Questões sobre desigualdade social

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Professor de Filosofia

A concentração de renda, a estratificação social e os preconceitos são formas de dividir a sociedade. Confira as questões sobre desigualdade social preparadas por nossos professores especialistas.

Questão 1

Os principais sistemas de estratificação podem ser divididos em quatro grupos diferentes, são eles:

a) escravidão, castas, estamentos e classe
b) castas, feudalismo, classe, hereditariedade
c) escravidão, estamentos, castas e nacionalidade
d) castas, classe, comuna e escravidão

Alternativa correta: a) escravidão, castas, estamentos e classe

Ao longo da história, muitos foram as formas de dividir e compor uma sociedade. Os indivíduos ocupam e desempenham papéis diferentes no tecido social. Esses grupos sociais são identificados pelas condições socioeconômicas semelhantes que criam divisões (estratos) e impedem ou dificultam a mobilidade social.

São elas:

  1. a escravidão - divisão da sociedade entre senhores e escravos em que não há mobilidade social.
  2. as castas - divisão social baseada em laços de parentesco e consanguinidade (endogamia). Nesse tipo de estratificação, os grupos sociais são fechados e restritos, não há mobilidade social, havendo uma hierarquização entre as castas fundamentada na ideia de maior ou menor grau de pureza.
  3. os estamentos - estratificação social comum no período feudal da Idade Média: nobreza, clero e servos. Consiste na divisão dos membros da sociedade em grupos restritos e hierárquicos baseados, geralmente, no conceito de honra. Ainda que seja possível, a mobilidade social é quase inexistente.
  4. as classes - estratificação moderna da sociedade, fundamentada no princípio de isonomia, em que todos são iguais perante as leis, não há qualquer impedimento legal para a mobilidade social. Entretanto, as estruturas dos sistemas tendem a gerar o que Bourdieu chamou de reprodução social: a manutenção da classe dominante como dominante sobre outra classe subalternizada.

Veja também: Sociedade Estamental.

Questão 2

Para o sociólogo Max Weber, os conflitos sociais seriam resultados das posições assimétricas que os indivíduos ocupam na sociedade.

Ele chamou de classe, estamento e partido às diferentes esferas:

a) política, comportamental e jurídica
b) econômica, social e política
c) jurídica, participativa e relacional
d) pública, privada e política.

Alternativa correta: b) econômica, social e política

Para o sociólogo Max Weber, a sociedade possuiria diversas divisões internas correlacionadas, mas não completamente excludentes.

Essas divisões seriam:

  • A classe para Weber, seguindo a lógica de Karl Marx, representaria a divisão econômica da sociedade.
  • Os estamentos estariam ligados à posição social (status) de um grupo social, baseado na honra e na tradição, não necessariamente ligada à questão financeira.
  • O partido, a divisão da sociedade ligado às tendencias e aos posicionamentos ideológicos e políticos.

Veja mais em: Max Weber.

Questão 3

"A estimativa do Banco Mundial é que cerca de 5,4 milhões de brasileiros atinjam a extrema pobreza, chegando ao total de 14,7 milhões de pessoas até o fim de 2020, ou 7% da população."

Os momentos de crise como a pandemia causada pelo coronavírus atingem de modo mais evidente aos mais pobres. Um dos fatores indicativos para definir a pobreza extrema está relacionado com a segurança alimentar. O indicador de segurança alimentar é referente ao (à):

a) segurança nos transportes de insumos agrícolas.
b) acesso físico e econômico à alimentação saudável e adequada.
c) condições para a reabertura do comércio de alimentos.
d) limpeza de produtos comprados em mercados para a eliminação do coronavírus.

Alternativa correta: b) acesso físico e econômico à alimentação saudável e adequada.

A segurança alimentar é um dos fatores de maior relevância para o enfrentamento das questões geradas pela desigualdade social.

A ONU fixou um valor para a definição de pobreza extrema que seria de 1,90 dólar por dia (cerca de 10 reais). Para a entidade, pessoas que vivem com menos que esse valor apresentam dificuldades em manter o mínimo para a sua subsistência: água potável, saneamento, moradia, acesso a medicamentos e alimentação segura.

Entenda melhor lendo: Pobreza no Brasil.

Questão 4

No Brasil, o 1% mais rico concentra 28,3% da renda total do país (no Catar essa proporção é de 29%). Ou seja, quase um terço da renda está nas mãos dos mais ricos. Já os 10% mais ricos no Brasil concentram 41,9% da renda total.

20 países com maior concentração de renda do mundo. Brasil é o segundo colocado.
Fonte: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/12/09/brasil-tem-segunda-maior-concentracao-de-renda-do-mundo-diz-relatorio-da-onu.ghtml (acessado em 28/07/2020 - 09:30)

A concentração de renda possui uma série de causas, no Brasil, dentre as principais estão:

a) privilégio das grandes empresas e do capital financeiro, baixos níveis de escolaridade e precarização do trabalho.
b) déficit produtivo, colonialismo e falta de investimentos estatais.
c) baixa circulação de capital, retração do produto interno bruto (PIB) e crise migratória.
d) desastres naturais, programas de redistribuição de renda e criação de paraísos fiscais.

