Atualidades que podem cair no Enem e no Vestibular 2018


Para prestar qualquer tipo de concurso é preciso estar bem informado.

Mas com tanta coisa para estudar nem sempre você consegue tempo para acompanhar as notícias. Por isso, selecionamos as atualidades do Brasil e do mundo que, com certeza, estarão presentes em alguma questão do Enem ou do vestibular, ou mesmo como tema de redação.

Atualidades no Brasil

1. Reforma trabalhista

Reforma trabalhista

No dia 11 de novembro de 2017 entrou em vigor a reforma trabalhista, cujo projeto de lei havia sido sancionado em julho pelo presidente Temer. As principais alterações consideram que:

  • Férias: podem ser divididas em até 3 vezes (antes havia a possibilidade de serem divididas em até 2 vezes)
  • Jornada de trabalho: até 12 horas diárias (antes, 8)
  • Grávidas e lactantes: podem trabalhar em locais que apresentem graus médio e leve de insalubridade (antes estavam proibidas dessa condição)
  • Tempo de deslocação: o tempo gasto para chegar ao trabalho por aqueles que têm dificuldades com meios de transporte em decorrência da falta de acesso não é contado como hora de trabalho (antes era).

2. Mobilidade urbana

Mobilidade urbana

O tema mobilidade urbana esteve em discussão em 2017. Isso porque o aumento da população leva à crescente dificuldade de deslocamento nas grandes cidades brasileiras e, em consequência, resulta em um grande desafio de gestão pública.

Dentre outros fatores, a qualidade do transporte coletivo leva ao uso preferencial dos transportes individuais. Essa atitude reverte em congestionamentos frequentes e aumenta a poluição no país.

Ao passo que o índice populacional aumenta, o registro de veículos também aumenta, chegando a existir 1 carro por cada 1,8 habitante em Curitiba. Essa é a capital com mais carros do Brasil.

Uma das soluções apresentadas é o rodízio, o qual é adotado em São Paulo. Nessa cidade, conforme o final das placas, há um dia da semana (em horários determinados) em que carros e caminhões não podem circular.

Além do rodízio, a deslocação por meio de bicicletas ou por transportes públicos são outras medidas que visam atenuar essa situação.

3. Operação Lava Jato

Operação Lava Jato

A operação Lava Jato é o maior escândalo de lavagem e desvio de dinheiro da história brasileira. Com ela, caiu a credibilidade internacional do Brasil. Ela envolve políticos, grandes empreiteiros e aquela que é uma das maiores petrolíferas do mundo e também a maior empresa estatal do Brasil, a Petrobras.

As empreiteiras combinavam os preços das obras simulando uma concorrência real. Isso fez com que as organizações envolvidas enriquecessem e, em contrapartida, resultou num grande prejuízo aos cofres públicos.

Descoberta em março de 2014, as investigações continuaram em 2017, ano que surge entre os investigados o nome do presidente Michel Temer.

4. Centenário da morte de Olavo Bilac

Centenário da morte de Olavo Bilac

Em 2018, completa-se 100 anos da morte do autor do nosso Hino à Bandeira e um dos escritores mais importantes do Parnasianismo no Brasil.

Olavo Bilac é conhecido como "Príncipe dos Poetas Brasileiros", título que recebeu em 1907. Além disso, é membro fundador da Academia Brasileira de Letras e patrono do serviço militar.

Defensor da obrigatoriedade do serviço militar, com outros intelectuais, fundou a Liga da Defesa Nacional. Tendo em conta o seu ideal cívico, o Dia do Reservista é comemorado no dia do seu nascimento, 16 de dezembro.

5. Operação Carne Fraca

Operação Carne Fraca

A operação Carne Fraca foi descoberta em março de 2017. Nela, grandes empresas brasileiras do ramo de carnes são investigadas pelo crime de adulteração de seus produtos, incluindo também os crimes de lavagem de dinheiro e outros.

