Plasma


O Plasma é um dos componentes do sangue junto aos glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e as plaquetas.

É um líquido amarelado que constitui aproximadamente 55% do sangue, enquanto as hemácias (glóbulos vermelhos) corresponde a 44% e os leucócitos (glóbulos brancos) e plaquetas compõe 1% de sua totalidade.

Funções do Plasma

O plasma é um tecido especial porque é líquido e graças a isso pode cumprir a função principal do sangue que é transportar substâncias pelo corpo.

As substâncias presentes no sangue são os nutrientes provenientes da alimentação, resíduos de excreção, medicamentos que usamos e as células, como os glóbulos brancos responsáveis pela defesa do corpo.

Resumindo, o plasma serve para:

  • Transporte de substâncias: nutrientes, resíduos, hormônios, medicamentos e células;
  • Controle da pressão osmótica intravascular;
  • Proteção do organismo através dos leucócitos;
  • Reserva de proteínas do organismo.

Proteínas Presentes no Plasma

As proteínas presentes no plasma corresponde aproximadamente 7% de sua composição e são muito importantes para o transporte de substâncias, coagulação sanguínea e defesa do organismo.

  1. Albumina: presente em maior parte no plasma sanguíneo, essa proteína auxilia no controle osmótico e no transporte dos ácidos graxos e hormônios.
  2. Fibrinogênio: proteína responsável pela coagulação sanguínea.
  3. Globulina: proteína responsável pela defesa do organismo, uma vez que participa na composição dos anticorpos, além do transporte de substâncias.

Componentes do Plasma

O plasma é composto de:

  • Água (aproximadamente 90%);
  • Enzimas e Hormônios;
  • Gases (oxigênio e gás carbônico);
  • Glicose, Proteínas e Aminoácidos;
  • Sais Minerais e Vitaminas.

Saiba tudo sobre o sangue, leia também:

Transfusão de Sangue

Quando há doação de sangue, o líquido é dividido em três componentes: Hemácias (glóbulos vermelhos) para tratar anemias; as Plaquetas para tratar ou evitar sangramentos; e o Plasma que serve para tratar hemorragias.

A história da transfusão de sangue tem início em 1665, na Universidade de Oxford, na Inglaterra, na medida em que o estudioso Richard Lower realiza o teste em animais.

Dois anos depois, em Paris, o professor Jean Baptiste Denis realiza o procedimento num ser humano contudo, utilizando o sangue de animal. Dessa maneira, o estudioso defendia a ideia de que o sangue do animal estaria mais limpo visto que não possuía vícios.

No entanto, é no século XIX que James Blundell realiza a primeira transfusão de sangue entre humanos numa mulher que apresentava hemorragia pós parto. Assim, depois de muitas experimentações, conclui-se que o procedimento seria benéfico uma vez que poderia salvar vidas.