Questões de Sociologia do Enem

Pedro Menezes

A prova de Sociologia no Enem aborda alguns temas da área como: sociedade, cultura, cidadania, movimentos sociais, política, estado e governo, revolução científica e industrial, sociedade contemporânea e teorias sociológicas.

Questão 1

(Enem/2017) Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: www.planalto.gov.br. Acesso em: 27 abr. 2017.

A persistência das reivindicações relativas à aplicação desse preceito normativo tem em vista a vinculação histórica fundamental entre

A) etnia e miscigenação racial.
B) sociedade e igualdade jurídica.
C) espaço e sobrevivência cultural.
D) progresso e educação ambiental.
E) bem-estar e modernização econômica.

Alternativa correta: C) espaço e sobrevivência cultural.

No trecho da Constituição, o direito ao território (espaço) é apresentado como sendo necessário para a sobrevivência cultural dos povos indígenas.

A perda do direito ao território é compreendida como um risco para a “organização social, costumes, línguas, crenças e tradições” específicos dos distintos grupos.

A proteção da cultura das diversas etnias exige a proteção de seu território. A extinção dos laços com a terra de origem pode causar a perda de costumes e traços que fundamentam a cultura desses grupos indígenas.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) O trecho retirado da Constituição Federal não faz referência à miscigenação racial como um fator benéfico ou de prejuízo às etnias indígenas. Essa relação, portanto, não é o objetivo das reivindicações que utilizam esse trecho como base.

B) É necessário perceber que uma visão de sociedade e igualdade jurídica pode não levar em consideração as características especiais relacionadas às etnias indígenas. Para que haja justiça é necessário que determinados grupos possam ter suas especificidades respeitadas e assegurado o respeito às diferenças.

D) A ideia de progresso e educação ambiental pode ou não estar relacionada ao respeito à diversidade cultural. No texto, não está em causa a regulamentação dessa vinculação.

E) O que se apresenta na passagem extraída da Constituição não visa estabelecer-se como um preceito normativo à relação entre o bem-estar e a modernização econômica.

A modernização econômica, e mesmo a ideia de bem-estar, precisam respeitar aos direitos indígenas.

Questão 2

(Enem/2017) O conceito de democracia, no pensamento de Habermas, é construído a partir de uma dimensão procedimental, calcada no discurso e na deliberação. A legitimidade democrática exige que o processo de tomada de decisões políticas ocorra a partir de uma ampla discussão pública, para somente então decidir. Assim, o caráter deliberativo corresponde a um processo coletivo de ponderação e análise, permeado pelo discurso, que antecede a decisão.

VITALE, D. Jürgen Habermas, modernidade e democracia deliberativa. Cadernos do CRH (UFBA), v. 19, 2006 (adaptado).

O conceito de democracia proposto por Jürgen Habermas pode favorecer processos de inclusão social. De acordo com o texto, é uma condição para que isso aconteça o(a)

A) participação direta periódica do cidadão.
B) debate livre e racional entre cidadãos e Estado.
C) interlocução entre os poderes governamentais.
D) eleição de lideranças políticas com mandatos temporários.
E) controle do poder político por cidadãos mais esclarecidos.

Alternativa correta: B) debate livre e racional entre cidadãos e Estado.

O Pensamento de Habermas é marcado pela chamada democracia deliberativa. Nela, o debate livre e racional entre cidadãos e Estado estabeleceria as bases necessárias para a participação e a cidadania.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) A participação do cidadão é uma preocupação no que diz respeito à legitimação do Estado. Entretanto, para o autor, essa participação é contínua, não acontece em períodos específicos.

C) Para Habermas, a democracia é pautada no poder do povo através da deliberação coletiva em todas as decisões do Estado. Assim, não tem como base a interlocução entre os poderes do governo.

D) Habermas propõe que o amplo debate seja realizado publicamente, e não como reforço da democracia representativa, em que somente os políticos eleitos são os responsáveis por defender os interesses de seus eleitores.

E) O autor propõe o esclarecimento dos cidadãos para que todos possam agir criticamente e não uma sofocracia (governo dos mais sábios).

Questão 3

(Enem/2017) A participação da mulher no processo de decisão política ainda é extremamente limitada em praticamente todos os países, independentemente do regime econômico e social e da estrutura institucional vigente em cada um deles. É fato público e notório, além de empiricamente comprovado, que as mulheres estão em geral sub-representadas nos órgãos do poder, pois a proporção não corresponde jamais ao peso relativo dessa parte da população.

TABAK, F. Mulheres públicas: participação políticas e poder. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2002.

No âmbito do Poder Legislativo brasileiro, a tentativa de reverter esse quadro de sub-representação tem envolvido a implementação, pelo Estado, de

A) leis de combate à violência doméstica.
B) cotas de gênero nas candidaturas partidárias.
C) programas de mobilização política nas escolas.
D) propagandas de incentivo ao voto consciente.
E) apoio financeiro às lideranças femininas.

Alternativa correta: B) cotas de gênero nas candidaturas partidárias.

As cotas de gênero nas eleições são uma política compensatória que visa democratizar o acesso aos cargos tradicionalmente exercidos por homens.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) As leis de combate à violência doméstica visam reparar um outro efeito de uma cultura centrada na figura masculina. Estudos mostram que a violência contra a mulher tem como um dos fundamentos o desenvolvimento cultural que tradicionalmente buscou subordinar as mulheres em relação aos homens.