O Brasil é um dos maiores produtores de carne do mundo. Segundo a investigação, a carne vendida em território nacional ou exportada para outros países não eram próprias para consumo.

Passando por licenças e fiscalizações irregulares as carnes eram submetidas a substâncias químicas que davam à carne vencida o aspecto de carne fresca. Além disso, para que ela pesasse mais, água era injetada nas peças de carne.

Em dezembro de 2017, o veterinário Flávio Cassou (que está preso) disse em depoimento que o deputado federal Sérgio Souza (PMDB-PR) recebia uma mesada de R$ 20 mil do esquema.

6. Intolerância

Intolerância

A intolerância tem sido um assunto constante quando se fala do mundo, especialmente no que respeita à xenofobia. Acontece que no Brasil a intolerância tem aumentado largamente em vários campos, passando de forma despercebida por alguns.

Não só a intolerância racial ou sexual, como a intolerância religiosa tem crescido no País. Ao passo que a diversidade religiosa aumenta, também aumenta esse tipo de discriminação entre os brasileiros.

Por isso, desde 2007, há um dia dedicado a esse tipo de intolerância - Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.

7. Crise econômica

Crise econômica

O governo conseguiu driblar a crise mundial a partir de 2008, no entanto, não conseguiu manter as medidas tomadas, o que provocou um grande desequilíbrio nas contas públicas. Eram essas medidas que estimulavam o consumo no Brasil.

Além de tudo isso, a situação é agravada pela desconfiança no Brasil pelos outros países, o que surge com os sucessivos escândalos de corrupção.

Para tentar salvar a situação, uma das propostas do governo anunciada em 2017 é a privatização de cerca de 57 estatais, dentre as quais da Eletrobras - Centrais Elétricas Brasileiras S.A., que tem sede no Rio de Janeiro.

No pacote ainda está incluída a privatização da Casa da Moeda.

Congonhas, o aeroporto doméstico da cidade de São Paulo, que estava incluído no pacote de privatizações, foi retirado da lista.

8. Reforma política

Reforma política

A reforma política está em análise. A proposta contempla mudança no sistema eleitoral, as coligações, o financiamento das campanhas eleitorais, entre outros.

Na mesa está a previsão do fim das coligações partidárias. O voto distrital acabaria com a eleição de deputados pelo sistema proporcional, que faz com que os mais votados de um partido elejam os menos votados. Assim, seriam eleitos apenas os mais votados.

Outra ideia é criar um fundo eleitoral destinado às campanhas. Na sequência, os horários eleitorais deixariam de ser transmitidos pela tv e pela rádio, sendo realocados para meios publicitários menos dispendiosos.

Na proposta ainda são citadas a adoção do voto facultativo, bem como a mudança do sistema de governo, de Presidencialismo para Parlamentarismo.

9. Condenação de Lula

Condenação de Lula

Em julho de 2017 o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado na Operação Lava Jato. Trata-se de uma ocorrência inédita na história do Brasil, uma vez que nenhum ex-presidente da república havia sido condenado antes.

A acusação decorre do recebimento de um apartamento triplex no Guarujá da Construtora OAS, S.A. como propina em troca de contratos com a Petrobras e da nomeação de diretores que favoreciam a empresa.

A pena de 9 anos e 6 meses de prisão foi aumentada para 12 anos e 1 mês após, em janeiro de 2018, tribunal ter condenado Lula em segunda instância pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Enquanto não se esgotarem todos os recursos, Lula aguarda em liberdade.

10. Sistema prisional brasileiro

Sistema prisional brasileiro

No início de 2017, mais de 100 detentos morreram em decorrência de guerras de facções dentro dos presídios. Logo no dia 1.º de janeiro, foram 60 mortes apenas no estado do Amazonas.

A situação levanta, mais uma vez, a discussão para o problema das condições e superlotação das penitenciárias no Brasil.

O Brasil é o país que tem a 4.ª maior população carcerária do mundo. Com mais de 600 mil presos, mais de 200 mil aguardam por julgamento. O número de vagas, no entanto, revela que há um déficit de 250 mil vagas, conforme dados de 2014.

