Richard Nixon

Juliana Bezerra

Richard Nixon foi o 37º presidente americano entre 1969-1974.

Seu governo foi marcado pelo fim da Guerra do Vietnã, reaproximação diplomática com a China e o escândalo de Watergate, que forçou sua renúncia à presidência.

Biografia

Richard Nixon

Richard Nixon durante uma roda de imprensa.

Richard Milhous Nixon nasceu em 9 de janeiro de 1913, no estado da Califórnia. Formou-se em Direito e trabalhou para o governo federal durante dois anos. Após a Segunda Guerra, entrou para política através do Partido Republicano e foi eleito deputado e, posteriormente, senador.

Durante seus estudos universitários, integrou um grupo de teatro amador e ali conheceu sua futura esposa, Par Ryan. Casaram-se em 1940 e com ela teria duas filhas.

Nixon ganhou projeção nacional quando foi o responsável pela investigação de Alger Hiss, funcionário americano acusado de ser espião da União Soviética. Em plena Guerra Fria, Nixon se mostrou inflexível e ferrenho anticomunista. Embora alegando inocência, Hiss foi condenado a cinco anos de prisão.

Em 1952 foi escolhido para ser vice-presidente na chapa que daria a vitória a Eisenhower.

Ao término do mandato deste, conseguiu impor sua indicação como candidato presidencial do Partido Republicano. Seu oponente seria o democrata John Kennedy e ambos protagonizaram o primeiro debate televisionado da história eleitoral americana.

Derrotado por Kennedy, Nixon voltaria a disputar as eleições em 1968 quando seria vencedor. Apesar do caso Watergate ter estalado no final do seu mandado, ainda seria reeleito para mais um quatriênio.

Diante da vontade da Suprema Corte americana em abrir o processo de impeachment, Nixon renunciou ao cargo em 8 de agosto de 1974.

Retirou-se da vida pública e faleceu 22 de abril de 1994.

Contexto Histórico

Nos anos 60, o mundo passava por transformações sociais e políticas. A Guerra Fria alcançara seu auge com a Crise dos Mísseis de Cuba e com a construção do Muro de Berlim. Contra este ambiente de violência e tensão, movimentos contestatórios como os hippes, os beatnik, o rock, crescem e se espalham em todo mundo.

Igualmente, os Estados Unidos sustentavam um interminável conflito no Vietnã, onde os cidadãos americanos questionavam a validade de uma guerra tão custosa.

Leia mais sobre a Guerra do Vietnã.

Governo

Richard Nixon e Mao Tse-Tung

Mao Tse-Tung e Richard Nixon encontram-se durante a visita do presidente americano em Pequim, 1972.

O governo de Richard Nixon foi marcado no plano interno por uma série de mudanças. Nixon criou as primeiras agências que protegiam o meio-ambiente, deu o direito de voto a cidadãos de 18 anos e pode ver Louis Armstrong caminhando na Lua.

Apesar disso, os protestos contra a guerra no Vietnã continuavam e a principal bandeira de campanha de Nixon havia sido terminar com a Guerra do Vietnã.

Assim, busca aproximar-se da China, a fim de conseguir uma aliança que não comprometesse o jogo de equilíbrio entre comunistas e capitalistas na Ásia.

Realiza, então, uma histórica viagem a Pequim em 1972, onde consegue o apoio do governo de Mao Tse-Tung para abertura de relações sino-americanas.

O fim da guerra foi anunciado em 1973, mas o cessar-fogo definitivo só viria dois anos depois. Apesar de toda mensagem cinematográfica de Hollywood, o fato é que os americanos perderam a guerra e não conseguiram evitar que o Vietnã se tornasse uma nação socialista.

O governo Nixon também interviria direta ou indiretamente em vários golpes de estado na América Latina. O caso mais notório foi a deposição de Salvador Allende, no Chile.

Caso Watergate

O Caso Watergate foi um episódio político de corrupção ocorrido na década de 70 e culminou com a renúncia do presidente Nixon.

Em 18 de junho de 1972, o comitê eleitoral do Partido Democrático, localizado no complexo residencial Watergate, foi invadido por cinco homens. Os repórteres do jornal Washington Post, Bob Woodward e Carl Bernstein, resolvem investigar a fundo o que estava sendo tratado pela imprensa americana como um simples assalto.

Seguindo as instruções de um informante anônimo – que seria apelidado de Garganta Profunda – os dois jornalistas acabam destapando aquilo que seria o maior escândalo de corrupção americana. Um dos invasores era um agente do FBI. Igualmente, descobriram que este organismo e a CIA teriam ajudado a planejar a incursão.

O pior estaria por vir quando se divulgou que estas pessoas estavam ligadas a Nixon. Inclusive, o próprio mandatário estaria consciente de que se havia produzido a invasão no escritório do partido rival. Uma investigação foi aberta pelo Senado americano e, mais tarde, Nixon se recusou a entregar provas à Suprema Corte americana.

Diante disso, Nixon foi citado a depor. Como isto equivaleria a uma confissão de culpa e a abertura de um processo de impeachment, o presidente americano preferiu renunciar. Em seguida, assume o vice-presidente Gerald Ford que concede anistia a Nixon isentando de qualquer responsabilidade legal sobre o caso Watergate.

A identidade de Garganta Profunda só seria revelada, em 2005, três anos antes de sua morte. Tratava-se de William Mark Felt, vice-presidente do FBI. Quanto aos dois jornalistas ambos ganhariam o Prêmio Pulitzer em 1973.

Saiba mais em O Caso Watergate.

Filmes

O mandato presidencial de Nixon e o caso Watergate produziram uma série de filmes de ficção que ajudam a compreender o período:

  • Todos os homens do Presidente, de Alan Pakula. 1976.
  • A honra secreta, de Robert Altman. 1984.
  • Nixon, de Oliver Stone. 1995.
  • Frost/Nixon, de Ron Howard. 2008.

Leia mais:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.