Pleiotropia

Pleiotropia ocorre quando um par de alelos condiciona mais de um caráter.

Assim, um único gene controla diversas características do fenótipo que em alguns casos não estão relacionadas.

O gene responsável pela pleiotropia denomina-se pleiotrópico.

Pleiotropia em Humanos

Um exemplo de gene pleiotrópico em humano é o que causa a Síndrome de Marfan.

Os portadores do alelo dominante que ocasiona a síndrome apresentam aracnodactilia, dedos longos, finos e curvos. Além de anomalias ósseas e problemas nos olhos, coração e pulmões.

Outro exemplo é a fenilcetonúria. Nesse caso, ocorre uma mutação no gene que codifica a enzima fenilalanina hidroxilase, responsável por degradar o aminoácido fenilalanina.

Os acometidos com fenilcetonúria apresentam incapacidade mental, redução de pelos e na pigmentação da pele, convulsões e movimentos incontroláveis nas pernas e braços.

Pleiotropia e Interação Gênica

Cada um dos fenômenos diferem entre si:

  • Na pleiotropia um único gene controla diversas características do fenótipo.
  • Na interação gênica, dois ou mais genes interagem e controlam apenas uma característica. Podemos dizer que a pleiotropia é o inverso da interação gênica.

Leia também sobre Polialelia.

Exercícios

1. (UEPG-PR) - É um fenômeno inverso ao da pleiotropia:

a) interação gênica
b) epistasia
c) criptomeria
d) polialelia
e) alelos múltiplos

a) interação gênica

2. (MACKENZIE) Em galinhas, a cor da plumagem é determinada por 2 pares de genes. O gene C condiciona plumagem colorida enquanto seu alelo c determina plumagem branca. O gene I impede a expressão do gene C, enquanto seu alelo i não interfere nessa expressão. Com esses dados, conclui-se que se trata de um caso de:

a) epistasia recessiva
b) herança quantitativa
c) pleiotropia
d) codominância
e) epistasia dominante

e) epistasia dominante