Leucemia

Lana Magalhães

A leucemia é uma doença maligna que atinge os glóbulos brancos ou leucócitos. Eles são responsáveis por parte da defesa do organismo.

Na leucemia, os glóbulos brancos perdem a sua função de defesa e passam a se multiplicar descontroladamente. As células defeituosas passam a substituir as células normais.

LeucemiaA leucemia se caracteriza pela proliferação de glóbulos brancos defeituosos

Em geral, a origem da leucemia é desconhecida. Além disso, é também considerada um tipo de câncer do sangue.

Sintomas da Leucemia

Os principais sintomas da leucemia resultam do acúmulo de células defeituosas na medula óssea. Elas se acumulam e prejudicam ou impedem a produção de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.

Os primeiros sinais da falta de produção das células sanguíneas são:

  • A deficiência na produção de glóbulos vermelhos causa anemia, fadiga e palpitação.
  • A redução na produção de glóbulos brancos torna o organismo mais susceptível aos quadros de infecções.
  • A queda da produção de plaquetas ocasiona sangramento gengival e nasal, além de manchas roxas ou pontos vermelhos na pele.

Outros sintomas associados à leucemia incluem:

  • Gânglios linfáticos inchados e indolores na região do pescoço e das axilas.
  • Febres ou suores noturnos.
  • Perda de peso sem motivo.
  • Inchaço do baço ou do fígado.
  • Dores nos ossos e articulações.

Há o surgimento de dores de cabeça, náuseas, vômitos, visão dupla e desorientação, quando a doença atinge o Sistema Nervoso Central.

Os casos crônicos podem evoluir mais lentamente e não apresentar sintomas.

Saiba mais sobre o assunto, leia também:

Tipos

A leucemia pode ser classificada através da sua evolução e com base nos tipos de glóbulos brancos atingidos.

Quanto à forma de evolução, a leucemia pode ser crônica e aguda:

  • Leucemia crônica: Quando as células doentes maduras ainda conseguem fazer o trabalho dos glóbulos brancos normais. Nesse tipo, a evolução da doença é mais lenta.
  • Leucemia aguda: Quando as células malignas imaturas não desenvolvem nenhuma atividade e sua quantidade aumenta rapidamente. É considerada o tipo mais agressivo.

Quanto aos tipos de células atingidas, a leucemia pode ser agrupada em linfoides e mieloides:

  • Leucemia Linfoide: São chamadas de linfoide, linfocítica ou linfoblástica, as leucemias que atingem as células linfoides. Esse tipo é mais comum em crianças.
  • Leucemia Mieloide: As leucemias que afetam as células mieloides são denominadas mieloide ou mieloblástica. Os adultos são também os principais afetados pela leucemia mieloide aguda.

Leia sobre os Linfócitos.

Diagnóstico

O diagnóstico da leucemia é realizado por meio da análise de exames laboratoriais.

O primeiro exame a ser realizado é o hemograma, que consiste na análise do sangue. Se houver alteração no hemograma, o paciente é indicado para um mielograma, que é o exame específico da medula óssea.

O diagnóstico mais preciso é a biópsia da medula óssea.

Tratamento

O tratamento da leucemia consiste na destruição das células defeituosas para que a medula óssea volte à produção celular normal.

Para tanto, é aplicada a chamada poliquimioterapia. O paciente precisa passar pelo controle das complicações infecciosas e hemorrágicas e prevenção ou combate de doenças no Sistema Nervoso Central.

Transplante de Medula Óssea

Quando as terapias não são eficientes, o paciente é recomendado para um transplante de medula óssea. Este tipo de procedimento só pode ser realizado entre pessoas vivas.

A família do paciente é a primeira opção para a busca de uma medula compatível. Quando não há esta opção, um doador é procurado em bancos de medula óssea no país.

Saiba mais sobre Câncer.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.