Análise Sintática

Márcia Fernandes

A análise sintática é a parte da gramática que estuda a função e a ligação de cada elemento que forma um período.

Há também a análise morfológica. Essa é a parte da gramática que estuda individualmente cada elemento que forma um enunciado linguístico, ou seja, independentemente da sua função.

A análise morfossintática, por sua vez, analisa os elementos do mesmo enunciado linguístico sintática e morfologicamente.

Termos da oração

A oração é dividida de acordo com a função que exerce. Essa divisão é feita através de termos, os quais podem ser essenciais, integrantes ou acessórios.

Termos Essenciais da Oração

Os termos essenciais são os termos básicos, que geralmente formam uma oração. Trata-se do sujeito e do predicado. Vale lembrar que nem sempre a oração tem sujeito.

Sujeito

O sujeito é alguém ou alguma coisa sobre a qual é dada uma informação. O núcleo do sujeito é a palavra que tem mais importância, é o principal termo contido no sujeito.

Exemplos:

  • Uma pessoa ligou, mas não quis se identificar. (pessoa é o núcleo do sujeito Uma pessoa)
  • O casal saiu para jantar. (casal é o núcleo do sujeito O casal)

O sujeito pode ser:

Determinado quando é identificado na oração ou Indeterminado quando não é possível identificá-lo, por exemplo, se o verbo não se refere a alguém determinado na oração.

Os sujeitos determinados, por sua vez, se dividem em:

Simples quando tiver apenas um núcleo.
ou
Composto quando tiver dois ou mais núcleos.

Nem sempre o sujeito está expresso na oração. Quando isso acontece, estamos diante do sujeito oculto, elíptico ou desinencial.

Exemplos:

  • Está um calor! (oração sem sujeito)
  • Estão chamando aí à porta. (sujeito indeterminado)
  • A Ana acabou de chegar. (sujeito simples)
  • Caderno, lápis e borracha estão na mochila. (sujeito composto)
  • Agi conforme suas orientações. (sujeito oculto: eu)

Predicado

O predicado é a informação que se dá sobre o sujeito. Ao identificar o sujeito da oração, todo o resto faz parte do predicado.

Predicação Verbal

Verbos Intransitivos

Os verbos intransitivos não necessitam de complemento porque têm sentido completo.

Verbos Transitivos

Os verbos transitivos necessitam de complemento porque não têm sentido completo.

Exemplos:

  • Acordei! (verbo intransitivo)
  • O velhinho morreu ontem. (verbo intransitivo)
  • Vou preparar o jantar. (verbo transitivo)
  • O velhinho contou uma história. (verbo transitivo)

Verbos de Ligação

Os verbos de ligação não indicam uma ação, mas sim uma forma de estar.

Exemplos:

  • Esta matéria é extensa.
  • O estudante está com atenção.

O Predicativo do sujeito e o Predicativo do objeto são complementos que informam algo ou atribuem uma característica a respeito do sujeito ou do objeto. Esse complemento pode seguir (ou não) um verbo de ligação.

Exemplos:

  • Esta matéria é extensa. (extensa=predicativo do sujeito)
  • O rapaz brigou e deixou a namorada infeliz. (infeliz=predicativo do objeto)

Termos Integrantes da Oração

Complemento Verbal

Os complementos verbais são os termos utilizados para completar o sentido dos verbos transitivos.
Assim, os verbos transitivos subdividem-se em:

  • Transitivos Diretos – exigem complemento sem preposição obrigatória (Objeto Direto).
  • Transitivos Indiretos – exigem complemento com preposição (Objeto Indireto).
  • Transitivos Diretos e Indiretos - exigem dois complementos, um sem e um com preposição. (Objeto Direto e Indireto).

Exemplos:

  • Ganhei flores. (verbo transitivo direto)
  • Preciso de um bom café. (verbo transitivo indireto)
  • Ganhei flores do João. (verbo transitivo direto e indireto)

Complemento Nominal

O complemento nominal é o termo utilizado para completar o sentido de um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio).

Exemplos:

  • Os idosos têm necessidade de afeto.
  • A professora estava orgulhosa dos seus alunos.

