Rubéola

Lana Magalhães

A rubéola (ou sarampo alemão) é uma doença infectocontagiosa causada pelo Togavírus. Geralmente, ela atinge as crianças entre os 5 e 10 anos.

Sua principal característica é o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, e que, com o tempo, vão se espalhando pelo corpo.

RubéolaFoto de criança com rubéola

Por apresentar sintomas semelhantes aos de outras doenças virais (sarampo, catapora, etc.), o diagnóstico é feito através de um exame sorológico que detecta a presença do vírus.

Interessante notar que a doença foi controlada pelas diversas campanhas de vacinação que ocorreram no mundo desde 1970. Atualmente, os números baixaram drasticamente.

Transmissão

A rubéola é uma doença contagiosa e, por isso, é transmitida facilmente pelo contato entre pessoas.

Isso ocorre pelas secreções dos infectados com o vírus, por exemplo, espirro, respiração, saliva, etc.

Assim, as pessoas com rubéola devem evitar o contato com outras.

Rubéola na Gravidez

A gestante que contrai a rubéola durante o primeiro trimestre de gravidez pode transmitir ao feto, uma vez que o vírus atinge a placenta.

Isso pode causar diversas complicações para o bebê como problemas de visão, audição, crescimento, cognitivo e ainda de má formação.

Quando transmitida da mãe para o feto ela é chamada de rubéola congênita ou síndrome da rubéola congênita (SRC). Esse é o tipo mais grave da doença.

No pior dos casos, a mãe pode sofrer um aborto espontâneo ou ter um parto prematuro. Por isso, as mulheres que pensam em engravidar e ainda não foram vacinadas devem tomar a vacina contra a rubéola.

Sintomas

O período de incubação do vírus pode durar até três semanas. Os principais sintomas da rubéola são:

  • Febre baixa
  • Dor de cabeça e garganta
  • Dores no corpo
  • Manchas rosadas pelo corpo
  • Olhos avermelhados
  • Surgimento de gânglios (ínguas)
  • Congestão nasal
  • Mal-estar

Tratamento

Uma vez ser uma doença viral, o nosso corpo cria anticorpos que combatem o vírus. Note que uma vez infectada pelo vírus da rubéola, a pessoa torna-se imune durante o resto da vida.

Assim, quando somos atingidos pelo vírus, nosso corpo cria os anticorpos chamados de IgG, os quais impedem o surgimento de novos episódios.

O tratamento para a rubéola é feito para diminuir os sintomas, sendo que os mais destacados são:

  • Repouso
  • Uso de analgésicos e antitérmicos
  • Alimentação rica em vitaminas
  • Ingestão de líquidos

Prevenção

A única forma de se prevenir contra o vírus da rubéola é tomando a vacina durante a infância.

A tríplice viral combate não somente a rubéola, mas outras doenças comuns nas crianças como sarampo e caxumba. Outra vacina é a dupla viral que protege contra o sarampo e a rubéola.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.