11. Estupro

Estupro

O aumento no número de estupros no Brasil tem estado em discussão. Segundo dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), 45 460 pessoas foram vítimas de estupro no nosso país em 2015. A maior parte são crianças e adolescentes, vítimas de pessoas conhecidas por elas, inclusivamente parentes.

Em função desses dados, há muita discussão em torno do que se chama “cultura do estupro”, que é o fato de delegar a culpa da agressão à própria vítima.

Grande parte das pessoas acredita, por exemplo, que em muitas situações a vítima se expõe exibindo roupas que despertam a sensualidade.

Em 2016, um caso chocou o País. Uma adolescente de 16 anos foi estuprada por 30 homens no Rio de Janeiro.

12. Bullying

Bullying

De acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2015, a cada dez estudantes um é vítima de bullying no Brasil.

O bullying é a pressão psicológica ou atos de violência sofridos por colegas na escola. Esse tipo de atitude decorre principalmente em consequência da aparência física, classe social, cor da pele e preferência sexual.

Humilhados com frequência, os estudantes têm a tendência de se deixar intimidar, sofrendo calados por vergonha. Isso leva à desmotivação e redução no rendimento escolar.

13. Naufrágios

Naufrágio

Dois naufrágios chocaram o Brasil em agosto de 2017. Um aconteceu no dia 22 no Pará, quando uma lancha de passageiros (sem licença) levou mais de 20 pessoas à morte e vários desaparecidos.

Dois dias depois, na Bahia, fato semelhante aconteceu deixando 18 pessoas mortas. A lancha, que apresentava péssimas condições e que transportava 133 pessoas, virou 10 minutos depois de ter zarpado.

Os acidentes levantaram à discussão sobre a precariedade do transporte náutico no País.

Leia Transporte Fluvial e Transporte Marítimo.

14. Cotas sociais e raciais

Cotas sociais e raciais

O debate sobre as cotas tem estado em cima da mesa desde que a então presidente Dilma Rousseff sancionou o projeto de lei das cotas.

De acordo com a lei, uma percentagem das vagas no ensino superior devem ser reservadas para os alunos vindos da rede pública e para negros, pardos ou indígenas.

A USP anunciou a sua adesão ao sistema no seu concurso de vestibular 2018.

15. Massacre indígena

Massacre indígena

As autoridades brasileiras investigam um massacre indígena ocorrido em maio de 2017, o qual tem como suspeitos garimpeiros ilegais.

Além da investigação desse crime, também está em curso a investigação do massacre de pelo menos 10 índios flecheiros, forma como são conhecidos. Esse ocorreu em agosto do mesmo ano e suspeita-se que tenha sido ordenado por um produtor agrícola.

Ambos ocorreram numa tribo da Amazônia, onde os índios não têm contato com o homem branco. Isso porque a tribo é bastante isolada e o acesso somente é possível através de barco.

16. Fim da missão de Paz no Haiti

Minustah

No dia 31 de agosto de 2017 foi oficialmente encerrada a Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah). Iniciada em 2004, após 13 anos as Forças Armadas do Brasil deixam o país e a missão de paz que contou com tropas de 15 países e que foi liderada pelos brasileiros.

O objetivo da missão era restabelecer a estabilidade no Haiti na sequência da destituição do presidente que resultou numa grave crise de violência.

Nesse período, entretanto, o Haiti passou também por um terremoto que deixou cerca de 200 mil mortos e mais de 1 milhão de desabrigados.

Esta foi a primeira Missão de Paz das Nações Unidas comandada pelas Forças Armadas Brasileiras.

17. Eleições 2018

Eleições 2018

No dia 7 de outubro de 2018 os brasileiros votam para Presidente da República, governadores, senadores e deputados federais e estaduais.

Caso necessário, o segundo turno tem lugar no dia 28 de outubro.

