Luís Carlos Prestes


Luís Carlos Prestes foi um militar político brasileiro comunista que liderou dois movimentos: a marcha denominada “Coluna Prestes” (1924-1927) e a “Intentona Comunista” (1935).

Fundador do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e Presidente de Honra da Aliança Libertadora Nacional (ALN), foi considerado um dos maiores líderes revolucionários da América Latina, e ficou conhecido como o “Cavaleiro da Esperança”, posto que durante a Coluna Prestes lutou pela democracia e justiça social.

Biografia

Luís Carlos Prestes nasceu em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, dia 3 de janeiro de 1898. Filho de Antonio Pereira Prestes, oficial do exército e Leocádia Pereira Prestes. Ficou órfão de pai muito cedo, estudou no Colégio Militar, e, mais tarde, cursou Engenharia na Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, formando-se em 1909.

Após a dissolução do movimento da Marcha Prestes, em 1927, o político permaneceu exilado na Bolívia (onde começa a estudar o marxismo) e na Argentina. Em 1931, partiu para União Soviética, onde trabalhou como engenheiro e aprofundou seus estudos no marxismo-leninismo.

Na União Soviética conheceu sua futura esposa, a militante judia alemã da Internacional Comunista (IC), Olga Benário, com quem teve uma filha, nascida na prisão, posto que Olga foi deportada (grávida de 2 meses), em 1936, a mando de Getúlio, para Alemanha Nazista e, mais tarde, morta na câmara de gás, em 1942, no campo de concentração de Bernburg. A filha do casal, Anita Leocádia Prestes, foi mais tarde resgatada por sua avó paterna, Dona Leocádia Prestes.

De volta ao Brasil, em 1935, participou da fundação da Aliança Libertadora Nacional (ALN), organização de cunho antifascista e anti-imperialista, contra o governo de Getúlio Vargas, donde foi aclamado e eleito Presidente de Honra. Nesse ínterim, durante a tentativa de golpe contra o governo Vargas, que ficou conhecido como a “Intentona Comunista” (“Levante Comunista de 1935” ou “Revolta Vermelha de 35”), Luís Carlos Prestes foi preso, donde permaneceu até 1945.

Com o fim do Estado Novo (1937 a 1945) e da Era Vargas, quando saiu da prisão, ocupou o cargo de Senador pelo Distrito Federal, no período de 1946 a 1948.

Em 1950, conheceu sua segunda esposa, Maria Prestes, com quem teve 7 filhos. Outros eventos o fizeram viver na clandestinidade, tal qual a Guerra Fria (eclodida em 1945), o golpe de 1964, com a implantação do regime militar no país. Permaneceu exilado na União Soviética até 1979, quando recebe anistia e regressa ao Brasil. Falece no Rio de Janeiro, dia 7 de março de 1990, com 92 anos.

Para saber mais: Comunismo, Marxismo, Estado Novo, Era Vargas e Guerra Fria

Coluna Prestes

A Coluna Prestes ou Coluna Miguel Costa-Prestes, representou uma grande marcha (cerca de 25 mil km) realizada no interior do Brasil, durante 1924-1927, percorrida pelos tenentistas (dos quais destaca-se como líder movimento sulista Luís Carlos Prestes).

Essa marcha ocorreu durante o período conhecido como a República Velha, com o intuito de derrubar o presidente (na época o mineiro Artur Bernardes) e por fim as oligarquias cafeeiras que tomavam a cena política e econômica do país.

Para saber mais: Coluna Prestes, República Velha e Tenentismo

Frases

  • Triste não é fracassar, pior é não tentar vencer.”
  • Sou um comunista revolucionário, por favor.”
  • Não há condições para o golpe reacionário. Se os golpistas tentarem, terão as cabeças cortadas.”
  • Embora o marxismo não me dê o dom da profecia, é fácil prever que as medidas não darão certo.”
  • Está no latifúndio e na má distribuição da propriedade territorial, a principal causa da miséria e da ignorância de nosso povo.”

Curiosidade

  • Em 2012, num concurso realizado pelo SBT e pela BBC, Luís Carlos Prestes foi eleito um dos 100 maiores brasileiros de todos os tempos.