Polinização

Lana Magalhães

A polinização consiste na transferência do pólen da parte masculina da flor (antera) para a parte feminina (estigma).

A polinização representa o processo reprodutivo dos vegetais superiores. É através da polinização que ocorre a fecundação e consequentemente, a formação de frutos e sementes que irão originar novas plantas.

Como acontece a polinização?

A polinização pode ocorrer de forma direta, em um processo chamado de autopolinização. Nessa situação, o grão de pólen cai sobre o estigma da própria flor que o originou, resultando em autofecundação.

Esse forma de polinização não é muito vantajosa em termos evolutivos e de diversidade, pois impede a variabilidade genética. Por isso, algumas espécies possuem mecanismos para evitar a autopolinização.

A polinização também pode ocorrer de forma indireta ou cruzada. Nesse caso, o grão de pólen é transportado de uma flor para outra da mesma espécie. Essa forma de polinização permite a variabilidade genética, sendo mais vantajosa.

Para que ocorra a polinização cruzada é necessária a presença de um agente polinizador. Ele é o responsável pela transferência do pólen entre as partes masculinas e femininas da flor.

Os agentes polinizadores podem ser componentes bióticos ou abióticos. Entre os componentes bióticos estão abelhas, vespas, borboletas, pássaros, pequenos mamíferos e morcegos. Entre os componentes abióticos destacam-se o vento, a chuva e a gravidade.

Em cerca de 80% de todas as plantas com flores, os animais são os responsáveis pela polinização.

Tipos de Polinização

A polinização pode ser classificada de acordo com o agente polinizador:

Anemofilia: Quando a polinização ocorre através do vento. É comum em plantas com flores pequenas e discretas. As flores possuem filetes longos e flexíveis que facilmente oscilam com o vento. Além disso, há grande produção de pólen para aumentar as chances de polinização. Ocorre com frequência em gimnospermas.

Hidrofilia: Quando a polinização ocorre através da água. Geralmente está associada com plantas aquáticas. Pode ocorrer na superfície ou sob a água. Nesse tipo de polinização, o grão de pólen flua ou boia até encontrar o estigma.

Entomofilia: Quando os insetos são os agentes polinizadores. Pode ser realizada por abelhas, moscas, besouros, borboletas e vespas.

Os insetos são atraídos pela cor e odor das flores. Além disso, nas flores encontram néctar para sua alimentação. Quando os insetos visitam as flores, tocam nos estames e consequentemente levam o pólen em seu corpo. Ao visitar outras flores, deixam cair o pólen no estigma, realizando a polinização.

As abelhas são os principais agentes polinizadores dos vegetais. Em troca, elas recebem substâncias que garantem o desenvolvimento de suas colmeias. Muitos frutos consumidos pelos seres humanos são polinizados por abelhas, como o maracujá-amarelo (Passiflora edulis).

Polinização por abelhas

Polinização por abelhas

Ornitofilia: Quando o pólen é transportado por aves. Nesse tipo de polinização destaca-se o beija-flor.

Quiropterofilia: Quando morcegos são agentes polinizadores.

Importância da Polinização

A polinização garante a fecundação e consequentemente a produção de frutos e sementes. Assim, é caracterizada como um serviço ambiental que permite a manutenção da biodiversidade.

Além disso, também garante a produção de alimentos. Sem a polinização muitos frutos e sementes não existiriam, comprometendo os seres vivos que os utilizam como fonte alimentar. Um exemplo é que um terço das plantas cultivadas pelo homem dependem de polinização por animais para se reproduzirem e produzirem frutos.

Saiba mais sobre:

Tipo de flores e funções

Angiospermas

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.