Jean-Baptiste de Lamarck

Lana Magalhães

Jean-Baptiste de Lamarck foi um naturalista francês responsável pelas primeiras teorias sobre a evolução dos seres vivos.

Lamarck nasceu no dia 1 de agosto de 1744 na cidade de Bazentin, na França. Ele faleceu em 28 de dezembro de 1829, sem o reconhecimento de suas ideias.

Jean-Baptiste Lamarck

Lamarck

Entre as suas ideias evolucionistas, Lamarck considerava que a evolução dos seres vivos ocorria em decorrência das pressões do ambiente.

Segundo ele, os organismos reagiam às mudanças do ambiente e as modificações originadas eram transmitidas aos descendentes.

Lamarck baseou sua teoria para a evolução dos seres vivos, a partir da seguinte afirmação:

"A natureza, ao produzir sucessivamente todas as espécies de animais, e começando pelo menos perfeito e mais simples, acaba o seu trabalho com o mais perfeito, gradualmente, aumentando a sua complexidade".

Biografia

Lamarck é o último de onze filhos. Apesar de nascido em uma família de militares, seus pais optaram por encaminhá-lo ao sacerdócio.

Assim, frequentou a escola jesuíta até 1759. Com a morte de seu pai e sem a vocação religiosa, decidiu seguir a carreira militar.

Em 1761, Lamarck iniciou a carreira militar, como Cavaleiro de St. Martin. Ele participou da Guerra dos Setes Anos e de várias operações nas fronteiras da França, momento em que despertou seu interesse pela botânica.

Em 1768, abandonou o exército por contrair escrófula, um tipo de infecção nos gânglios linfáticos na região submandibular e cervical. No caso de Lamarck, a infecção acometeu a região do pescoço.

Após abandonar o exército, mudou-se para Paris, onde vivia com uma modesta pensão de herança paterna. Começou a trabalhar como bancário e iniciou os seus estudos sobre medicina e botânica.

Em 1778, publicou o livro “Flora Francesa”, uma obra composta por três volumes em que descreve sobre as espécies de plantas da França. Com esse livro, Lamarck ganhou grande notoriedade.

Devido ao prestígio alcançado com o seu livro, Lamarck assumiu o posto de assistente na área de Botânica da Academia Francesa de Ciências.

Nesse posto, Lamarck alcançou posições mais altas, foi professor, realizou viagens por várias instituições de pesquisas na Europa e recebeu aumentos salariais.

Após trabalhar vários anos na área da Botânica, em 1793, Lamarck é convidado para assumir o cargo de professor de zoologia, no Museu Nacional de História Natural.

Em 1802, publica o livro “Investigações sobre a Organização dos Seres Vivos”.

Em 1809, publica o livro “Filosofia Zoológica”, no qual apresenta suas teorias sobre a evolução.

Lamarck fundamentou sua teoria através de duas leis:

  • Lei do Uso e Desuso
  • Lei dos Caracteres Adquiridos

As suas teorias ficaram conhecidas como Lamarckismo.

Em 1815, Lamarck publicou o livro “História Natural dos Animais Invertebrados”, no qual apresentou as características gerais dos invertebrados.

Lamarck foi o responsável por introduzir o termo “invertebrados”. Ele também foi o primeiro a separar os grupos Crustacea, Arachnida e Annelida de Insecta. Antes de Lamarck, todos eram reconhecidos como insetos.

Nos anos finais de sua vida, Lamarck ficou completamente cego, impossibilitando a escrita.

Após ser viúvo por três vezes e ser pai de oito filhos, Lamarck passou a viver com uma das filhas e morreu em 28 de dezembro de 1829, em Paris, sem prestígio e pobre.

As teorias evolucionistas de Lamarck não causaram grande impacto na comunidade científica da época. Somente após a sua morte, alguns cientistas como Charles Darwin, reconheceram a importância das teorias de Lamarck.

Charles Darwin na terceira edição de “A Origem das Espécies”, afirmou que Lamarck contribuiu para a divulgação do conceito de evolução.

Saiba mais sobre a Teoria da Evolução.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.