado, Afonso Pena determinou ao Banco do Brasil que comprasse as safras de café.

Com a política de valorização do preço do produto, as dívidas foram pagas e demonstraram a eficiência, nessa ocasião, da interferência do governo na economia.

Ainda no governo de Afonso Pena, o País assistiu ao reaparelhamento de ferrovias e portos. O presidente reorganizou o Exército e ofereceu as condições para a ligação do Rio de Janeiro à Amazônia por meio do telégrafo.

Biografia

Afonso Pena nasceu em Santa Bárbara, Minas Gerais, em 30 de novembro de 1847 e morreu no Rio de Janeiro, em 14 de julho de 1909.

Advogado formado pela Faculdade de Direito de São Paulo, foi deputado pelo Partido Liberal, ministro da Guerra, da Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Também ocupou o cargo de ministro da Justiça e, em 1888, foi um dos integrantes da comissão que reorganizou o Código Civil brasileiro.

Governou Minas Gerais e também fundou a faculdade de Direito de Minas Gerais. Foi senador por Minas e presidente do Banco do Brasil entre 1895 e 1898, quando a instituição ainda era denominada Banco da República.