O Brasil apresenta uma baixa representatividade feminina no governo. No ranking, a partir de um relatório da ONU de 2019 sobre a participação feminina no governo, o Brasil encontra-se em 149º lugar entre 188 países. A participação de mulheres na política é aproximadamente de 9% o que é um número muito contrastante em relação à população, composta por cerca de 52% de mulheres.

C) A mobilização política nas escolas, apesar de sua importância para a politização dos estudantes, não garante a democratização e a participação feminina na política.

D) Os programas de incentivo ao voto consciente também fazem parte da resolução da questão, mas não atingem diretamente a participação feminina.

E) O Estado brasileiro não possui esse tipo de programa.

Questão 4

(Enem/2016) A democracia deliberativa afirma que as partes do Conflito político devem deliberar entre si e, por meio de argumentação razoável, tentar chegar a um acordo sobre as políticas que seja satisfatório para todos. A democracia ativista desconfia das exortações à deliberação por acreditar que, no mundo real da política, onde as desigualdades estruturais influenciam procedimentos e resultados, processos democráticos que parecem cumprir as normas de deliberação geralmente tendem a beneficiar os agentes mais poderosos. Ela recomenda, portanto, que aqueles que se preocupam com a promoção de mais justiça devem realizar principalmente a atividade de oposição crítica, em vez de tentar chegar a um acordo com quem sustenta estruturas de poder existentes ou delas se beneficia.

YOUNG, I. M. Desafios ativistas à democracia deliberativa Revista Brasileira de Ciência Política, n. 13, jan-abr. 2014.

As concepções de democracia deliberativa e de democracia ativista apresentadas no texto tratam como imprescindíveis, respectivamente,

A) a decisão da maioria e a uniformização de direitos.
B) a organização de eleições e o movimento anarquista.
C) a obtenção do consenso e a mobilização das minorias.
D) a fragmentação da participação e a desobediência civil.
E) a imposição de resistência e o monitoramento da liberdade.

Alternativa correta: C) a obtenção do consenso e a mobilização das minorias.

A obtenção do consenso parece ser o grande objetivo da democracia deliberativa. Entretanto, para Iris Marion Young, o consenso pode ser uma ferramenta de exclusão das minorias. O modo tradicional de perceber o consenso dentro das democracias tende a impossibilitar certas mudanças advindas das lutas de grupos minoritários.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) No texto, a autora afirma que a democracia deliberativa pautada na decisão da maioria tende a apresentar-se como uma ferramenta de manutenção do poder revestido de uma aparência democrática.

Sendo assim, a uniformização dos direitos imporia às minorias uma adequação injusta ao status quo.

B) A democracia deliberativa vai muito além da mera organização de eleições, propõe o debate político acerca das decisões a serem tomadas. Por outro lado, a democracia ativista não está inscrita necessariamente em um movimento anarquista. Ela pretende-se um modo de oposição crítica ao sistema vigente, tendo em vista a justiça social.

Com isso, a autora pretende que através da mobilização das minorias dentro da democracia ativista seja um caminho para se atingir a justiça social.

D) Ainda que a desobediência civil historicamente tenha servido como uma ferramenta de negociação e trazido à luz das deliberações algumas questões sensíveis, a fragmentação da participação tende a perpetuar o poder vigente. A participação fragmentada e desorganizada não encontra força de mobilização para as mudanças desejadas.

E) Tanto a ideia de imposição de qualquer tipo como a ideia de monitoramento da liberdade ferem os princípios democráticos construídos sobre uma base que preza a autonomia dos indivíduos e seu direito de livre organização.

Questão 5

(Enem/2018) A tribo não possui um rei, mas um chefe que não é chefe de Estado. O que significa isso? Simplesmente que o chefe não dispõe de nenhuma autoridade, de nenhum poder de coerção, de nenhum meio de dar uma ordem. O chefe não é um comandante, as pessoas da tribo não têm nenhum dever de obediência. O espaço da chefia não é o lugar do poder. Essencialmente encarregado de eliminar conflitos que podem surgir entre indivíduos, famílias e linhagens, o chefe só dispõe, para restabelecer a ordem e a concórdia, do prestígio que lhe reconhece a sociedade. Mas evidentemente prestígio não significa poder, e os meios que o chefe detém para realizar sua tarefa de pacificador limitam-se ao uso exclusivo da palavra.

CLASTRES, P. A sociedade contra o Estado. Rio de Janeiro. Francisco Alves, 1982 (adaptado).

O modelo político das sociedades discutidas no texto contrasta com o do Estado liberal burguês porque se baseia em:

A) Imposição ideológica e normas hierárquicas.
B) Determinação divina e soberania monárquica.
C) Intervenção consensual e autonomia comunitária.
D) Mediação jurídica e regras contratualistas.
E) Gestão coletiva e obrigações tributárias.

Alternativa correta: C) Intervenção consensual e autonomia comunitária.

A tribo é gerida de forma a respeitar a autonomia de seus indivíduos. As possíveis intervenções do chefe se realizam pelo seu reconhecimento como indivíduo de saber, mas não possui um caráter legislador.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) A imposição ideológica e normas hierárquicas não fazem parte das características sociais apresentadas no texto.

