Seleção Natural

Lana Magalhães

A seleção natural é um dos mecanismos fundamentais da evolução.

Essa teoria evolutiva foi formulada pelo naturalista Charles Darwin (1809-1882). A seleção natural afirma que as características vantajosas de uma população para um determinado ambiente são selecionadas e contribuem para a adaptação e sobrevivência das espécies.

Como ocorre?

A seleção natural ocorre pela necessidade de sobrevivência e adaptação das espécies ao ambiente.

É através dela que as espécies mais adaptadas persistem no ambiente. Os indivíduos com características mais adequadas para um determinado ambiente são mais propensos a sobreviver e se reproduzir.

Assim, as características vantajosas dentro de uma população são passadas para a geração seguinte. Os indivíduos menos adaptados não se reproduzem, fazendo com que uma característica desvantajosa torne-se cada vez mais rara.

Seleção natural
Na seleção natural as características vantajosas são mantidas na população

Na época em que Darwin formulou a teoria da Seleção Natural não existiam estudos genéticos. Portanto, ele não soube explicar os mecanismos da transmissão de características hereditárias.

Hoje, sabemos que os genes são os responsáveis pela transmissão das características aos descendentes.

Leia também:

Por fim, é importante ressaltar que a seleção natural é um processo lento e gradual. Porém, atua de modo permanente nas populações.

Isso porque ela promove variação nas características de uma população, como tamanho, peso ou coloração. Aquelas características vantajosas são mantidas e repassadas aos descendentes, enquanto as desfavoráveis são eliminadas.

Além disso, ela não atua de modo isolado no processo evolutivo. A seleção natural e a mutação são os principais fatores responsáveis pela evolução das espécies.

Tipos

A seleção natural pode atuar de três formas diferentes:

  • Seleção direcional: Prioriza um dos fenótipos extremos por ser o mais vantajoso para a população.
  • Seleção estabilizadora: É o tipo mais comum de seleção natural. Ela seleciona fenótipos intermediários, fazendo com que aparecem em maior quantidade. Nesse caso, os fenótipos extremos são eliminados.
  • Seleção disruptiva: Ocorre quando dois ou mais fenótipos extremos são mantidos na população.

Charles Darwin

O naturalista inglês Charles Darwin formulou a teoria da seleção natural no século 19. Ele estudou a variação entre plantas e animais em sua viagem a bordo do navio Beagle, que percorreu todo o mundo.

As suas ideias foram publicadas em um livro chamado "A Origem das Espécies", em 1859.

Quer saber mais sobre a Evolução? Leia também:

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.