Café Filho


João Fernandes Campos Café Filho foi presidente do Brasil durante o 15º período republicano do País. Governou no período de 31 de janeiro de 1951 a 31 de janeiro de 1956. Tinha 56 anos quando assumiu o governo após a morte de Getúlio Vargas.

Governo Café Filho

Café filho assumiu um governo conturbado. Adotou uma política econômica voltada para a estabilidade da inflação, medidas de contenção ao crédito e corte de despesas públicas. O objetivo era reduzir o déficit público e, assim, reduzir a inflação.

Entre as marcas do governo de Café Filho está a criação do imposto único sobre a energia elétrica. O imposto supria o Fundo Federal de Eletrificação.

Durante este governo foi criada a Comissão de Localização a Nova Capital Federal, que era, até então, o Rio de Janeiro. Também na gestão de Café Filho foi inaugurada a usina de Paulo Afonso, em 1955 e foram lançadas as bases para a entrada de capital estrangeiro no Brasil. Esse ponto repercutiria na industrialização promovida pelos demais governos.

Um distúrbio cardiovascular afastou Café Filho da Presidência da República em novembro de 1955 e, em seu lugar assumiu Carlos Luz, que era o presidente da Câmara. Embora tenha tentado retornar, o Congresso Nacional e o STF (Supremo Tribunal Federal) mantiveram o afastamento.

Café FilhoCafé Filho assumiu após a morte de Getúlio Vargas

Biografia

Café Filho nasceu em Natal, capital do Rio Grande do Norte, em 3 de fevereiro de 1899. Fundou em 1921, o Jornal do Norte. Também foi diretor do Correio de Bezerros e do Jornal da Noite. Por conta de sua atuação no jornal, ficou três meses preso após pedir que soldados, cabos, sargentos e jovens oficiais não combatessem a "Coluna Prestes".

Passou um período como fugitivo na Bahia, onde usava o pseudônimo de Senílson Pessoa Cavalcanti, mas retornou a Natal de se entregou.

Participou da fundação do Partido Social Nacionalista do Rio Grande do Norte e no período de 1935 a 1937 foi deputado federal. Após sair da Presidência da República, foi nomeado ministro do Tribunal de Contas do Estado da Guanabara (hoje Rio de Janeiro).

Leia ainda:

Getúlio Vargas;
Era Vargas.