Isso fica claro no trecho "(...) o chefe não dispõe de nenhuma autoridade, de nenhum poder de coerção, de nenhum meio de dar uma ordem.”

B) Não há no texto uma referência a determinação divina do papel do rei. Pelo contrário, afirma que o chefe da tribo não atua como rei, diferenciando-se da concepção presente na monarquia absolutista.

Por outro lado, o Estado liberal burguês é caracterizado pela representação das leis e seu aspecto normativo.

D) O conceito de mediação jurídica pressupõe a existência de um Estado, negado pelo texto.

E) Ainda que possa haver uma gestão coletiva da vida social, o texto não faz menção a nenhum tipo de obrigação dos indivíduos para com a comunidade.

Questão 6

(Enem/2016) Quanto mais complicada se tornou a produção industrial, mais numerosos passaram a ser os elementos da indústria que exigiam garantia de fornecimento. Três deles eram de importância fundamental: o trabalho, a terra e o dinheiro. Numa sociedade comercial, esse fornecimento só poderia ser organizado de uma forma: tornando-os disponíveis à compra. Agora eles tinham que ser organizados para a venda no mercado. Isso estava de acordo com a exigência de um sistema de mercado. Sabemos que em um sistema como esse, os lucros só podem ser assegurados se se garante a autorregulação por meios de mercados competitivos interdependentes.

POLANYI, K. A grande transformação: As origens de nossa época. Rio de Janeiro: Campus, 2000 (Adaptado).

A consequência do processo de transformação socioeconômica abordada no texto é a

A) expansão das terras comunais.
B) limitação do mercado como meio de especulação.
C) consolidação da força de trabalho como mercadoria.
D) diminuição do comércio como efeito da industrialização.
E) adequação do dinheiro como elemento padrão das transações.

Alternativa correta: C) consolidação da força de trabalho como mercadoria.

Com o processo de industrialização, todos os elementos da produção tornam-se propriedade e passam a ser precificados. Da mesma forma, a força de trabalho passa a ser compreendida e precificada de acordo com as regras do mercado, consolidando-se como mercadoria.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) No texto, o autor chama a atenção para a mudança ocorrida pelo processo de industrialização e o estabelecimento de uma economia de mercado. Nesse contexto, não há a expansão de terras comuns, que remetem ao período feudal.

B) A marca do período é justo o oposto, sendo a grande expansão do mercado e não a sua limitação.

D) A industrialização tende a expandir as relações comerciais, e não a diminuir.

E) No texto, afirma que mesmo o dinheiro deve estar adequado ao novo contexto produtivo.

Questão 7

(Enem/2016) Hoje, a indústria cultural assumiu a herança civilizatória da democracia de pioneiros e empresários, que tampouco desenvolvera uma fineza de sentido para os desvios espirituais. Todos são livres para dançar e para se divertir, do mesmo modo que, desde a neutralização histórica da religião, são livres para entrar em qualquer uma das inúmeras seitas. Mas a liberdade de escolha da ideologia, que reflete sempre a coerção econômica, revela-se em todos os setores como a liberdade de escolher o que é sempre a mesma coisa.

ADORNO, T HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

A liberdade de escolha na civilização ocidental, de acordo com a análise do texto, é um(a)

A) legado social.
B) patrimônio político.
C) produto da moralidade.
D) conquista da humanidade.
E) ilusão da contemporaneidade.

Alternativa correta: E) ilusão da contemporaneidade.

Para os autores, os indivíduos têm suas vidas cooptadas pela indústria cultural. Isto afeta todo o modo de viver, desumaniza os indivíduos e os transformam em aparelhos para a manutenção do sistema.
Essa coerção constante tende a ser amenizada ou camuflada pela ilusão de liberdade. A coerção não ocorre pela limitação das ações individuais como em outros períodos históricos, mas sim pelo controle das possibilidades escolha.
Os indivíduos são livres para escolher entre padrões de vida previamente determinados pelo sistema.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) A liberdade de escolha não se apresenta como um legado social pois foi é uma apropriação de uma classe dominante.
Essa classe inscreve dentro de sua ideologia as escolhas a serem realizadas gerando uma falsa sensação de liberdade.

B) A política se apresenta como um campo de disputa ideológico entre a ideologia dominante (hegemonia) e ações que realizam uma força antagônica (contra-hegemonia). A liberdade de escolha pode estar condicionada a essa disputa, não como um patrimônio, e sim como um momento.

C) A própria moralidade, assim como a liberdade, está condicionada a estrutura vigente por seu caráter cultural. A moral é uma construção pautada pelo hábito (costumes) de uma cultura em um tempo.
Para os autores, a moral deve estar orientada pela liberdade e não o contrário.

D) A humanidade se desenvolveu de forma a priorizar a atividade econômica. Com isso, a liberdade encontra-se subordinada às relações econômicas. As escolhas realizadas pelos sujeitos estão restritas a sua capacidade de consumir.

Questão 8

(Enem/2013) Vida social sem internet?

