Pielonefrite


Pielonefrite é uma infecção dos rins provocada por bactérias, que geralmente migram dos genitais para a bexiga e desta para os rins.

A Escherichia coli, uma bactéria naturalmente presente no intestino grosso, é a maior responsável pelas pielonefrites.

Pielonefrite Aguda e Crônica

  • Pielonefrite Aguda: Infecção da pelve ou parênquima renal, acompanhada de sintomas locais e sistêmicos;
  • Pielonefrite Crônica: Inflamação bacteriana crônica, ativa ou inativa, da pelve e do parênquima renal, que pode produzir uma lesão irreversível no rim, levando a insuficiência renal crônica.

A pielonefrite crônica surge principalmente em indivíduos por consequência de outras alterações como: obstrução das vias urinárias, grandes cálculos renais ou refluxo da urina da bexiga para os ureteres.

Sintomas

  • Calafrios;
  • Febre;
  • Dor na região lombar (parte inferior das costas) em um ou ambos os lados;
  • Náuseas;
  • Vômito;
  • Micção frequente e dolorosa (cerca de 1/3 dos casos);
  • Dor intensa provocada pelos espasmos de um dos ureteres (cólica renal).

Pielonefrite Crônica

Na pielonefrite crônica, a dor pode não ser tão intensa e a febre pode surgir e desaparecer ou ainda não existir.

Tratamento da Pielonefrite

O tratamento da pielonefrite deve ser iniciado imediatamente após o diagnóstico. É feita a administração de antibióticos, que deve ser mantida durante pelo menos 2 semanas, para prevenir a recidiva da infecção.

Após 4 ou 6 semanas do tratamento ter sido concluído, uma nova amostra de urina é colhida para garantir que a infecção foi erradicada.

Cirurgia para Pielonefrite

A intervenção cirúrgica​ pode ser necessária quando há alguma alteração estrutural ou um cálculo.

Fatores de Risco

O risco de infecção aumenta quando existe alguma obstrução física ao fluxo da urina, como um cálculo renal. Isso pode provocar um refluxo da urina da bexiga para os ureteres, aumentando as chances da pessoa desenvolver pielonefrite.

Se as vias urinárias estiverem funcionando normalmente, o próprio fluxo de urina arrasta os micro-organismos, evitando a infecção. Além disso, o fechamento dos ureteres na sua junção com a bexiga também impede o refluxo da urina.​

Outras condições que aumentam os riscos de pielonefrite:

  • Infecções em outros locais do corpo que podem ser transportadas para os rins através da circulação sanguínea, como uma infecção na pele por estafilococo;
  • Gravidez;
  • Diabetes;
  • Processos que reduzem a capacidade do organismo combater a infecção.

Leia também:

Diagnóstico da Pielonefrite

O diagnóstico da pielonefrite é feito através de dois exames complementares: Exame microscópico de uma amostra de urina e Cultura de bactérias para determinar quais estão presentes.

A ultrassonografia ou a radiografia podem indicar a existência de cálculos renais, alterações estruturais ou outras causas de obstrução urinária.