Recombinação Gênica

Lana Magalhães

Recombinação gênica refere-se à mistura de genes provenientes de diferentes indivíduos que ocorre durante a reprodução sexuada.

A recombinação gênica é responsável pela mistura entre os genes.

Nos eucariontes, a recombinação gênica ocorre por meio de dois processos durante a meiose: a segregação independente dos cromossomos e a permutação (crossing over).

Muitas combinações podem ser formadas entre a mistura de genes de dois indivíduos.

Temos como exemplo, a mistura de cromossomos maternos e paternos: o número de combinações possíveis pode ser calculada pela expressão 2n. (n=número de pares de cromossomos do indivíduo).

Assim, a espécie humana tem 223, ou seja, 8.388.608 diferentes combinações entre os cromossomos do pai e da mãe.

Tipos de Recombinação Gênica

A recombinação gênica pode ser homóloga ou não-homóloga:

  • Recombinação gênica homóloga: ocorre entre sequências de DNA idênticas ou muito similares. Ou seja, entre sequências homólogas.
  • Recombinação gênica não-homóloga: ocorre entre sequências de DNA sem qualquer similaridade entre si.

Conheça também sobre a Meiose.

Recombinação Gênica Bacteriana

As bactérias apresentam dois mecanismos de variabilidade genética: a mutação e a recombinação gênica.

A recombinação gênica ocorre por três tipos de mecanismos: a transformação, a conjugação e a transdução.

A transformação é a incorporação de DNA livre pela célula bacteriana.

A conjugação é o processo de transferência de DNA de uma bactéria para outra, envolvendo o contato entre as duas células.

O processo inicia com a formação de uma união específica doador-receptor. Em uma segunda fase, ocorre a preparação para transferência do DNA. Após a transferência do DNA, forma-se um plasmídio funcional replicativo no receptor.

A transdução é a transferência de material genético, entre células, mediada por bacteriófagos.

Recombinação Gênica e Mutação

A recombinação gênica e a mutação são processos diferentes.

Porém, ambos os processos estão envolvidos com a variabilidade genética dos indivíduos.

A mutação corresponde a alterações hereditárias na sequência do DNA. É a fonte primária de variabilidade.

A recombinação gênica é a mistura de genes entre indivíduos de uma mesma espécie. Aumenta a variabilidade primariamente produzida pela mutação.

Assim, pode-se dizer que mutação e a recombinação agem em conjunto. Enquanto, a mutação modifica o DNA. A recombinação promove a mistura entre os genes modificados entre dois indivíduos.

Recombinação Gênica e Evolução

A teoria moderna da evolução (Neodarwinismo) considera três fatores principais no processo evolutivo: a mutação gênica, a recombinação gênica e a seleção natural.

A mutação e a recombinação gênica são responsáveis pela variabilidade genética, garantem que os indivíduos sejam geneticamente diferentes a cada geração.

Sem os processos de variabilidade genética, como a recombinação gênica e a mutação, a evolução seria extremamente lenta. Isto porque, não haveriam mecanismos para reunir as mutações de diferentes indivíduos.

É através da variabilidade genética que ocorre a evolução e adaptação dos organismos ao ambiente.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.