Função sintática

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora licenciada em Letras

O que é função sintática?

Função sintática é o papel que cada um dos termos da oração desempenha em relação aos outros. Em sintaxe, os termos da oração podem ser:

Essenciais: sujeito e predicado.

Integrantes: complemento verbal, complemento nominal e agente da passiva.

Acessórios: adjunto adverbial, adjunto adnominal, aposto e vocativo.

Exemplo 1: Pessoal, no Brasil, nosso amado país, alunos e professores protestam contra a falta de condições educacionais.

  • Sujeito: alunos e professores
  • Predicado: protestam contra a falta de condições educacionais
  • Complemento verbal (objeto indireto): contra a falta
  • Complemento nominal: de condições
  • Adjunto adverbial: no Brasil
  • Adjunto adnominal: educacionais
  • Aposto: nosso amado país
  • Vocativo: Pessoal

Exemplo 2: Nosso amado país, o Brasil, protesta contra a falta de pessoal docente.

  • Sujeito: Nosso amado país.
  • Predicado: protesta contra a falta de pessoal docente.
  • Aposto: o Brasil.
  • Complemento verbal (objeto indireto): contra a falta.
  • Complemento nominal: de pessoal.
  • Adjunto adnominal: docente.

Repare que no exemplo 1 “nosso amado país” desempenha a função de aposto, porque amplia o termo “Brasil”, mas no exemplo 2, “nosso amado país” desempenha a função de sujeito, porque é o termo sobre o qual se fala.

Sujeito

O sujeito é aquele ou aquilo de que(m) se fala: O médico recomendou descanso.

Predicado

O predicado é informação referente ao sujeito: O grupo decidiu participar na São Silvestre.

Complemento verbal

O complemento verbal completa o sentido dos verbos: Ofereceram presentes às crianças.

Complemento nominal

O complemento nominal completa o sentido dos nomes (substantivos, adjetivos e advérbios) constantes na oração: Tenho medo da sua reação.

Agente da passiva

O agente da passiva indica quem sofre a ação indicada pelo verbo: Foi subornado pelo candidato.

Adjunto adverbial

O adjunto adverbial modifica o verbo indicando circunstâncias de causa, intensidade, lugar, modo, por exemplo: Os atletas se esforçaram muito.

Veja também: Exercícios sobre adjunto adverbial (com gabarito comentado)

Adjunto adnominal

O adjunto adnominal caracteriza ou determina um substantivo: A bonita obra ficou esquecida no museu.

Aposto

O aposto explica um nome a que se refere: Campos de Jordão, a Suíça brasileira, é um dos principais destinos turísticos do Brasil.

Vocativo

O vocativo é o termo independente que é usado para chamar alguém ou algo: Amor, tente chegar mais cedo.

Para você entender melhor: Análise sintática

Exercícios de função sintática

1. (Mackenzie-2004) Ornemos nossas testas com as flores, e façamos de feno um brando leito;
prendamo-nos, Marília, em laço estreito,
gozemos do prazer de sãos amores (...)
(...) aproveite-se o tempo, antes que faça
o estrago de roubar ao corpo as forças
e ao semblante a graça.

(Tomás Antônio Gonzaga)

No poema, roubar exigiu objeto direto e indireto. Assinale a alternativa que contém verbo empregado do mesmo modo.

a) Ele insistiu comigo sobre a questão da assinatura da revista.
b) Emendou as peças para formar o desenho de uma casa.
c) Encontrou ao fim do dia o endereço desejado.
d) Eles alinharam aos trancos a ferragem da bicicleta.
e) Só ontem avisou-me de sua viagem.

Alternativa e: Só ontem avisou-me de sua viagem.

Roubar é um verbo que exige complemento, logo é verbo transitivo. “ao corpo” é objeto indireto, porque vem acompanhado de preposição obrigatória, enquanto “as forças” é objeto direto, porque ele completa o sentido do verbo sem a necessidade de preposição.