Agente da Passiva

Agente da passiva é o termo que indica quem executa a ação, na voz passiva e vem sempre seguido de preposição.

Exemplos:

  • O bolo foi feito por mim. (por mim é o agente da passiva. Na voz ativa a oração seria: Eu fiz o bolo.)
  • Os índios foram catequizados pelos jesuítas. (pelos jesuítas é o agente da passiva. Na voz ativa a oração seria: Os jesuítas catequizaram os índios.)

Termos Acessórios da Oração

Os termos acessórios são os termos dispensáveis e são utilizados para determinar, caracterizar, explicar ou intensificar.

Adjunto Adnominal – caracteriza um substantivo, agente da ação, através de adjetivos, artigos, numerais, pronomes ou locuções adjetivas.

Exemplos:

  • O homem educado cedeu a sua cadeira à senhora de idade. (educado, sua, de idade = adjunto adnominal)
  • A economia do Brasil vai de vento em popa. (do Brasil = adjunto adnominal)

Adjunto Adverbial – se refere a um verbo ou a um advérbio e indica uma circunstância.

Exemplos:

  • Canta lindamente. (lindamente = adjunto adverbial)
  • Cheguei cedo. Vim de bicicleta. (cedo e de bicicleta = adjunto adverbial)

Aposto - tem a função de explicar um substantivo.

Exemplos:

  • Sábado, dia sete, não haverá aula de música. (dia sete = aposto)
  • O melhor do carnaval: alegria e disfarce das crianças. (alegria e disfarce das crianças = aposto)

Leia Função Sintática.

Agora que você já sabe tudo sobre Análise Sintática, aprenda também Análise Morfológica e Análise Morfossintática.

Exercícios

Vamos pôr em prática o conteúdo estudado acima e analisar sintaticamente os enunciados abaixo:

1. Falam muito mal dela, agora fingem-se seus amigos fiéis.

Aqui temos um período formado por duas orações:
1.ª oração: Falam muito mal dela,
2.ª oração: agora fingem-se seus amigos fiéis.
Portanto, trata-se de um período composto.

O sujeito é indeterminado nas duas orações. Não se pode ou não se quer identificar o sujeito sobre o qual estão sendo dadas as informações: Falam (quem?), fingem-se (quem?)

Vamos analisar a função de cada elemento do predicado da 1.ª oração:

  • Falam (o que ou sobre o que falam?) – uma vez que precisa de complemento, estamos diante de um verbo transitivo.
  • muito mal – são adjuntos adverbiais. Muito, de intensidade e mal, de modo.
  • dela – uma vez que complemente o sentido de um advérbio, trata-se de complemento nominal.

Agora, vamos analisar a função de cada elemento do predicado da 2.ª oração:

  • Fingem-se (do que fingem-se?) – uma vez que precisa de complemento, estamos diante de um verbo transitivo.
  • seus amigos – o sentido é completado sem a necessidade de preposição, logo o objeto é direto.
  • fiéis – caracteriza o substantivo amigos, logo é um adjunto adnominal.

2. As marchinhas, as cantadas por Carmem Miranda, eram maravilhosas.

Aqui temos um período simples. O enunciado é formado por apenas uma oração.

O sujeito é simples: As marchinhas. O núcleo do sujeito é marchinhas.

Vamos analisar a função de cada elemento do predicado:

  • as cantadas por Carmem Miranda – está identificando as marchinhas, assim, estamos diante de um aposto.
  • eram – uma vez que indica um estado, é um verbo de ligação
  • maravilhosas – uma vez que complementa o sujeito, estamos diante de um predicativo do sujeito.

3. Meu avô e minha avó morreram felizes.

Temos um período simples. O enunciado é formado por apenas uma oração.

O sujeito é composto: Meu avô e minha avó. O núcleo do sujeito é avô e avó.

Vamos analisar a função de cada elemento do predicado:

  • morreram – esse verbo tem sentido completo, por isso, é um verbo intransitivo.
  • felizes - uma vez que complementa o sujeito, estamos diante de um predicativo do sujeito.
Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.