Charge de blog

A charge revela uma crítica aos meios de comunicação, em especial à internet, porque

A) questiona a integração das pessoas nas redes virtuais de relacionamento.
B) considera as relações sociais como menos importantes que as virtuais.
C) enaltece a pretensão do homem de estar em todos os lugares ao mesmo tempo.
D) descreve com precisão as sociedades humanas no mundo globalizado.
E) concebe a rede de computadores como o espaço mais eficaz para a construção de relações sociais.

Alternativa correta: A) questiona a integração das pessoas nas redes virtuais de relacionamento.

As relações do mundo de hoje se realizam em dois meios: o offline (relações tradicionais baseadas na convivência, e o on-line (relações e interações mediadas pelas redes sociais da internet). A tirinha questiona a supervalorização dos relacionamentos on-line em relação à vida offline.

As novas possibilidades de interação não substituem as anteriores. É preciso haver um trabalho educativo para que as pessoas possam, de fato, se apropriar das novas ferramentas de modo consciente e crítico.

As outras alternativas estão erradas porque:

B) Na verdade, a crítica apresentada na tirinha é inversa a essa alternativa, que diz que as interações sociais também são muito importantes.

As relações estabelecidas em um meio virtual são uma nova realidade e compõem um novo cenário social. Entretanto, é importante perceber o caráter multidimensional das relações humanas, sem sublimar uma forma de relação em detrimento da outra.

C) Sob a pretensão de estar em todos os lugares ao mesmo tempo, os indivíduos podem estar restritos apenas à atuação no mundo virtual. O espaço on-line da vida humana é caracterizado, para além da velocidade da troca de informação, pela mediação e controle por parte de grandes empresas e um forte apelo ao consumo.

D) A sociedade no mundo globalizado possui um caráter multidimensional, não se resume apenas em relações on-line e offline.

E) Um dos novos desafios impostos à sociedade está relacionado ao equilíbrio entre a atuação na rede e fora dela. É necessário perceber que é um momento de transição para uma nova perspectiva. Com isso, é necessário estar consciente de quais novidades representam verdadeiramente um avanço e quais podem ser apenas “efeitos colaterais” que devem ser controlados.

Questão 9

(Enem/2016) A sociologia ainda não ultrapassou a era das construções e das sínteses filosóficas. Em vez de assumir a tarefa de lançar luz sobre uma parcela restrita do campo social, ela prefere buscar as brilhantes generalidades em que todas as questões são levantadas sem que nenhuma seja expressamente tratada. Não é com exames sumários e por meio de intuições rápidas que se pode chegar a descobrir as leis de uma realidade tão complexa. Sobretudo, generalizações às vezes tão amplas e tão apressadas não são suscetíveis de nenhum tipo de prova.

DURKHEIM, E. O suicídio: estudo de sociologia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

O texto expressa o esforço de Émile Durkheim em construir uma sociologia com base na

A) vinculação com a filosofia como saber unificado.
B) reunião de percepções intuitivas para demonstração.
C) formulação de hipóteses subjetivas sobre a vida social.
D) adesão aos padrões de investigação típicos das ciências naturais.
E) incorporação de um conhecimento alimentado pelo engajamento político.

Alternativa correta: D) adesão aos padrões de investigação típicos das ciências naturais.

Para Durkheim, o método científico deve ser o mesmo, independente da área de atuação. Os fatos sociais (coisas) devem ser analisados com o mesmo distanciamento e imparcialidade que os objetos de estudo das ciências naturais.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) O que Durkheim pretende é, justamente, a separação do saber da sociologia, do saber filosófico. Para ele, a validade da sociologia depende de sua independência frente a outros saberes.

B) A sociologia é uma ciência baseada em dados empíricos e métodos para a sua análise.

C) Os fatos sociais devem ser estudados de maneira objetiva. Os objetos de estudos das ciências sociais devem ser tratados de forma semelhante aos objetos de outras ciências.

E) Para o autor, a sociologia como ciência tem a obrigatoriedade de ser imparcial. Por isso, o engajamento político, por sua parcialidade, inviabilizaria um projeto de construção científica.

Questão 10

(Enem/2017) A moralidade, Bentham exortava, não é uma questão de agradar a Deus, muito menos de fidelidade a regras abstratas. A moralidade é a tentativa de criar a maior quantidade de felicidade possível neste mundo. Ao decidir o que fazer, deveríamos, portanto, perguntar qual curso de conduta promoveria a maior quantidade de felicidade para todos aqueles que serão afetados.

RACHELS, J. Os elementos da filosofia moral. Barueri-SP: Manole, 2006.

Os parâmetros da ação indicados no texto estão em conformidade com uma

A) fundamentação científica de viés positivista.
B) convenção social de orientação normativa.
C) transgressão comportamental religiosa.
D) racionalidade de caráter pragmático.
E) inclinação de natureza passional.

Alternativa correta: D) racionalidade de caráter pragmático.

Os ideais iluministas trazem consigo a racionalidade e a Razão como força revolucionária ou de negação à perspectiva medieval de submeter a razão à fé.

O pensador inglês Jeremy Bentham (1748-1832), defensor do utilitarismo, propõe que a racionalidade esteja ancorada em sua relação com a prática e a utilidade, reforçando o caráter pragmático da razão.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) A visão positivista pressupõe a possibilidade de um método científico para a validade de um processo. O texto toma como valor fundamental a felicidade.

A felicidade não tende a ser um valor passível de quantificação através de um método, e sim do ponto de vista de oposição ao sofrimento. Por isso, não podemos associar uma visão positivista à ideia de “maior quantidade de felicidade”.

B) A afirmação contida no texto não se trata de uma convenção social, mas de uma norma que deve partir do próprio indivíduo enquanto ser social.

C) Por se tratar de um período com forte influência iluminista, há uma cisão com a moralidade fundamentada teologicamente. A proposta é sustentada sem nenhuma relação com a religião.

E) Apesar da felicidade remeter às emoções e poder ser compreendida em seu aspecto passional, a perspectiva assumida no texto possui um caráter unicamente racional. Não se trata de uma concepção baseada em inclinações ou fundamentadas na subjetividade, e sim como um universal racional.

Questão 11

(Enem/2019) A maior parte das agressões e manifestações discriminatórias contra as religiões de matrizes africanas ocorrem em locais públicos (57%). É na rua, na via pública, que tiveram lugar mais de 2/3 das agressões, geralmente em locais próximos às casas de culto dessas religiões. O transporte público também é apontado como um local em que os adeptos das religiões de matrizes africanas são discriminados, geralmente quando se encontram paramentados por conta dos preceitos religiosos.
REGO, L. F.; FONSECA, D. P. R.; GIACOMINI, S. M.. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2014.

As práticas descritas no texto são incompatíveis com a dinâmica de uma sociedade laica e democrática porque

A) asseguram as expressões multiculturais.
B) promovem a diversidade de etnias.
C) falseiam os dogmas teológicos.
D) estimulam os rituais sincréticos.
E) restringem a liberdade de credo.

Alternativa correta: E) restringem a liberdade de credo.

Uma sociedade laica é aquela que não possui uma religião oficial. Assim, há uma separação entre o Estado e a religião.

Por sua vez, dentro de uma sociedade democrática admiti-se a pluralidade de comportamentos, hábitos e culturas.

Desse modo, qualquer manifestação de intolerância religiosa ou restrição à liberdade de credo é incompatível com o princípio da laicidade, já que busca impor uma doutrina religiosa e da democracia por negar o direito de escolha.

As outras alternativas estão erradas por que:

A) Assegurar as expressões multiculturais é um dos objetivos das sociedades democráticas admitindo e preservando diversas formas de manifestação cultural, diferente dos relatos no texto.

B) Do mesmo modo, as práticas relatadas não promovem as diferenças étnicas.

C) Não estão a apontar como falsas as crenças ou dogmas de uma religião, estão impedindo violentamente uma prática religiosa.

D) Nos relatos também não há uma interação e influência entre religiões que marcaria um nível sincretismo.

Questão 12

(Enem/2019) A criação do Sistema Único de Saúde (SUS) como uma política para todos constitui-se uma das mais importantes conquistas da sociedade brasileira no século XX. O SUS deve ser valorizado e defendido como um marco para a cidadania e o avanço civilizatório. A democracia envolve um modelo de Estado no qual políticas protegem os cidadãos e reduzem as desigualdades. O SUS é uma diretriz que fortalece a cidadania e contribui para assegurar o exercício de direitos, o pluralismo político e o bem-estar como valores de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, conforme prevê a Constituição Federal de 1988.
RIZZOTO, M. L. F. et al. Justiça social, democracia com direitos sociais e saúde: a luta do Cebes. Revista Saúde em Debate, n. 116, jan.-mar. 2018 (adaptado).

Segundo o texto, duas características da concepção da política pública analisada são:

A) Paternalismo e filantropia.
B) Liberalismo e meritocracia.
C) Universalismo e igualitarismo.
D) Nacionalismo e individualismo.
E) Revolucionarismo e coparticipação.

Alternativa correta: C) Universalismo e igualitarismo.

No trecho, existem duas marcas importantes:

“A criação do Sistema Único de Saúde (SUS) como uma política para todos”, assim, o SUS foi criado com o objetivo de universalizar o acesso à saúde (universalismo).

“A democracia envolve um modelo de Estado no qual políticas protegem os cidadãos e reduzem as desigualdades”. Políticas públicas que visam reduzir as desigualdades possuem características do igualitarismo.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) O paternalismo é marcado pelo assistencialismo e pela restrição da liberdade e a filantropia é compreendida como um ato solidário e não como um direito garantido pelo Estado.

B) O liberalismo prega a diminuição de intervenção por parte do Estado, enquanto na meritocracia o direito está associado a uma lógica do merecimento, não é universal.

D) O nacionalismo tem como base o fortalecimento da nação e o individualismo prega que cada indivíduo é responsável por seu próprio cuidado.

E) O revolucionarismo prega uma mudança total das estruturas sociais e a coparticipação teria como característica a divisão da responsabilidade pelos encargos.

Questão 13

A soberania dos cidadãos dotados de plenos direitos era imprescindível para a existência da cidade-estado. Segundo os regimes políticos, a proporção desses cidadãos em relação à população total dos homens livres podia variar muito, sendo bastante pequena nas aristocracias e oligarquias e maior nas democracias.
CARDOSO, C. F. A cidade-estado clássica. São Paulo: Ática, 1985.

Nas cidades-estado da Antiguidade Clássica, a proporção de cidadãos descrita no texto é explicada pela adoção do seguinte critério para a participação política:

A) Controle da terra.
B) Liberdade de culto.
C) Igualdade de gênero.
D) Exclusão dos militares.
E) Exigência da alfabetização.

Alternativa correta: A) Controle da terra.

Nas primeiras organizações sociais, encontradas nas cidades-estado da Antiguidade Clássica, o poder estava associado aos bens, que antes da formação dos centros urbanos estava ligada diretamente à posse ou o controle da terra.

Assim, os proprietários de terra eram considerados cidadãos e lhes era facultado o direito à participação política, formando aristocracias e oligarquias.

Em casos mais específicos de democracia, como em Atenas, a possibilidade de participação é alargada, mas não se desliga totalmente das elites agrárias.

As outras alternativas estão erradas porque:

B) A liberdade de culto não era uma característica das sociedades antigas e não poderia ser um critério para a participação política.

C) Fundadas, em geral, por estruturas patriarcais, os homens eram compreendidos como o chefe do espaço privado (pai) e esse poder era transposto para o espaço público (cidadão). As mulheres, as crianças e os escravos não eram considerados cidadãos e não tinham o direito à participação.

D) Os militares, principalmente, de patentes mais altas não estavam excluídos da participação, desde que respeitados os critérios de cada cidade-estado.

E) Nas sociedades da Antiguidade, não havia uma número grande de cidadãos alfabetizados. Assim, a alfabetização não era um critério para a participação.

Questão 14

(Enem/2019) TEXTO I

Os segredos da natureza se revelam mais sob a tortura dos experimentos do que no seu curso natural.
BACON, F. Novum Organum, 1620. In: HADOT, P. O véu de Ísis: ensaio sobre a história da ideia de natureza. São Paulo: Loyola, 2006.

TEXTO II

O ser humano, totalmente desintegrado do todo, não percebe mais as relações de equilíbrio da natureza. Age de forma totalmente desarmônica sobre o ambiente, causando grandes desequilíbrios ambientais.
GUIMARÃES, M. A dimensão ambiental na educação. Campinas: Papirus, 1995.

Os textos indicam uma relação da sociedade diante da natureza caracterizada pela

A) objetificação do espaço físico.
B) retomada do modelo criacionista.
C) recuperação do legado ancestral.
D) infalibilidade do método científico.
E) formação da cosmovisão holística.

Alternativa correta: A) objetificação do espaço físico.

A concepção dos seres humanos como um ser apartado da natureza propicia a compreensão do espaço físico como um objeto.

Assim, os seres humanos compreendidos como sujeitos tomam para si a natureza como meio para alcançar seus interesses. Os interesses dos seres humanos, compreendidos como seres diferentes e superiores à natureza, tendem a ser conflitantes e causadores de desequilíbrios ambientais.

As outras alternativas estão erradas porque:

B) O modelo criacionista afirma os seres humanos também como criaturas distintas da natureza, mas não justificaria um desenvolvimento desarmônico com o meio ambiente.

C) Em geral, as perspectivas que visam recuperar um modo de vida ligado às características ancestrais dos seres humanos, estão preocupadas com o equilíbrio das atividades humanas em sua relação com a natureza.

D) Os dois textos apontam para a exploração da natureza para os propósitos humanos, mas não afirmam a infalibilidade do método científico.

E) Uma concepção que considere que o todo é maior que a soma de suas partes (concepção holística) compreende o universo (cosmos) em sua totalidade. Assim, os seres humanos são parte desse todo, exigindo um equilíbrio e formas de desenvolvimento sustentável.

Questão 15

(Enenm/2019) O cristianismo incorporou antigas práticas relativas ao fogo para criar uma festa sincrética. A igreja retomou a distância de seis meses entre os nascimentos de Jesus Cristo e João Batista e instituiu a data de comemoração a este último de tal maneira que as festas do solstício de verão europeu com suas tradicionais fogueiras se tornaram “fogueiras de São João”. A festa do fogo e da luz no entanto não foi imediatamente associada a São João Batista. Na Baixa Idade Média, algumas práticas tradicionais da festa (como banhos, danças e cantos) foram perseguidas por monges e bispos. A partir do Concílio de Trento (1545-1563), a Igreja resolveu adotar celebrações em torno do fogo e associá-las à doutrina cristã.
CHIANCA, L. Devoção e diversão: expressões contemporâneas de festas e santos católicos. Revista Anthropológicas, n. 18, 2007 (adaptado).

Com o objetivo de se fortalecer, a instituição mencionada no texto adotou as práticas descritas, que consistem em

A) promoção de atos ecumênicos.
B) fomento de orientações bíblicas.
C) apropriação de cerimônias seculares.
D) retomada de ensinamentos apostólicos.
E) ressignificação de rituais fundamentalistas.

Alternativa correta: c) apropriação de cerimônias seculares.

O fortalecimento ocorre através da ressignificação das práticas já recorrentes. Se essas manifestações continuam ocorrendo para além das proibições das instituições, pode caracterizar uma falha de seu poder ou sua influência.

Assim, as mesmas práticas quando passam a fazer parte do repertório das instituições, podem ser compreendidas não como uma oposição, mas como uma confirmação de seu poder.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) Os atos ecumênicos são caracterizados pela coexistência e convivência entre diferentes crenças. No texto, não há um viés de tolerância à multiculturalidade, e sim a manutenção de uma única doutrina.

