Semântica

Daniela Diana

A semântica é o ramo da linguística que estuda os significados e/ou sentido dos vocábulos da língua. Do grego, a palavra semântica (semantiká) significa “sinal”.

De acordo com duas vertentes, “sincrônica” e “diacrônica”, a semântica é dividida em:

  • Semântica Descritiva: denominada de semântica sincrônica, essa classificação indica o estudo da significação das palavras na atualidade.
  • Semântica Histórica: denominada de semântica diacrônica, se encarrega de estudar o significado das palavras em determinado espaço de tempo.

A fim de conhecer as palavras apropriadas para empregá-las em determinados discursos, recorremos à semântica, ou seja, a significação dos termos.

Para isso, alguns conceitos são basilares para o estudo das significações, a saber:

Sinonímia e Antonímia

Os sinônimos designam as palavras que possuem significados semelhantes, por exemplo:

  • andar e caminhar
  • usar e utilizar
  • fraco e frágil

Do grego, a palavra sinônimo significa “semelhante nome” sendo classificados de acordo com a semelhança que compartilham com o outro termo.

Os sinônimos perfeitos possuem significados idênticos (após e depois; léxico e vocabulário). Já os sinônimos imperfeitos possuem significados parecidos (gordo e obeso; córrego e riacho).

Os antônimos designam as palavras que possuem significados contrários, por exemplo:

  • claro e escuro
  • triste e feliz
  • bom e mau

Do grego, a palavra “antônimo” significa “nome oposto, contrário”.

Leia Sinônimos e Antônimos.

Paronímia e Homonímia

Homônimos são palavras que ora possuem a mesma pronúncia, (palavras homófonas), ora possuem a mesma grafia (palavras homógrafas), entretanto, possuem significados diferentes.

São chamados de "homônimos perfeitos", as palavras que possuem a mesma grafia e a mesma sonoridade na pronúncia, por exemplo:

  • O pelo do cachorro é curto.
  • Pelo caminho da vida.
  • Tenho que chegar cedo.
  • Cedo meu lugar aos idosos.

Parônimos são aquelas palavras que possuem significados diferentes, porém se assemelham na pronúncia e na escrita, por exemplo:

  • soar (produzir som) e suar (transpirar);
  • acento (sinal gráfico) e assento (local para sentar);
  • acender (dar luz) e ascender (subir).

Leia Homônimos e Parônimos.

Polissemia

A polissemia representa a multiplicidade de significados de uma palavra.

Com o decorrer do tempo, determinado termo adquiriu um novo significado, entretanto, ainda se relaciona com o original, por exemplo:

  • A menina quebrou a perna no acidente.
  • A perna da cadeira é marrom.
  • Que letra ilegível!
  • A letra dessa canção é muito bonita.

Conotação e Denotação

A conotação designa o sentido virtual, figurado e subjetivo da palavra, alargando o seu campo semântico. Assim, depende do contexto.

Na maioria das vezes, a conotação é utilizada nos textos poéticos com o intuito de produzir sensações no leitor.

A denotação designa o sentido real, literal e objetivo da palavra. Ela explora uma linguagem mais informativa, em detrimento de uma linguagem mais poética (conotativa).

É muito utilizada nos trabalhos acadêmicos, jornais, manuais de instruções, dentre outros.

Exemplos:

  • Ele foi um cara de pau! (sentido conotativo)
  • Não foi aquele cara que te pediu informação ontem? (sentido denotativo)
  • Agiu como um porco. (sentido conotativo)
  • No sítio do meu avô há um porco. (sentido denotativo)

Leia também:

Exercício

(UFPB-2010) Quanto à organização sintático-semântica do fragmento “Ninguém ama tanto a vida como a pessoa que envelhece”, é correto afirmar:

a) As formas verbais “ama” e “envelhece” exigem complemento.
b) O conectivo “como” introduz oração que expressa ideia de conformidade.
c) Os termos “Ninguém” e “vida” exercem a mesma função sintática.
d) A forma verbal “envelhece” tem como complemento o termo “pessoa”.
e) A oração “que envelhece” expressa ideia de restrição.

Alternativa e: A oração “que envelhece” expressa ideia de restrição.

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.