Leucócitos

Os leucócitos, também chamados de glóbulos brancos, são células sanguíneas produzidas na medula óssea e nos linfonodos.

São os principais agentes do sistema imunológico do nosso corpo, sendo que seu número varia entre 4 500 mil a 11 000 mil por milímetro cúbico de sangue em um adulto.

Pela ação dos linfócitos, agentes infecciosos, como as bactérias, os vírus e as substâncias tóxicas que atacam o nosso corpo, são impedidos de causar infecções e outras doenças.

Características dos Leucócitos

Os leucócitos são células incolores, que possuem diferentes tipos, distinguidos pela forma de seus núcleos e modo de atuação.

Esses glóbulos brancos atuam na defesa do organismo da seguinte forma:

  • Fagocitose (defesa ativa): captura de partículas identificadas como antígenos (corpos estranhos). Nesse processo, as células sanguíneas de defesa englobam, digerem e destroem os microrganismos invasores;
  • Defesa passiva: fabricação de anticorpos, proteínas especiais, para neutralizar os antígenos e as substâncias tóxicas produzidas pelos seres invasores ou presentes em alimentos e substâncias diversas;
  • Diapedese: propriedade de atravessar os vasos sanguíneos, sair pelas paredes capilares e migrarem para os tecidos próximos.

Os leucócitos apresentam proteínas que atuam como “marcadores de identidade celular”, trata-se do sistema Antígenos Leucocitários Humanos (em inglês, Human leukocyte antigen - HLA), que é capaz de identificar corpos estranhos e impedir que se espalhem pelo organismo.

Das células sanguíneas, os leucócitos (glóbulos brancos) são maiores que as hemácias (glóbulos vermelhos), embora estejam em menor número no sangue.

Leia mais sobre o Sistema Imunológico.

Tipos de Leucócitos

No sangue, há vários leucócitos de diferentes formatos, tamanhos, formas de núcleos e funções, sendo os principais tipos:

  • Neutrófilos
  • Eosinófilos
  • Basófilos
  • Linfócitos
  • Monócitos

tipos de leucócitos

Leucócitos granulares

Fazem parte desse grupo os neutrófilos, eosinófilos e basófilos. Eles podem ser reconhecidos pelo uso de microscópio óptico devido à presença de grânulos, fazendo com que, através de métodos de coloração, esses tipos apresentem cores distintas.

Neutrófilos

São ativos e numerosos (55% a 65%) e, por isso, são os primeiros a agirem quando há uma infecção. Entretanto, morrem rapidamente após fagocitarem o invasor. São também chamados de piócitos ou corpúsculos de pus.

Eosinófilos

São comuns na mucosa intestinal (2% a 4%). Seu número aumenta muito no sangue em processos alérgicos e infecções parasitárias, atuando como uma resposta primária.

Basófilos

São os menos numerosos (1% a 2%) e produzem heparina, um anticoagulante, e histamina, uma substância vasodilatadora liberada nos estados alérgicos.

Leucócitos agranulares

São os tipos que não apresentam grânulos, ou seja, as vesículas citoplasmáticas evidentes. Fazem parte desse grupo linfócitos e monócitos, pequenos leucócitos que não são vistos com uso de microscópio e corantes.

Linfócitos

Os linfócitos são ativos (25% a 35%) nas reações a antígenos, relacionando-se à produção de anticorpos. Participam também dos mecanismos de rejeição de enxertos, sendo chamadas de células de rejeição, encontram-se em maior quantidade no sistema linfático.

Saiba mais sobre os antígenos.

Monócitos

São leucócitos grandes, de intensa atividade fagocitária (3% a 5%). Podem concentrar-se em maior número em regiões de focos infecciosos. A ação é mais demorada que a resposta dada pelos neutrófilos, porém tem um tempo de vida maior.

Saiba mais sobre o Vírus e as Bactérias.

A importância dos leucócitos: o que indicam sobre a saúde de alguém?

O leucograma faz parte do hemograma, exame que analisa a composição do sangue. No leucograma é realizada a contagem de leucócitos e, consequentemente, a avaliação do sistema imunológico e defesa do organismo.

O número alto ou baixo de leucócitos pode indicar a ocorrência da leucocitose ou leucopenia. A contagem diferencial de leucócitos determina qual o tipo que teve sua quantidade aumentada ou diminuída.

Leucocitose

Quando os leucócitos estão com níveis aumentados, ou seja, superior a 11 000 chama-se de leucocitose.

Entende-se que o organismo está atuando, por exemplo, contra algum estresse provocado por organismos invasores, efeito colateral de um medicamento ou alergia. Em doenças infecciosas, como pneumonia e meningite, a contagem de glóbulos brancos no sangue costuma aumentar.

Saiba mais sobre a pneumonia.

Leucopenia

Quando os níveis de leucócitos estão abaixo de 4 500 no exame de sangue chama-se de leucopenia.

Esse anormalidade pode ser causada, por exemplo, pelo uso de antibióticos, anemia ou quimioterapia. Em certas infecções virais, como o sarampo, a contagem de glóbulos brancos no sangue pode diminuir.

Saiba mais sobre o sarampo.