Alternativa correta: a) privilégio das grandes empresas e do capital financeiro, baixos níveis de escolaridade e precarização do trabalho.

As desigualdades sociais podem assumir uma série de causas e efeitos gerando um ciclo de manutenção dessas estruturas.

No Brasil, há um histórico de pobreza que influencia a permanência das desigualdades.

Por um lado, um sistema de subsídios às grandes empresas busca aquecer a economia em um sistema top-down (de cima para baixo).

Esse modelo possui como obstáculo a concentração de renda, sobretudo no 1% mais rico da população, como mostra o estudo.

Isso impede que os investimentos impactem sobre as condições de vida das camadas mais pobres da população.

Por outro lado, a pobreza e a marginalização tendem a aumentar a informalidade ou a submissão a condições de trabalho precarizadas, impactando sobre as condições de subsistência das famílias. Os filhos dessas famílias tendem a entrar muito cedo no mercado de trabalho, sem qualificação, fazendo com que se reproduza o modelo.

Veja mais em: Desigualdade Social no Brasil.

Questão 5

Classificação de desigualdade social de acordo com o Coeficiente de Gini. Quanto maior o número, maior a desigualdade:

Ranking País Coeficiente de Gini
1

África do Sul

63
2 Namíbia 59,1
3 Zâmbia 57,1
4 República Centro-Africana 56,2
5 Lesoto 54,2
6 Moçambique 54
7 Brasil 53,3
8 Botsuana 53,3
9 Suazilândia 51,5
10 Santa Lúcia 51,2

Fonte: https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2019/12/09/brasil-e-o-7-mais-desigual-do-mundo-melhor-apenas-do-que-africanos.htm (acessado em 28/07/2020 - 10:30)

Um dos principais indicadores para avaliar a desigualdade nos países é o coeficiente de Gini. Nesse cálculo estão relacionados:

a) o IDH em relação aos os índices de desemprego.
b) a proporção média de renda acumulada em relação ao todo da população.
c) a produção agrícola em relação à balança comercial.
d) a renda per capita em relação ao produto interno bruto (PIB).

Alternativa correta: b) a proporção média de renda acumulada em relação ao todo da população.

O coeficiente de Gini, utilizado para medir o nível de desigualdade de uma população é calculado a partir da acumulação de renda média da população.

Assim, as sociedades mais desiguais são aquelas em que uma pequena parte da população acumula a maior parte da renda. Quanto menor essa parcela da população e quanto maior for a porção da renda total acumulada por esse grupo, maior o índice de desigualdade.

Entenda melhor em: Desigualdade social.

Questão 6

Ranking mundial do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH):

Ranking País IDH
1 Noruega 0.954
2

Suíça

0,946
3

Irlanda

0,942
4

Alemanha

0,939
5

Hong Kong (China)

0,939

42

Chile 0,847

48

Argentina 0,830

57

Uruguai 0,808

79

Brasil 0,761

189

Níger 0,377

O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é um indicador que considera três fatores fundamentais. São eles:

a) segurança, habitação e saúde
b) saúde, transportes e sustentabilidade
c) segurança, educação e infra-estrutura
d) educação, saúde e economia

Alternativa correta: d) educação, saúde e economia

Criado em 1990 pelos economistas Amartya Sen e Mahbub ul Haq, o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é utilizado pela ONU para medir de forma comparativa o desenvolvimento social dos países.

O índice varia entre 1 (perfeito) e 0 (muito ruim) e tem como critérios:

  • Educação - escolaridade média da população e acesso ao ensino;
  • Saúde - expectativa média de vida;
  • Economia - PIB (produto interno bruto) per capta (média por pessoa).

Saiba mais em: Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Questão 7

O programa Bolsa Família, criado em 2003, é um programa de transferência de renda que reuniu outros auxílios existentes. Atualmente, o valor médio recebido por família é de R$ 191. É incorreto afirmar que o programa tem o objetivo de:

a) reduzir as taxas de mortalidade infantil
b) reduzir os índices de evasão escolar
c) garantir o acesso a serviços essenciais
d) reduzir a migração interna no país

Alternativa correta: d) reduzir a migração interna no país

O programa Bolsa Família promulgado pela lei nº 10.836, de 9 de janeiro de 2004 é um programa de transferência de renda, tem como objetivo principal, garantir o acesso a serviços essenciais, reduzir a fome e os índices de mortalidade entre a população mais pobre.

Para buscar reduzir os índices de evasão escolar, está previsto na lei alguns critérios relativos à frequência de crianças e jovens na escola.

Entretanto, não há na lei nehuma intenção de reduzir ou impedir a migração interna no país, ainda que isso possa acontecer como um efeito secundário.

Veja também: Inclusão Social.

Questão 8

taxa de mortalidade no Brasil segundo o IBGE
Fonte: IBGE/DPE/Departamento de População e Indicadores Sociais. Divisão de Estudos e Análises da Dinâmica Demográfica. Projeto UNFPA/BRASIL (BRA/98/P08) - Sistema Integrado de Projeções e Estimativas Populacionais e Indicadores Sócio-demográficos.