O mesmo acontece na oração “Só ontem avisou-me de sua viagem.”. Avisar é um verbo que exige complemento, logo é verbo transitivo. “me” é objeto direto, porque ele completa o sentido do verbo sem a necessidade de preposição (avisar alguém), enquanto “de sua viagem” é objeto indireto, porque vem acompanhado de preposição obrigatória (avisar alguém SOBRE algo).

2. (FGV-2003) Assinale a alternativa em que o pronome você exerça a função de sujeito do verbo destacado.

a) Cabe a você alcançar aquela peça do maleiro.
b) Não enchas o balão de ar, pois ele pode ser levado pelo vento.
c) Ao chegar, vi você perambulando pelo shopping center da Mooca.
d) Ei, você, posso entrar por esta rua?
e) Na Estação Trianon-Masp desceu a Angelina; na Consolação, desceu você.

Alternativa a: Cabe a você alcançar aquela peça do maleiro.

Se mudarmos a ordem da oração, percebemos mais facilmente a função do pronome você: Você desceu na estação Consolação.

3. (Mackenzie-2002) Cuido haver dito, no capítulo XIV, que Marcela morria de amores pelo Xavier. Não morria, vivia. Viver não é a mesma coisa que morrer; assim o afirmam todos os joalheiros deste mundo, gente muito vista na gramática. Bons joalheiros, que seria do amor se não fossem os vossos dixes* e fiados? Um terço ou um quinto do universal comércio dos corações. (…) O que eu quero dizer é que a mais bela testa do mundo não fica menos bela, se a cingir um diadema de pedras finas; nem menos bela, nem menos amada. Marcela, por exemplo, que era bem bonita, Marcela amou-me (…) durante quinze meses e onze contos de réis; nada menos.

* Dixes: joias, enfeites

Machado de Assis - Memórias póstumas de Brás Cubas

Assinale a alternativa correta sobre o texto.

a) Em morria de amores pelo Xavier, de amores tem a função de adjunto adverbial de intensidade.
b) Em assim o afirmam todos os joalheiros, o pronome oblíquo o retoma o período Não morria, vivia.
c) Em assim o afirmam todos os joalheiros, joalheiros é complemento do verbo afirmar.
d) O narrador surpreende o leitor ao utilizar o aposto gente muito vista na gramática para caracterizar joalheiros.
e) Ao dizer Não morria, vivia, o narrador, através de uma antítese, confirma que Marcela padecia de amores por Xavier.

Alternativa d: O narrador surpreende o leitor ao utilizar o aposto gente muito vista na gramática para caracterizar joalheiros.

O aposto é um termo acessório da oração, que é utilizado para explicar, ampliar, caracterizar outro termo.

4. (UEL-1994) Relativamente "a esse assunto", tenho muito que dizer. A expressão entre aspas na frase anterior classifica-se, sintaticamente, como:

a) objeto indireto.
b) adjunto adverbial.
c) adjunto adnominal.
d) objeto direto preposicionado.
e) complemento nominal.

Alternativa e: complemento nominal.

“A esse assunto” completa o sentido do advérbio “relativamente”, por isso ele tem a função de complemento nominal.

5. (FGV-2004) Assinale a alternativa em que a oração destacada funciona como sujeito do verbo da oração principal.

a) Não queria que José fizesse nenhum mal ao garoto.
b) Não interessa se o trem solta fumaça ou não.
c) As principais ações dependiam de que os componentes do grupo tomassem a iniciativa.
d) Era uma vez um sapo que não comia moscas.
e) Nossas esperanças eram que a viatura pudesse voltar a tempo de sair atrás do bandido.

Alternativa b: Não interessa se o trem solta fumaça ou não.

Esta é uma oração subordinada substantiva subjetiva, porque exerce a função de sujeito da oração principal “Não interessa”.

Atualizado em
Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.