Guerra dos Emboabas


A “Guerra dos Emboabas” foi uma disputa armada ocorrida entre os anos de 1707 a 1709, pelo direito de exploração das minas de ouro, recém descobertas pelos bandeirantes paulistas na região de Minas Gerais.

Com efeito, sob a liderança de Manuel de Borba Gato, guarda-mor das minas e líder dos paulistas, os desbravadores reclamavam o direito exclusivo de exploração das jazidas de ouro na região das minas.

Contudo, os "emboabas" (nome pejorativo dado aos forasteiros que usavam botas), liderados pelo rico comerciante Manuel Nunes Viana e composto principalmente por portugueses e migrantes de outros territórios da colônia, desafiaram a autoridade dos bandeirantes, que foram derrotados e expulsos.

Para saber mais: Brasil Colônia

Principais Causas e Consequências

Em primeiro lugar, devemos ressaltar que a descoberta de ouro na região de Minas Gerais no século XVII atraiu dezenas de milhares de pessoas aos centros de mineração. Por conseguinte, a maior parte destes mineradores era da região nordeste, onde a superioridade portuguesa era maior. Contudo, aquela região era parte da Capitania de São Vicente, dominada pelos bandeirantes paulistas, os quais não desejavam dividir o ouro.

Não obstante, o grande número de pessoas levou a uma crise de abastecimento, a qual também foi percebida como uma oportunidade de lucro pelos comerciantes, que desejavam o monopólio do comércio de gêneros para o abastecimento dos arraiais, com destaque para o fornecimento de animais para o abate e o consumo. Portanto, o monopólio na exploração das minas de ouro, bem como na comercialização de gêneros de primeira ordem, foram as principais causas do conflito.

Por outro lado, a Guerra do Emboabas teve como consequências:

  • Separação das capitanias de Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo
  • São Paulo tornando-se uma cidade
  • A Coroa Portuguesa assume a exploração de ouro na região das Minas Gerais
  • Os bandeirantes paulistas, derrotados, se estabelecem nas regiões de Goiás e Mato Grosso, onde descobrem outras minas de ouro
  • Regulamentação da distribuição de lavras (lotes para mineração)
  • Instituição da cobrança do quinto de toda extração de ouro

Para saber mais: Capitanias Hereditárias e Ciclo do Ouro

Contexto Histórico

A partir de 1707, os emboabas passaram a realizar expedições militares contra os paulistas para enfraquecer o seu domínio sobre as regiões mineradoras. Consequentemente, a população paulista, composta principalmente por mamelucos e índios que mal falavam o idioma português, foi subjugada pelos emboabas, que passaram a controlar o comércio que abastecia as minas.

Em novembro de 1708, os emboabas lançam um grande ataque contra os paulistas estabelecido em Cachoeira do Campo, distrito de Ouro Preto, Capitania de Minas Gerais, expulsando os bandeirantes e tomando o controle de duas das três principais áreas de mineração da colônia. Na sequência, nomearam seu líder, Nunes Viana, governador da região mineradora, o que provocou a reação da Coroa portuguesa.

Em 1709, com a intervenção da Coroa e do governador do Rio de Janeiro, Antônio de Albuquerque Coelho de Carvalho, Nunes Viana foi destituído e expulso da região das minas, se refugiando em sua fazenda no rio São Francisco, encerrando o conflito definitivamente.

Para saber mais: Índios Brasileiros