De acordo com os dados apresentados pelo IBGE sobre as taxas de mortalidade infantil no Brasil, é incorreto afirmar que:

a) na região Nordeste os índices de mortalidades são mais elevados.
b) no Brasil, a mortalidade infantil atinge mais fortemente à população preta e parda.
c) a região Sul apresenta os menores índices de mortalidade.
d) as crianças do sexo masculino até os 5 anos apresentam uma taxa de mortalidade inferior às do sexo feminino.

Alternativa correta: d) as crianças do sexo masculino até os 5 anos apresentam uma taxa de mortalidade inferior às do sexo feminino.

Os dados mostram que os índices de mortalidade são maiores entre as crianças do sexo masculino.

Leia também: Mortalidade Infantil.

Questão 9

Mapa do Brasil com os índices de acesso à coleta de esgoto por estado
(Acessado em: https://www.aosfatos.org/noticias/o-saneamento-basico-no-brasil-em-6-graficos/, 07/08/2020)

O saneamento básico é um dos maiores problemas de saúde em todo mundo. Segundo a ONU, "o direito à água potável e ao saneamento básico é um direito humano essencial para o pleno desfrute da vida e de todos os direitos humanos.”

No Brasil, 48% da população não possui sistema de coleta de esgoto. Isso impacta em diversos índices relacionados à saúde pública e é uma marca da desigualdade na sociedade Brasileira.

Pode-se afirmar que:

a) os impactos na saúde causados pela ausência de coleta de esgoto afetam a população mais rica e a mais pobre da mesma maneira.
b) as populações dos grandes centros urbanos sofrem igualmente com a falta de coleta de esgoto.
c) menos de 20% da população do Piauí possui serviço de coleta de esgoto.
d) na região Sudeste mais de 60% da população possui serviço de coleta de esgoto.

Alternativa correta: c) menos de 20% da população do Piauí possui serviço de coleta de esgoto.

Os dados mostram que o estado do Piauí, na região Nordeste do país, apresenta o menor índice de coleta de esgoto, de acordo com a legenda, abaixo de 20%.

Os dados do estado do Piauí apontam para apenas 7% dos domicílios com coleta de esgoto.

Veja também: Esgoto.

Questão 10

Acompanhe o gráfico:
gráfifo sobre a desigualdade de salários entre homens e mulheres

O gráfico acima demonstra um forte desequilíbrio entre os salários recebidos por homens e mulheres.

O mesmo estudo ainda afirma que apesar das mulheres ganharem menos que os homens trabalham mais: 54,4 horas semanais, contra 51,4, dos homens.

Segundo o IBGE, essa diferença se deve a dois fatores principais:

  1. A responsabilização das mulheres sobre o trabalho doméstico que as obrigam a assumir empregos com horários mais flexíveis para que possam conciliar as tarefas.

  2. O preconceito contra a mulher refletido nas contratações para cargos de chefia e gerência.

Esses estudos evidenciam que no Brasil ainda há uma forte desigualdade:

a) de gênero
b) de religiosa
c) racial
d) jurídica

Alternativa correta: a) de gênero

A desigualdade de gênero é caracterizada pela diferenciação e hierarquização fundamentada estritamente nas questões relativas às diferenças percebidas entre os sexos e a um papel social atribuído.

Assim, como mostra o estudo, uma parte das mulheres são preteridas para ocupar postos de trabalho pelo simples fato de serem mulheres.

Por outro lado, há uma cultura que relaciona às mulheres as tarefas ligadas ao cuidado, muitas vezes são formas de trabalho não-remunerado, como, por exemplo, o trabalho doméstico.

Veja também: Tipos de Preconceito.

Questão 11
Encarceramento no Brasil por raça cor e etnia

Segundo os dados do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), a população carcerária no Brasil é majoritariamente negra (64% contra 35% de brancos). Esses dados não correspondem à proporção de negros e brancos da população brasileira. Com base na pesquisa, é incorreto afirmar que:

a) não existe distinção entre raças no Brasil.
b) a proporção de pessoas negras no sistema prisional supera a de pessoas brancas.
c) há um maior índice de encarceramento de pessoas negras.
d) no Brasil, quase dois terços da população carcerária é negra.

Alternativa correta: a) não existe distinção entre raças no Brasil.

Os dados mostram um recorte racial do sistema prisional no Brasil, reflexo de uma estrutura de desigualdade racial que coloca em questão o mito da democracia racial brasileira.

Sendo assim, é incorreto afirmar que não existe distinção entre as raças e/ou etnias no país. Diversos estudos recentes apontam para o conceito desenvolvido por Silvio Luiz de Almeida, o racismo estrutural.

Estudos de movimentos raciais apontam para o fato de que no sistema judiciário, os jovens negros possuem uma tendência maior à condenação em relação a jovens brancos.

Entenda melhor em: Democracia Racial.

Para continuar estudando, acesse:

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestre em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).