Dislexia

Lana Magalhães

A dislexia é um transtorno de aprendizagem, caracterizada pela dificuldade de leitura, escrita e soletração. Possui caráter genético e não tem nenhuma relação com déficit de inteligência.

Além de dificultar o mecanismo da leitura e da expressão escrita, os disléxicos também podem apresentar problemas nas áreas da matemática.

Dislexia

Pessoas com dislexia têm dificuldades em identificar palavras e símbolos.

Acredita-se que entre 4% a 7% da população mundial sofra com dislexia. No Brasil, 5% da população é afetada.

A escola é o principal ambiente onde a dislexia é notada, pois é o local da prática da leitura e escrita. Entretanto, algumas vezes ela não é percebida ou é confundida com falta de atenção, desinteresse e preguiça.

O aluno disléxico pode ainda ser alvo de brincadeiras de colegas e apresentar dificuldades de socialização e baixa autoestima. Por isso, a dislexia na escola deve ser tratada buscando a melhoria da aprendizagem e a relação saudável entre todos os alunos.

Causas

Esse transtorno geralmente tem causa genética, por alterações nos cromossomos, sendo assim um fator hereditário.

A dislexia também pode ser causada por distúrbios neurológicos que afetam o processamento fonológico, devido alterações em regiões específicas do cérebro.

Alguns cientistas acreditam que pode estar relacionado à produção excessiva de testosterona pela mãe durante a gravidez.

Por esse motivo, a dislexia afetaria em maior número os homens, uma vez que esse hormônio provocaria o aborto de embriões do sexo feminino.

Entretanto, as pessoas que apresentam esse distúrbio possuem o lado direito do cérebro mais desenvolvido. Assim, os disléxicos costumam ter facilidade nas questões relacionadas à criatividade, às artes, solução de problemas, mecânica e esportes.

Sintomas

O primeiro sinal é a dificuldade de aquisição da fala e compreensão fonética das palavras, ou seja, associar à palavra escrita ao som.

Crianças com dislexia levam mais tempo para aprender a ler. Além disso, quando aprendem a ler, a leitura em voz alta é pouco fluente, a ponto da própria pessoa não conseguir interpretar o que acabou de ler.

Também é comum a escrita espelhada, ou seja, escrever palavras de trás para frente.

Os sintomas, no entanto, variam de acordo com o nível de transtorno que a pessoa apresenta.

As dificuldades que as pessoas disléxicas apresentam são:

  • Ler, escrever e soletrar;
  • Interpretar textos;
  • Associar fonemas às letras;
  • Reconhecer rimas e aliterações;
  • Decorar a tabuada;
  • Reconhecer símbolos e conceitos matemáticos (discalculia);
  • Regras ortográficas: inversão, troca, omissão ou acréscimo de letras e sílabas (disgrafia);
  • Organização temporal e espacial;
  • Coordenação motora.

Leia também:

Tratamento

A dislexia pode ser identificada na criança a partir dos cinco anos de idade, principalmente se houver casos na família. Nessa idade, o tratamento já pode ser iniciado.

Até hoje, a dislexia não tem cura.

O tratamento é baseado no auxílio ao paciente disléxico. O importante é superar as consequências causadas pelo distúrbio, evitando o sofrimento relacionado com a baixa autoestima e dificuldade de socialização.

A família, a escola e profissionais de diversas áreas devem trabalhar em conjunto. Ou seja, psicopedagogos, fonoaudiólogos, psicólogos, neurologistas e terapeutas ocupacionais são responsáveis em ajudar o disléxico na superação de suas dificuldades.

Filme

O filme indiano do diretor Aamir Khan “Stars on Earth” (2007), em português "Como estrelas na Terra”, apresenta a história de um garoto disléxico e os problemas que enfrenta.

O garoto está prestes a repetir pela segunda vez o 3° ano. O filme explora a relação dos pais com o desempenho escolar do filho e a importância de um professor no processo de superação das dificuldades.

É uma ótima indicação de filme para quem pretende entender mais sobre a dislexia.

Curiosidades

  • O vocábulo dislexia é proveniente do grego e formado pelas palavras – dis de “distúrbio” ou “difícil” e o termo lexis que significa “palavra”.
  • Uma prova de que a dislexia não tem nenhuma relação com a inteligência, é que várias personalidades notáveis no mundo eram ou são disléxicas. Alguns disléxicos mais famosos são: Pablo Picasso, Leonardo da Vinci, Albert Einstein, George Washington, Napoleão Bonaparte, Whoopi Golberg, Robin Willians e Tom Cruise.
Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.