Sistema ABO e Fator RH

Juliana Diana

O sistema ABO são classificações do sangue humano nos quatro tipos existentes: A, B, AB e O.

Enquanto que o Fator Rh é um grupo de antígenos que determina se o sangue possui o Rh positivo ou negativo.

A herança sanguínea, ou seja, o tipo sanguíneo de uma pessoa, é determinada geneticamente, sendo um caso de alelos múltiplos, pelos genes IA , IB e i.

Como foram descobertos os Sistemas ABO e Rh?

Descoberta fator Rh
Técnica que levou à descoberta do fator Rh

O sistema ABO foi descoberto no início do século XX, pelo biólogo austríaco Karl Landsteiner (1868-1943) e sua equipe de cientistas.

Eles constataram algumas diferenças no sangue dos indivíduos, o que, certamente, esclareceu a morte de muitas pessoas após transfusões de sangue.

A descoberta do Sistema ABO foi um marco importante da história da medicina. Por causa deste estudo, o médico e biólogo Karl Landsteiner ganhou, em 1930, o “Prêmio Nobel de Fisiologia”.

Segundo os cientistas, a propriedade da incompatibilidade dos tipos sanguíneos foi confirmada a partir da reação imunológica entre as substâncias presentes no plasma sanguíneo e nas hemácias.

Com isso, o sangue que sofreu aglutinação a partir de determinados antígenos presentes nas membranas das hemácias, ficaram conhecidos por aglutinogênios (A e B). Enquanto que as substâncias aglutinadoras, anticorpos, encontradas no plasma sanguíneo, foram denominadas de aglutininas (anti-A e anti-B).

Além de desvendar a tipologia sanguínea, Karl Landsteiner (1868-1943) descobriu o Fator Rh (anticorpos), derivado do nome do “macaco do gênero Reshus”. Este animal foi utilizado como cobaia nas investigações para o avanço do sistema ABO.

As pesquisas apontam que determinados tipos de sangue possuem ausência do fator Rh. Isso acontece pois os indivíduos que apresentaram as hemácias aglutinadas pelo anticorpo Rh foram classificadas como Rh positivas (Rh+). Em contrapartida, as hemácias dos que não se aglutinaram foram chamadas de Rh negativas (Rh-).

Conheça mais sobre os assuntos relacionados a este tema:

Tipos de Sangue

Sistema ABO
Tipos sanguíneos e suas características

Os grupos sanguíneos, de acordo com o sistema ABO, são classificados em: A, B, AB e O.

Os tipos diferenciam-se pela presença ou ausência de aglutininas, no plasma sanguíneo, e de aglutinogênios, na membrana das hemácias.

  • Tipo A: O sangue do tipo A apresenta aglutinina (anticorpos) anti-B no plasma. Assim, indivíduos com esse tipo de sangue podem receber dos tipos A e O, contudo, não recebem do tipo B e nem do tipo AB.
  • Tipo B: O sangue do tipo B apresenta aglutinina (anticorpos) anti-A no plasma. Assim, indivíduos com esse tipo de sangue podem receber de B e O, porém, não podem receber sangue dos tipos A e AB.
  • Tipo AB: O sangue do tipo AB é o “Receptor Universal”, de forma que AB não possui aglutininas no plasma e pode receber qualquer tipo de sangue. Em outras palavras, o sangue AB possuem os antígenos A e B, entretanto, nenhum anticorpo.
  • Tipo O: O sangue do tipo O é o “Doador Universal”, uma vez que possuem os dois tipos de aglutininas (anticorpos) no plasma, anti-A e anti-B, e não apresentam aglutinogênios (antígenos) dos tipos A e B. A despeito de serem os doadores universais, ou seja, podem doar seu sangue para qualquer grupo sanguíneo, esses indivíduos só recebem sangue do tipo O.

Confira abaixo a tabela indicando as relações existentes na doação de sangue:


Grupo Sanguíneo

Aglutinogênios nas Hemácias

Aglutininas no Plasma

Recebe de

Doa para
AAanti-BA e OA e AB
BBanti-AB e OB e AB
ABAB-A, B, AB e OAB
O-anti-A e anti-BOA, B, AB e O

Leia também sobre:

O que acontece se uma pessoa recebe um tipo de sangue diferente do seu?

Nesse caso, pode existir a incompatibilidade entre os tipos sanguíneos. As hemácias recebidas irão se aglutinar, a ponto de formarem aglomerados maiores e mais compactos, impedindo a circulação do sangue.

Eritroblastose Fetal

eritoblastose fetal
Eritroblastose fetal

A doença hemolítica do recém-nascido ou eritroblastose fetal ocorre quando o sangue de um feto Rh+ é aglutinado pelos anticorpos do sangue da mãe Rh-, num processo chamado de hemólise.

Assim, a criança nasce com profunda anemia (icterícia), decorrente da alta destruição das hemácias.

Dessa forma, fica claro que o sistema ABO e o fator Rh possuem uma função muito importante na biologia humana.

Para identificar se uma pessoa tem Rh positivo ou negativo, mistura-se o sangue com anticorpos Rh e se as hemácias se aglutinarem, essa pessoa tem sangue Rh+. Por outro lado, se não se aglutinarem, essa pessoa tem sangue Rh-.

Juliana Diana
Juliana Diana
Licenciada em Ciências Biológicas pelas Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO) em 2007. Pós-graduada em Informática na Educação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) em 2010. Doutora em Gestão do Conhecimento pela UFSC em 2019.