Em fevereiro de 2018 peritos da Polícia Federal divulgaram nota a defender a impressão do voto após votação eletrônica. Essa seria uma forma de conferência que visa inibir as fraudes. A ideia, no entanto, é contestada pela procuradora-geral da República.

Atualidades no mundo

1. Donald Trump

Donald Trump tomou posse como o 45.º presidente dos Estados Unidos da América (EUA) no dia 20 de janeiro de 2017.

Durante a campanha, o seu discurso ficou marcado por xenofobia. Trump mostrou-se muito radical com o tema dos refugiados e com os vizinhos mexicanos, prometendo, inclusive, construir um muro na fronteira entre os EUA e o México, cuja construção de oito protótipos foram iniciados em setembro de 2017.

Dentre as suas decisões mais polêmicas, encontra-se a ordem executiva que o presidente assinou 7 dias depois da sua tomada de posse. "Protegendo a Nação da Entrada de Terroristas Estrangeiros nos Estados Unidos" é o nome da ordem que restringe a entrada de pessoas vindas de 7 países onde a religião predominante é o Islamismo.

Além disso, depois da reaproximação movida por Barack Obama entre EUA e Cuba, cujas relações haviam sido rompidas na década de 60, Trump cancelou o acordo. Na sequência, o Departamento do Comércio e do Tesouro dos EUA identificou dezenas de empresas cubanas com as quais a relação de negócios foi proibida.

2. Coreia do Norte

Em 2016 a Coreia do Norte voltou a ameaçar os EUA com o seu programa nuclear.

Segundo fontes, a ameaça de utilizar bombas nucleares é feita em resposta às sanções impostas pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) contra o país liderado por Kim Jong-un.

Além dos EUA, a Coreia também se manifesta contra o Japão, aliado americano.

A Coreia do Norte realizou seu sexto teste nuclear no dia 3 de setembro de 2017. Tendo sido o mais potente realizado, sua força equivale a 16 vezes a da primeira bomba atômica da história e que destruiu a cidade de Hiroshima.

No primeiro dia do ano de 2018, o líder coreano ameaça os EUA anunciando que o botão nuclear fica na sua mesa.

3. Guerra na Síria

Em 2017, os EUA atacou a Síria, agindo de forma contrária ao que Trump havia prometido. No mês de abril, o ataque aéreo americano deixou 15 mortos na Síria após o lançamento de 59 mísseis sobre a base aérea síria.

Segundo o governo americano, esse ato teria sido avançado em resposta ao ataque promovido pela Síria com armas químicas, o qual deixou dezenas de mortos.

O presidente sírio nega essa ação, no entanto, segundo investigadores de crimes de guerra da ONU as forças sírias já fizeram uso desse tipo de armas por mais de vinte vezes.

A Guerra na Síria teve início em 2011.

4. Brexit

Brexit, junção das palavras Britain (Bretanha) e exit (saída), é o nome usado para indicar a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

O processo teve início em junho de 2016 após o referendo que manifestou a vontade da maioria dos ingleses em abandonar o bloco econômico.

A situação é muito difícil e coloca em risco a estabilidade de toda a UE. Como consequência, todos os tratados feitos com o Reino Unidos deverão ser renegociados. É por isso que a negociação do Brexit pode durar 2 anos.

Apesar de suas consequências ainda não poderem ser calculadas, somente no início de 2017 já são milhares os imigrantes europeus expulsos do Reino Unido.

5. Refugiados

A perseguição e o terror vividos em situações de extrema intolerância levam o mundo a passar pela pior crise humanitária do século, segundo a ONU.

Principalmente com origem de países africanos e do Oriente Médio, são milhões os refugiados. A Guerra na Síria é das maiores situações que motivam a tentativa de ingresso em países europeus, a qual é feita via marítima em condições precárias.

Apesar de muito se falar sobre a crise dos refugiados na Europa, a grande maioria dos refugiados sírios partiram para países mais próximos. São exemplos Egito, Iraque, Jordânia, Líbano e Turquia.

