Revolta de Vila Rica


A Revolta de Vila Rica é também conhecida como Revolta de Filipe dos Santos, em virtude de esse ser o nome do seu líder. Tratou-se de um movimento ocorrido em 1720 que almejava a mudança econômica e social do Brasil, a qual consistia especialmente na implantação do regime republicano para que o país pudesse se libertar da colônia portuguesa.

Onde e Quando

A rebelião aconteceu na cidade de Ouro Preto, que antes era antes chamada de Vila Rica e onde haviam grandes jazidas de ouro. Decorria o ano 1720 (século XVIII), no período conhecido como Ciclo do Ouro, visto o ouro ser o fruto da principal atividade econômica do Brasil.

Vale ressaltar que 72 anos depois, mais precisamente em 1792, morria Tiradentes - o líder da Inconfidência Mineira - principal movimento de tentativa de libertação colonial do Brasil. Em 1822, finalmente, é proclamada a Independência do Brasil.

Causas

A exploração define as causas do movimento que, em suma, almejava a queda da monarquia portuguesa, cujos privilégios eram mantidos graças aos seguintes abusos:

“O quinto”

20 % do ganho obtido com o ouro ou “o quinto”, como o imposto ficou conhecido, destinava-se à coroa portuguesa. A cobrança alta de impostos era um dos grandes propulsores da revolta popular.

Criação da Casa de Fundição e Moeda

Esse era o local onde a coroa portuguesa cobrava os impostos, bem como administrava e, logo, mantinha a exclusividade sobre todo o ouro encontrado no Brasil.
Tanto os donos dos locais onde se situavam as minas não podiam vender nada que não passasse pela casa, como os comerciantes não podiam praticar o seu negócio sem garantir a parte do lucro à monarquia.

A Revolta e seu Desfecho

Após ter conseguido conquistar a população com os seus discursos, Filipe Santos - um fazendeiro português - tornou-se líder da rebelião. Os revoltosos chegaram a ocupar Vila Rica exigindo a extinção das Casas de Fundição.

Dias depois, o governador Conde de Assumar tenta negociar com os revoltosos e, prometendo atender os seus pedidos, os acalma, mas apenas para ter a chance de os atacar. Assim, convocando 1500 soldados, prende os rebeldes. Filipe dos Santos é julgado e condenado à forca e no dia 15 de julho de 1720 é enforcado e tem o seu corpo esquartejado em praça pública.

Antes de morrer, Filipe dos Santos teria dito a frase: “Jurei morrer pela liberdade. Cumpro minha palavra.”.

Com a punição dos rebeldes e com a morte de seu líder, os objetivos não foram alcançados.

Saiba mais em: