Vacinação infantil

Lana Magalhães

A vacinação representa a forma mais eficiente de evitar doenças, ou seja, de torna-se imune contra os agentes infecciosos que causam enfermidades.

Durante toda a infância, do nascimento até os 10 anos, devem ser administradas diversas vacinas, algumas das quais necessitam de doses adicionais ou reforços.

Além disso, alguns tipos de vacinas podem provocar reações naturais no organismo, como febre e dores.

As principais vacinas que as crianças devem tomar são:

Vacinação infantil
A vacinação garante a imunidade do organismo contra diversas doenças

Ao nascer

Logo ao nascimento, o recém-nascido deve tomar a BCG em dose única, vacina que protege contra a tuberculose. Ela é aplicada no braço direito, deixando uma cicatriz para toda a vida.

Outra vacina presente nesse período é contra a hepatite B, administrada ainda na maternidade, nas primeiras 12 horas de vida. Ainda devem ser aplicadas outras três doses desta vacina, aos 2, 4 e 6 meses de vida.

2 meses

Aos dois meses de vida deve ser aplicada a primeira dose da vacina pentavalente (DTP+Hib+Hep. B), a qual protege contra cinco doenças: difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e as provocadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b (meningite, pneumonia e sinusite).

A vacina pentavalente é a combinação da vacina tetravalente com a vacina da hepatite B, de forma a imunizar contra cinco doenças e diminuir o número de aplicações.

É aplicada também a primeira dose da VIP (Vacina Poliomielite Inativada) ou VOP (Vacina Oral Poliomielite) contra a poliomielite. As três primeiras doses podem ser feitas com a VIP, aos 2, 4 e 6 meses. Nos reforços podem ser aplicadas a VOP, aos 15 meses e 4 anos, e consistem nas famosas "gotinhas".

Existe ainda a VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano) contra diarreia por rotavírus, e a pneumocócica 10-valente (conjugada) que protege contra bactérias pneumococos.

3 meses

Aos três meses, é aplicada a primeira dose da vacina meningocócica C, que protege contra a meningite C.

4 meses

Quando o bebê completa quatro meses é o momento da segunda dose da vacina pentavalente, VIP/VOP, pneumocócica 10-valente (conjugada) e VORH.

5 meses

Aos cinco meses é feita a segunda dose da meningocócica C.

6 meses

O bebê com seis meses deve receber a terceira dose da vacina pentavalente, pneumocócica 10-valente (conjugada) e a VOP/VIP.

9 meses

Aos nove meses é administrada a primeira dose da vacina contra a febre amarela. Em alguns casos, pode ser aplicada a dose única da vacina.

12 meses

Quando a criança completa um ano de vida deve receber a dose única da tríplice viral, que protege contra três doenças: sarampo, rubéola e caxumba.

Ainda é realizado o reforço da vacina pneumocócica 10-valente (conjugada).

15 meses

Aos 15 meses, é realizado o primeiro reforço da VOP e da DTP (tríplice bacteriana), contra difteria, tétano e coqueluche. Nesse caso, não é necessário aplicar novamente a pentavalente, usa-se apenas a DTP.

4 a 6 anos

Entre os quatro a seis anos, a criança recebe o segundo reforço das vacinas VOP e DPT.

10 anos

Aos 10 anos, acontece o reforço da vacina contra a febre amarela.

Importância

A importância da vacinação é inquestionável, ela é a forma mais eficaz de se prevenir doenças e diminuir a mortalidade infantil. Além disso, é uma ação que deve acompanhar o indivíduo até a fase idosa.

É devido a aplicação de vacinas que algumas doenças foram erradicadas no Brasil, como o sarampo e a poliomielite.

No Brasil, existe o Programa Nacional de Imunizações (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, responsável pelo controle das campanhas de vacinação oferecidas a população.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.