6. Acordo de Paris

A saída dos EUA do Acordo de Paris foi uma das promessas feitas por Donald Trump, a qual cumpriu meses depois da sua tomada de posse.

O acordo que trata da mudança climática em decorrência da poluição da atmosfera havia sido ratificado pelo então presidente Barack Obama em 1995.

Até então, os EUA, um dos maiores poluidores mundiais, assumia o compromisso de fazer uma redução gradual na emissão de poluentes até 2025.

Quase 200 nações assinam esse acordo, excetuando-se, por exemplo a Síria.

7. Crise na Venezuela

A Venezuela é um dos maiores produtores de petróleo, no entanto, a drástica queda de preço no petróleo venezuelano foi um dos grandes propulsores da crise financeira no país, uma vez que é da importação que a economia da Venezuela se mantém.

Como consequência, a inflação disparou, ao mesmo tempo que os salários baixaram, dentre outros fatores que resultaram no empobrecimento da população.

Em função disso, a inibição do consumo tornou-se tão grave que a maior parte dos venezuelanos deixou de conseguir sequer comprar os bens de primeira necessidade.

Não há alimentos, nem medicamentos. Acresce a onda de violência. Em busca de condições melhores, os venezuelanos atravessam a fronteira para o Brasil, fato que preocupa a segurança nacional.

8. Atentados Terroristas

Em 2017 o mundo presenciou mais uma série de atentados, dentre os quais citamos:

Em abril, no metrô de São Petersburgo, na Rússia, um explosivo matou 14 pessoas, ferindo mais de 50. O atentado terá sido ordenado pela Al Qaeda.

Nesse mesmo mês, ataques explosivos em igrejas no Egito durante o Domingo de Ramos fizeram um total de 43 mortos e mais de 100 feridos. A responsabilidade dos ataques suicidas é conferida ao Estado Islâmico.

Em maio, após o show da cantora Ariana Grande em Manchester, aconteceu uma explosão no exterior do evento provocada por um homem bomba. Causando a morte de 22 pessoas e mais 60 feridas, o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) foram os responsáveis pelo ataque.

No mês seguinte, também no Reino Unido, várias pessoas foram atropeladas e esfaqueadas. Pelo menos 8 pessoas morreram, enquanto cerca de 48 ficaram feridas. Acredita-se que a autoria esteja a cargo do Estado Islâmico.

Em agosto foi a vez de Barcelona. Um atropelamento levou pelo menos 12 pessoas à morte e mais de 100 ficaram feridas. A autoria foi reivindicada pelo Estado Islâmico.

Nas proximidades do Natal, no dia 17 de dezembro, durante a missa de domingo em uma igreja metodista, um atentado suicida fez ao menos 5 mortos e 30 feridos no Paquistão.

9. Racismo nos EUA

Os EUA é conhecido por ser um país racista e xenófobo.

Em agosto, em Charlottesville (Virgínia), uma cidade caracterizada pela calma, foi palco de uma grande marcha de supremacistas brancos.

O grupo protestava contra a decisão da prefeitura de retirar a estátua do oficial militar norte-americano Robert E. Lee, a qual é considerada uma homenagem à escravidão.

Na marcha, uma pessoa morreu após ter sido propositalmente atropelada e várias pessoas ficaram feridas.

Na sequência dessa tragédia, a ONU recomenda a punição de todos os que incentivam crimes racistas nos EUA.

Leia também Racismo e Ku Klux Klan.

10. Os 100 anos do fim da Primeira Guerra

Em 2018 completa-se o centenário do fim da Primeira Guerra (1914-1918). Foi no dia 11 de novembro de 1918 que a rendição alemã foi assinada.

No ano seguinte, o Tratado de Versalhes impôs que a Alemanha, a principal derrotada e responsável pelos prejuízos causados, indenizasse a França.

Estima-se que cerca de 13 milhões de pessoas, entre soldados e civis, morreram nesse conflito, um dos que mais matou pessoas na história da humanidade.

11. Os 200 anos do nascimento de Karl Marx

Há 200 anos nasceu o alemão Karl Marx (1918-1833), o mais ilustre teórico socialista, que influenciou vários outros teóricos.

Marx foi um dos fundadores do socialismo científico e é o autor de O Capital, sua obra mais importante.

Faleceu no dia 14 de março de 1883 vítima de doença.

12. Os 100 anos do nascimento de Nelson Mandela

Em 2018, o mundo também comemora o centenário do nascimento do primeiro presidente negro da África do Sul, Nelson Mandela.

Nascido no dia 18 de julho de 1918, a principal figura na luta contra o Apartheid esteve preso durante 27 anos, até que, em 1994 foi eleito presidente da África do Sul, governando ate 1999.

Em 1993 foi agraciado com o Prêmio Nobel da Paz e faleceu 20 anos depois com 95 anos de idade.

13. Os 50 anos da morte de Martin Luther King

Há 50 anos morria um dos principais líderes negros, Martin Luther King.

Pastor batista, nasceu no dia 15 de janeiro de 1929 em Atlanta e morreu assassinado em 4 de abril de 1968, sendo desconhecida a autoria do crime.

Luther King, que pregava o amor ao próximo, é o autor do famoso discurso "Eu tenho um sonho", o qual foi proferido em 1963 para cerca de 250 mil pessoas em Washington.

Em 1964 foi condecorado com o Prêmio Nobel da Paz.

14. Furacão Irma

O furacão Irma distribuiu catástrofes pelos 14 locais em que passou, dentre os quais Antígua e Barbuda, Ilhas Virgens Britânicas e Estados Unidos

Formado no dia 30 de agosto, sua intensidade foi aumentando de forma bastante rápida. No dia 5 de setembro o furacão alcançou a categoria 5, com ventos que chegaram a atingir 300 quilômetros por hora. Essa classificação fez desse fenômeno o maior da história do Atlântico.

No dia 12 de setembro, Irma se dissipou. Milhões de pessoas foram evacuadas e mais de 60 morreram.

15. Atentado em Las Vegas

Na noite do dia 1 de outubro de 2017, 59 pessoas morreram em Las Vegas. Além dessas, mais de 500 ficaram feridas após um homem ter atirado do 32.º andar de um quarto de hotel para uma multidão que assistia um show num domingo à noite.

Trata-se do maior tiroteio em massa da história dos Estados Unidos. O atirador, Stephen Paddock, tinha 64 anos e foi encontrado morto no quarto de onde disparou com metralhadoras.

Apesar de o Estado Islâmico ter assumido a autoria do ataque, a polícia informou a suspeita de que o atirador teria agido sozinho.

16. Copa do Mundo 2018

Em 2018 acontece a 21ª edição da Copa do Mundo. Pela primeira vez, o evento esportivo tem lugar na Rússia, sendo disputado entre os dias 14 de junho e 15 de julho.

Mantendo a preocupação com o ambiente, o mascote da competição é um lobo. Seu nome, Zabivaka, significa "aquele que marca um gol", em russo.

A edição anterior, a Copa de 2014, foi disputada no Brasil. A Alemanha conquistou o título de tetracampeã ao ganhar a batalha final com a Argentina, enquanto o Brasil ficou na 4ª colocação.

17. Assédio sexual

Em outubro de 2017 um dos homens mais poderosos de Hollywood, o produtor Harvey Weinstein, foi acusado de ter abusado sexualmente de cerca de mulheres ao longo de aproximadamente 30 anos.

As vítimas, atrizes e funcionárias, mantiveram segredo com medo das consequências da denúncia, até que o jornal The New York Times denunciou o produtor, o qual foi demitido.

Depois dessa denúncia, novos casos de assédio foram revelados. Os mesmos envolvem atores premiados, além de um jornalista e outro produtor, todos eles demitidos ou afastados dos seus projetos profissionais.

Leia também: