Evolucionismo

Pedro Menezes

O evolucionismo é um pensamento que visou refutar cientificamente o criacionismo, a ideia tradicional de que os seres vivos foram criados por Deus e não sofrem mudança ou evolução.

De acordo com as teorias evolutivas, os seres vivos integram uma cadeia de evolução em que as espécies existentes desenvolveram-se a partir de ancestrais comuns.

A teoria da evolução das espécies compreendidas atualmente tem como origem o pensamento do naturalista inglês Charles Darwin (1809-1882). Darwin desenvolveu a ideia de que as mutações das espécies ocorrem de maneira aleatória e sofrem um processo de seleção natural.

As influências da teoria de Darwin não se restringiram ao campo das ciências biológicas, também encontraram eco no desenvolvimento das ciências sociais (evolucionismo social).

No que consiste a teoria evolucionista de Charles Darwin?

Em 1859, Darwin publicou seu livro A Origem das Espécies e causou uma grande comoção na comunidade científica.

Charles Darwin
Charles Darwin, autor de A Origem das Espécies (1859)

Darwin fez observações que comprovaram que os seres vivos descendem de outros seres vivos anteriores, formando um processo evolutivo e contrariando o criacionismo.

Para ele, os seres estão em constante processo de mutação e dentro desse processo, algumas dessas mudanças proporcionam uma melhor adaptação ao meio.

Os seres mais adaptados transmitem hereditariamente suas características a seus descendentes. Enquanto os indivíduos menos adaptados tendem a sucumbir, gerando o que ele chamou de seleção natural.

O evolucionismo de Darwin é um aperfeiçoamento da teoria de outro naturalista chamado Jean-Baptiste de Lamarck (1744-1829). Para Lamarck, a evolução das espécies ocorria a partir da Lei do uso e desuso.

Ou seja, quanto mais necessária é uma característica, mais a espécie tende a desenvolvê-la. O mesmo funcionaria ao contrário, quanto menos necessária, a característica tende a cair em desuso, não sendo transmitida aos descendentes.

Entretanto, segundo Darwin, as espécies não possuem autonomia em relação às características que devem ou não ser transmitidas hereditariamente.

Essas mutações ocorreriam aleatoriamente, podendo ou não ser transmitidas. As mutações favoráveis à adaptação e capazes de serem transmitidas aos descendentes estariam favorecidas em um processo seletivo imposto pelo ambiente (seleção natural).

Essas adaptações passariam a fazer parte das características presentes em cada população, servindo também como fator de diferenciação entre espécies.

Veja também: Teoria da Evolução.

Os seres humanos possuem também uma origem biológica?

Contrapondo-se ao criacionismo, o evolucionismo proposto por Darwin também pode ser aplicado aos seres humanos.

A descoberta de fósseis são evidências de uma cadeia evolutiva da família dos hominídeos (hominidae). São integrantes dessa família os grandes primatas, dos quais fazem parte: os chimpanzés, os gorilas, os orangotangos e os seres humanos.

As mutações que deram origens a diferenciação entre as espécies de primatas teria ocorrido há cerca de 5 milhões de anos. Já a espécie humana (homo sapiens sapiens) teria surgido há 300 mil anos.

evolucionismo
Evolução da espécie humana

Veja também: Evolução Humana.

As regras de evolução das espécies podem ser aplicadas a um evolucionismo social?

Com base nas teorias darwinianas de evolução e adaptabilidade, alguns teóricos buscaram estabelecer essa relação às questões das estruturas sociais humanas.

Segundo o evolucionismo social, a sociedade tende a uma evolução civilizacional, que em seu curso natural, culminará numa sociedade de indivíduos plenamente livres e autônomos. Não necessitando sequer da intervenção do Estado.

O principal responsável por fazer essa relação entre as ciências biológicas e as sociais foi o biólogo e antropólogo inglês Herbert Spencer (1820-1903).

Spencer foi contemporâneo e estudioso do pensamento de Darwin. É atribuído a ele a ideia de "darwinismo social", em que os mais adaptados as mudanças econômicas se sobreporiam aos mais fracos. Entretanto, essa associação é negada pelos especialistas no autor.

Segundo sua teoria, os indivíduos formam um organismo social que tende à evolução. Desde seu princípio, pré-contrato social, até a complexificação das estruturas sociais e dos mecanismos de liberdade dos indivíduos.

Veja também: Darwinismo Social.

Interessou? Veja também:

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestrando em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).