Kim Jong-un

Juliana Bezerra

Kim Jong-un é um militar e líder da Coreia do Norte desde 17 de dezembro de 2011.

Biografia

Nascido em 8 de janeiro de 1983, em Pyongyang, capital da Coreia do Norte, Kim Jong-un, é o terceiro filho do ex-ditador coreano Kim Jong-il (1942-2011). Sua mãe era a bailarina japonesa Ko Young-hee (1953-2004) que teria sido a grande paixão do pai.

Kim Jong un
Kim Jong-un

As informações divulgadas sobre sua vida são escassas e carecem de fontes seguras que as comprovem.

Entre 1998 a 2001 (ou 2000, segundo algumas fontes) estudou na cidade de Berna, na Suíça, com identidade falsa. Diziam que Kim Jong-un era o filho de um diplomata norte-coreano e ali desenvolveu grande paixão pelos esportes, especialmente o basquete.

Ao voltar para seu país natal frequentou a Academia militar e a Universidade. A propaganda oficial afirma que ele é especialista em artilharia, um bom soldado e inclusive é capaz de dar treinamentos a pilotos.

Kim Jong-un se casou com Ri Sol-ju e supostamente os dois já teriam uma filha. Ela já o acompanhou em vários atos oficiais, o que é visto como um bom sinal por aqueles que esperam pela abertura do país.

Ascensão ao Poder

Kim Jong-un não era considerado o sucessor do seu pai, pois não era o filho mais velho. No entanto, quando o irmão, Kim Jong-nam foi preso tentando entrar no Japão com um passaporte falso, cai em desgraça aos olhos do pai.

O outro filho era considerado inepto e só restou Kim Jong-un como alternativa. Assim, após sofrer um primeiro ataque do coração, pai e filho passaram a ser vistos juntos em visitas a quartéis, manobras militares e cerimônias oficiais.

A fim de pavimentar seu caminho à cúpula do poder, Kim Jong-un recebe o grau de general de quatro estrelas. Esta decisão teria desagradado muitos generais veteranos ressentidos com a súbita promoção de um jovem de menos trinta anos ao generalato.

Governo

A propaganda política continua a tratá-lo como um deus. Na televisão se multiplicam as imagens de um homem sorridente, cercado pelo povo, revisando a produção, instalações militares, construções de casas e, sobretudo, treinamentos militares.

Assim que chegou ao poder, ele realizou uma verdadeira purga afastando aqueles generais leais ao seu pai. Uma das vítimas foi o tio que teria sido morto de maneira brutal e diante dos aliados de Kim Jong-un.

Igualmente, se suspeita que estaria por trás do assassinato do seu meio-irmão Kim Jong-nam quando este se encontrava no aeroporto da Malásia.

Kim Jong un
Kim Jong-Un e a esposa Ri Sol-ju inauguram um parque de diversões

Quanto à política externa,Kim Jong-un tem realizado lançamentos de foguetes e feito ameaças ao presidente americano Donald Trump alimentando um possível conflito entre Estados Unidos e Coreia do Norte.

Por sua parte, sua irmã caçula, Kim Yo-jong, é treinada para substituí-lo em caso de doença. Em fevereiro de 2018, ela participou da delegação norte-coreana que foi aos Jogos Olímpicos de Inverno na Coreia do Sul.

Na ocasião, ela levou um convite oficial para que o presidente sul-coreano visitasse a Coreia do Norte.

Possíveis Sinais de Abertura

Quando assumiu o poder, Kim Jong-un anunciou no seu primeiro discurso televisionado, em abril de 2012, que era chegada a hora do povo norte-coreano desfrutar dos benefícios do socialismo.

Para isso, pôs em marcha um programa de enviar estudantes ao exterior para estudarem temas como comércio e a transição de uma economia planificada, socialista e fechada para uma economia de mercado.

Por outro lado, admite a presença de turistas ainda que seja estritamente controlada. Igualmente, vários empresários estrangeiros viajam ao país para oferecer possibilidades de negócios.

Ainda que a maior parte do orçamento do país vá para as Forças Armadas e seu programa nuclear, há testemunhos que garantem que se estão destinando mais recursos para agricultura e habitação.

Não há, no entanto, nenhuma abertura política a curto prazo. Os norte-coreanos continuam a serem proibidos de deixar o país, qualquer dissidência é punida com a morte ou, no melhor dos casos, confinados em "campos de reeducação".

Igualmente, crianças, colegas de trabalho, jovens, idosos são constantemente estimulados a vigiarem uns aos outros. A delação é vista como algo positivo e estimulado desde a tenra infância.

Poderio Militar

A força militar da Coreia do Norte é difícil de precisar. Isto porque pode haver uma discrepância entre os dados oficiais que tendem a aumentar e aquilo que os espiões conseguem avaliar.

Calcula-se que o país possua de 6 a 12 bombas nucleares e tenha um arsenal de armas biológicas, químicas e mísseis intercontinentais.

O Exército é constituído de 1 milhão de soldados e mais 6 milhões na reserva numa população de 24 milhões de pessoas.

Também são um poder digital considerável que já realizou ataques ao sistema financeiro sul-coreano e a estúdios de cinema americano.

Fim dos Testes Nucleares

Desde que chegou ao poder, Kim Jong-un fez vários testes nucleares, todos com intensa cobertura da imprensa e atenção pelos países ocidentais.

No entanto, em abril, o dirigente anunciou que destruiria uma das bases, como um gesto de boa vontade e abertura. Efetuada em 24 de maio, as explosões foram acompanhadas apenas por jornalistas e nenhum especialista da área, o que dificulta a avaliação se as instalações foram efetivamente postas abaixo.

Curiosidades

  • Grande fã do basquete, em 2013, King Jong-un convidou o ex-jogador da NBA, Dennis Rodman, para visitar o país. Desde então, o atleta já realizou várias viagens à Coreia do Norte e jogou uma partida de basquete contra o time local.
  • Na Coreia do Norte ninguém pode ter o mesmo corte de cabelo que King Jong-un.

Leia mais:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.