Rui Barbosa: biografia e obras


Rui Barbosa foi um intelectual, político, advogado, jornalista, diplomata, orador e escritor brasileiro.

Uma das mais importantes figuras na história do Brasil, participou da fundação da Academia Brasileira de Letras (ABL), do qual foi presidente, após a morte de Machado de Assis.

Defensor da liberdade, ao lado de Joaquim Nabuco, um dos mais importantes abolicionistas, Rui atuou na Campanha Abolicionista em prol da libertação dos escravos. Além disso, propôs uma reforma eleitoral e no ensino.

Biografia

Filho de João José Barbosa de Oliveira e de Maria Adélia Barbosa de Almeida, Rui Barbosa de Oliveira nasceu em Salvador, dia 5 de novembro de 1849.

Cursou os estudos primários e secundários em sua cidade natal. Ingressou no curso de Direito do Recife, mudando-se para a capital paulista, onde terminou seus estudos na Faculdade de Direito de São Paulo, em 1870.

Foi morar no Rio de Janeiro, onde exerceu a profissão de advogado e jornalista.

Rui Barbosa

Teve grande atuação política ocupando diversos cargos: Deputado da Província da Bahia (1878), duas vezes Deputado Geral (1878 a 1884), e cinco vezes eleito Senador (1890-1921).

Foi Ministro da Fazenda no Governo de Deodoro da Fonseca. Disputou o cargo na Presidência da República em duas ocasiões (1910, contra Hermes da Fonseca, e 1919, contra Epitácio Pessoa), sendo derrotado em ambas.

Quando concorreu o cargo ao lado de Hermes da Fonseca, Rui Barbosa lançou sua Campanha Presidencial (1910) denominada “Campanha Civilista”, a qual se propagou por todo o território nacional.

Na campanha, ele propôs a ordem civil bem como uma política mais efetiva para o país, demostrando assim, propriedade e solidez em seus discursos. Nas palavras do intelectual:

O civilismo é um princípio, é uma doutrina, é uma aspiração moral, é uma antecipação do futuro, é uma clareza do espírito de Deus aberta neste inferno, é alguma coisa que nos fala do bem, da honra e da justiça!

Rui Barbosa permaneceu exilado na Argentina, Lisboa, Paris e Londres, visto que estava envolvido na Revolução da Armada (1893).

Ficou conhecido como “Águia de Haia” uma vez que destacou-se na participação da “Segunda Conferência Internacional da Paz de Haia”, ocorrida em 1907, nos Países Baixos, em que defendeu a igualdade entre as nações.

Mais tarde, foi nomeado Juiz da Corte Internacional de Haia e, ao lado de outros intelectuais, foi indicado como um dos “sete sábios de Haia”. Após o evento, Rui declara:

Vi todas as nações do mundo reunidas, e aprendi a não me envergonhar da minha. Medindo de perto os grandes e os fortes, achei-os menores e mais fracos do que a justiça e o direito.

Rui Barbosa faleceu em Petrópolis, dia 1º de março de 1923, aos 73 anos.

Obras

Dono de uma produção intelectual muito vasta, Rui Barbosa escreveu diversas obras, composta de poemas, artigos, ensaios, discursos.

Dentre suas obras, destaca-se o discurso escrito para os formandos da Faculdade de Direito do largo São Francisco, denominado: “Oração aos Moços” (1920). Segue abaixo algumas de suas obras:

  • Castro Alves: Elogio do Poeta pelos Escravos (1881)
  • Finanças e Políticas da República: Discursos e Escritos (1893)
  • Os Atos Inconstitucionais do Congresso e do Executivo ante a Justiça Federal (1893)
  • Cartas de Inglaterra (1896)
  • Posse dos Direitos Pessoais (1900)
  • O Código Civil Brasileiro (1904)
  • O Acre Septentrional (1906)
  • O Brasil e as Nações Latino Americanas na Haia (1908)
  • O Direito do Amazonas ao Acre Septentrional (1910)
  • Plataforma (1910)
  • O Dever do Advogado (1911)
  • Problemas de Direito Internacional (1916)
  • Oswaldo Cruz (1917)

Frases

  • Quem não luta pelos seus direitos não é digno deles.”
  • A liberdade não é um luxo dos tempos de bonança; é o maior elemento da estabilidade.”
  • Se os fracos não têm a força das armas, que se armem com a força do seu direito, com a afirmação do seu direito, entregando-se por ele a todos os sacrifícios necessários para que o mundo não lhes desconheça o caráter de entidades dignas de existência na comunhão internacional.”
  • As leis são um freio para os crimes públicos - a religião para os crimes secretos.”
  • A espada não é a ordem, mas a opressão; não é a tranquilidade, mas o terror, não é a disciplina, mas a anarquia não é a moralidade, mas a corrupção, não é a economia mas a bancarrota.”
  • O ensino, como a justiça, como a administração, prospera e vive muito mais realmente da verdade e moralidade, com que se pratica, do que das grandes inovações e belas reformas que se lhe consagrem.”
  • Eu não troco a justiça pela soberba. Eu não deixo o direito pela força. Eu não esqueço a fraternidade pela tolerância. Eu não substituo a fé pela superstição, a realidade pelo ídolo.”

Curiosidades

  • Em homenagem a Rui Barbosa diversas ruas, avenidas e praças do país levam seu nome.
  • A Fundação Casa de Rui Barbosa, localizada no bairro do Botafogo, Rio de Janeiro, é uma instituição pública federal vinculada ao Ministério da Cultura. Ali, é onde viveu o intelectual e atualmente é destinada as pesquisas sobre seu patrono. Faz parte do complexo, o museu com mobiliários de Rui Barbosa, bem como a biblioteca que pertencia ao jurista, composta de 35 mil exemplares aproximadamente.