B) O texto não relaciona a tomada de decisão pela incorporação das práticas tradicionais como tendo sua orientação nos escritos bíblicos.

D) Apesar da associação com a figura de João Batista, não há uma retomada dos ensinamentos apostólicos.

E) A ressignificação tratada no texto não ocorre sobre rituais que se encontram nos fundamentos da religião, e sim em ritos pagãos, fora da doutrina cristã.

Questão 16

No sistema capitalista, as muitas manifestações de crise criam condições que forçam a algum tipo de racionalização. Em geral, essas crises periódicas têm o efeito de expandir a capacidade produtiva e de renovar as condições de acumulação. Podemos conceber cada crise como uma mudança do processo de acumulação para um nível novo e superior.
HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005 (adaptado).

A condição para a inclusão dos trabalhadores no novo processo produtivo descrito no texto é a

A) associação sindical.
B) participação eleitoral.
C) migração internacional.
D) qualificação profissional.
E) regulamentação funcional.

Alternativa correta: D) qualificação profissional.

O sistema capitalista, como se apresenta, tem sua origem na revolução industrial e é marcado pela reorganização das forças produtivas. Atualmente, exige-se um nível cada vez maior de qualificação dos trabalhadores para atender às demandas mais sofisticadas da produção.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) A associação sindical não é uma condição para a inclusão dos trabalhadores dentro do processo produtivo. Por muitas vezes, essas organizações atuam como sendo antagônicas ao avanço do modelo de produção capitalista.

B) Do mesmo modo, a participação eleitoral não é uma condição para a sua inclusão no processo produtivo. Por exemplo, jovens a partir dos 14 anos podem ingressar no mercado de trabalho, mesmo ainda não tendo idade legal para a participação nas eleições.

C) A migração internacional pode ser um efeito das desigualdades entre diversos sistemas produtivos, mas não se configuram como uma condição para a inclusão no novo processo de produção.

E) A regulamentação profissional faz parte das práticas nos processos produtivos, em maior ou menor grau. Assim, não se trata exatamente da condição de inclusão, mas da orientação das práticas profissionais.

Questão 17

(Enem/2019) Em nenhuma outra época o corpo magro adquiriu um sentido de corpo ideal e esteve tão em evidência como nos dias atuais: esse corpo, nu ou vestido, exposto em diversas revistas femininas e masculinas, está na moda: é capa de revistas, matérias de jornais, manchetes publicitárias, e se transformou em sonho de consumo para milhares de pessoas. Partindo dessa concepção, o gordo passa a ter um corpo visivelmente sem comedimento, sem saúde, um corpo estigmatizado pelo desvio, o desvio pelo excesso. Entretanto, como afirma a escritora Marylin Wann, é perfeitamente possível ser gordo e saudável. Frequentemente os gordos adoecem não por causa da gordura, mas sim pelo estresse, pela opressão a que são submetidos.
VASCONCELOS, N. A.; SUDO, I.; SUDO, N. Um peso na alma: o corpo gordo e a mídia. Revista Mal-Estar e Subjetividade, n. 1, mar. 2004 (adaptado).

No texto, o tratamento predominante na mídia sobre a relação entre saúde e corpo recebe a seguinte crítica:

A) Difusão das estéticas antigas.
B) Exaltação das crendices populares.
C) Propagação das conclusões científicas.
D) Reiteração dos discursos hegemônicos.
E) Contestação dos estereótipos consolidados.

Alternativa correta: e) Contestação dos estereótipos consolidados.

O corpo cumpre a função de identificação dos indivíduos em diferentes sociedades. Ao longo do século XX, o corpo magro tornou-se o padrão e a meta a ser alcançada. Criou-se o estereótipo de associação do corpo magro ao corpo saudável e essa estrutura é contestada no texto.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) O texto mostra que a estética se altera ao longo da história. Assim, as estéticas antigas podem ser conflitantes, não sendo a base da crítica apresentada.

B) Não há no texto uma relação e crenças populares e sua compreensão do corpo ideal tratada pela mídia.

C) O tratamento dado à relação entre saúde e corpo dado pela mídia não se fundamenta exclusivamente em conclusões científicas, mas nos modelos da sociedade de consumo.

D) O texto não é uma reafirmação (reiteração) dos discursos dominantes na mídia (discursos hegemônicos), é ao contrário, um questionamento sobre esse modelo tradicional.

Questão 18

(Enem/2018) Figura 1

Ônibus de Rosa Parks

Figura 2

Rosa Parks

Esse ônibus relaciona-se ao ato praticado, em 1955, por Rosa Parks, apresentada em fotografia ao lado de Martin Luther King. O veículo alcançou o estatuto de obra museológica por simbolizar o(a)

A) impacto do medo da corrida armamentista.
B) democratização do acesso à escola pública.
C) preconceito de gênero no transporte coletivo.
D) deflagração do movimento por igualdade civil.
E) eclosão da rebeldia no comportamento juvenil.

Alternativa correta: D) deflagração do movimento por igualdade civil.

Em 1º de dezembro de 1955, Rosa Parks (figura 2), mulher negra, recusou-se a obedecer ordens de se levantar e ceder o assento a um homem branco no transporte público norte-americano (ônibus - figura 1).

