Oração: tipos e exemplos

Márcia Fernandes

O que é oração?

Oração é um enunciado que pode ou não ter sentido completo. É formada por sujeito e predicado, o que significa que a oração sempre contém um verbo. Exemplos:

1. Temo pela sua saúde.
É uma oração que tem sentido completo e cuja mensagem transmitida gira em torno do verbo “temo”.

2. Não sei se ele vem aqui em casa.
Há aqui duas orações, uma com sentido completo (Não sei - mensagem em torno do verbo “sei”) e outra que não tem sentido completo (se ele vem aqui em casa - mensagem em torno do verbo “vem”). Repare que a segunda oração depende da primeira para que faça sentido.

Tipos de oração

As orações podem ser: absolutas, coordenadas ou subordinadas.

Oração absoluta - é assim chamada quando há apenas uma oração, ou seja, o período é simples. Exemplo: Contemple a beleza das flores.

Oração coordenada - quando o período é composto, mas as orações são independentes, não precisando das outras para fazer sentido. Exemplo: Cheguei, tirei os sapatos, respirei fundo e me joguei no sofá.

Há aqui quatro orações, cada uma delas com sentido completo. Primeira oração (Cheguei), segunda oração (tirei os sapatos), terceira oração (respirei fundo) e quarta oração (me joguei no sofá).

Oração subordinada - quando o período é composto e as orações dependem umas das outras para fazer sentido. Exemplo: Se precisar de ajuda, chame.

Há aqui duas orações. A primeira (Se precisar de ajuda) precisa da segunda oração (chame para fazer sentido.

Diferença entre oração e frase

Oração e frase distinguem-se pelo fato de que a oração nem sempre apresenta sentido completo e sempre apresenta verbo, enquanto a frase sempre apresenta sentido completo e nem sempre contém verbo.

Exemplo de oração: Você está falando sério?

Exemplo de frase: Sério?

Orações coordenadas

Orações coordenadas são orações do período composto que se comportam de forma independente, ou seja, que não dependem sintaticamente das outras. Elas podem ser: sindéticas ou assindéticas.

As orações coordenadas sindéticas ligam-se através de conjunção: Exemplo: Deitou e adormeceu.
(Oração 1: Deitou. Oração 2: adormeceu. Conjunção: e).

As orações coordenadas assindéticas não são ligadas por conectivos. Exemplo: Saímos, jantamos, dançamos, rimos. (Oração 1: Saímos. Oração 2: jantamos. Oração 3: dançamos. Oração 4: rimos).

Orações subordinadas

Orações subordinadas são orações do período composto que dependem sintaticamente entre si. Elas podem ser: substantivas, adjetivas ou adverbiais.

As orações subordinadas substantivas podem exercer diferentes funções: sujeito, predicado nominal, complemento verbal, complemento nominal e aposto. Exemplo: Alguém disse que o professor não viria?

Oração 1: Alguém disse. Oração 2: que o professor viria. A oração 2 exerce a função de objeto direto porque completa o sentido do verbo “disse”, sem necessidade de usar preposição.

As orações subordinadas adjetivas exercem a função de adjunto adnominal. Exemplo: Falei com a Ana que tem os olhos azuis.

Oração 1: Falei com a Ana. Oração 2: que tem os olhos azuis. A oração 2 exerce a função de adjunto adnominal, porque especifica com que Ana falei - a Ana que tem os olhos azuis.

As orações subordinadas adverbiais exercem a função de adjunto adverbial. Exemplo: Ele canta como um rouxinol canta.

Oração 1: Ele canta. Oração 2: como um rouxinol canta. A oração 2 exerce a função de adjunto adverbial de comparação, porque compara a forma de cantar de alguém com a do rouxinol.

Para você entender melhor:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.