Por conta de seu ato, Rosa Parks foi presa e tornou-se um símbolo da luta contra a segregação racial, impulsionando diversos movimentos sociais que visavam a igualdade civil, tendo como uma outra figura marcante Martin Luther King.

As outras questões estão erradas porque:

A) O veículo não está relacionado com a corrida armamentista travada durante a guerra-fria entre os EUA e a URSS.

B) Do mesmo modo, não há relação entre o simbolismo que o ônibus adquiriu e a democratização do acesso à escola pública.

C) Apesar de ter uma importante relação com as questões de gênero, os movimentos que ganharam força a partir do ato de Rosa Parks e assumiram o ônibus como símbolo, foram os relacionados às questões raciais.

E) Não há nenhuma relação entre a ação de Rosa Parks e um aumento da rebeldia no comportamento juvenil.

Questão 19

(Enem PPL/2019) O feminismo teve uma relação direta com o descentramento conceitual do sujeito cartesiano e sociológico. Ele questionou a clássica distinção entre o “dentro” e o “fora”, o “privado” e o “público”. O slogan do feminismo era: “o pessoal é político”. Ele abriu, portanto, para a contestação política, arenas inteiramente novas: a família, a sexualidade, a divisão doméstica do trabalho etc.
HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2011 (adaptado).

O movimento descrito no texto contribui para o processo de transformação das relações humanas, na medida em que sua atuação

A) subverte os direitos de determinadas parcelas da sociedade.
B) abala a relação da classe dominante com o Estado.
C) constrói a segregação dos segmentos populares.
D) limita os mecanismos de inclusão das minorias.
E) redefine a dinâmica das instituições sociais.

Alternativa correta: E) redefine a dinâmica das instituições sociais.

O movimento feminista, dentro de sua pluralidade, é marcado pela redefinição das dinâmicas sociais. A ideia de que as questões pessoais são também um reflexo e refletem no âmbito público trazem consigo uma significativa mudança na forma de se fazer e pensar a política.

A dominação masculina fundamentada no patriarcado exposta pelo feminismo transformou a forma de compreensão das relações humanas.

As outras alternativas estão erradas porque:

A) O feminismo fundamenta-se na ideia de equidade entre os gêneros. Assim, não visa inverter ou subverter os direitos de nenhum grupo social.

B) Para diversas correntes feministas, o Estado é a própria representação das classes dominantes. Desse modo, não existe um abalo nessa relação, já que não existe, propriamente, uma relação, e sim, uma única estrutura.

C) Como o objetivo do movimento é a equidade ou igualdade de gênero, não há segregação dos segmentos populares da sociedade. Há, na verdade, uma luta pelos direitos desses segmentos.

D) É justamente o oposto. O slogan “o pessoal é político” tinha como objetivo expandir os mecanismos de inclusão, para dar conta de grupos muitas vezes invisibilizados.

Questão 20

(Enem PPL/2019) O conhecimento é sempre aproximado, falível e, por isso mesmo, suscetível de contínuas correções. Uma justificação pode parecer boa, num certo momento, até aparecer um conhecimento melhor. O que define a ciência não será então a ilusória obtenção de verdades definitivas. Ela será antes definível pela prevalência da utilização, por parte dos seus praticantes, de instrumentalidades que o campo científico forjou e tornou disponíveis. Ou seja, cada progressão no conhecimento que mostre o caráter errôneo ou insuficiente de conhecimentos anteriores não remete estes últimos para as trevas exteriores da não ciência, mas apenas para o estágio de conhecimentos científicos historicamente ultrapassados.
ALMEIDA, J. F. Velhos e novos aspectos da epistemologia das ciências sociais. Sociologia: problemas e práticas, n. 55, 2007 (adaptado).

O texto desmistifica uma visão do senso comum segundo a qual a ciência consiste no(a)

A) conjunto de teorias imutáveis.
B) consenso de áreas diferentes.
C) coexistência de teses antagônicas.
D) avanço das pesquisas interdisciplinares.
E) preeminência dos saberes empíricos.

Alternativa correta: A) conjunto de teorias imutáveis.

Para o senso comum, a ciência, quando bem feita, desenvolve certezas que não podem ser alteradas, verdades definitiva, imutáveis.

Entretanto, como mostra o texto, a ciência se fundamenta na construção de um conhecimento mais valoroso e útil que o anterior. Esse mesmo conhecimento, em determinado momento, há de ser superado por outro e se tornará ultrapassado, dando continuidade ao processo.

As outras alternativas estão erradas porque:

B) De fato, na ciência há algum grau de consenso entre as diferentes áreas. As ciências sociais, por exemplo, utilizam-se de diversos saberes de diferentes áreas para a construção de seu conhecimento.

C) O senso comum é um conhecimento parcial caracterizado pela simplicidade do pensamento, assim não pode dar conta da complexidade da coexistência de teses antagônicas.

D) Do mesmo modo, o saber do senso comum não compreende a ciência como um conhecimento interdisciplinar.

E) Os saberes empíricos são os saberes do senso comum, não da ciência. Os saberes empíricos são baseados em uma percepção parcial da realidade e nos hábitos do cotidiano.

A ciência pode ou não tomar esses saberes como o ponto de partida para a construção do saber científico.

Continue estudando com os textos:

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestrando em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).