Figuras de Linguagem

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora licenciada em Letras

Figuras de Linguagem, também chamadas de figuras de estilo, são recursos estilísticos usados para dar maior ênfase à comunicação e torná-la mais bonita.

Dependendo da sua função, elas são classificadas em:

  • Figuras de palavras ou semânticas: estão associadas ao significado das palavras. Exemplos: metáfora, comparação, metonímia, catacrese, sinestesia e perífrase.
  • Figuras de pensamento: trabalham com a combinação de ideias e pensamentos. Exemplos: hipérbole, eufemismo, litote, ironia, personificação, antítese, paradoxo, gradação e apóstrofe.
  • Figuras de sintaxe ou construção: interferem na estrutura gramatical da frase. Exemplos: elipse, zeugma, hipérbato, polissíndeto, assíndeto, anacoluto, pleonasmo, silepse e anáfora.
  • Figuras de som ou harmonia: estão associadas à sonoridade das palavras. Exemplos: aliteração, paronomásia, assonância e onomatopeia.

Figuras de Palavras

As figuras de palavras são usadas para tornar os textos mais bonitos ou expressivos através da utilização das palavras e dos seus significados.

Metáfora

A metáfora representa uma comparação de palavras com significados diferentes e cujo conectivo de comparação (como, tal qual) fica subentendido na frase.

Exemplos:

A vida é uma nuvem que voa. (A vida é como uma nuvem que voa.)

Tirinha com exemplo de Figura de palavra Metáfora

Na tirinha acima, "uma caravana de rosas vagando num deserto inefável" é uma metáfora do amor.

Comparação

Chamada de comparação explícita, ao contrário da metáfora, neste caso são utilizados conectivos de comparação (como, assim, tal qual).

Exemplos:

Seus olhos são como jabuticabas.

Tirinha com exemplo de Figura de palavra Comparação

Na tirinha acima, o amor é comparado a uma flor e a um motor. Neste caso foi utilizado o conectivo "como": "o amor é como uma flor" e "o amor é como o motor do carro".

Metonímia

A metonímia é a transposição de significados considerando parte pelo todo, autor pela obra.

Exemplos:

Costumava ler Shakespeare. (Costumava ler as obras de Shakespeare.)

Tirinha com exemplo de Figura de palavra Metonímia

Na tirinha acima, uma parte (cabeças de gado) tem o significado do todo (boi).

Catacrese

A catacrese representa o emprego impróprio de uma palavra por não existir outra mais específica.

Exemplo:

Embarcou há pouco no avião. (Embarcar é colocar-se a bordo de um barco, mas como não há um termo específico para o avião, embarcar é o utilizado.)

Charge com exemplo de Figura de palavra Catacrese

Na charge acima, ocorre a catacrese, porque foi usada a expressão "bala perdida" por não haver outra mais específica.

Sinestesia

A sinestesia acontece pela associação de sensações por órgãos de sentidos diferentes.

Exemplos:

Com aquele olhos frios, disse que não gostava mais da namorada. (A frieza está associada ao tato e não à visão.)

Tirinha com exemplo de Figura de palavra Sinestesia

Na tirinha acima, a expressão "olhar frio" é um exemplo de sinestesia.

Perífrase

A perífrase, também chamada de antonomásia, é a substituição de uma ou mais palavras por outra que a identifique.

Exemplos:

O rugido do rei das selvas é ouvido a uma distância de 8 quilômetros. (O rugido do leão é ouvido a uma distância de 8 quilômetros.)

Charge com exemplo de figura de palavra Perífrase

Na charge acima, foi usada a perífrase, uma vez que "Terra da Garoa" é uma forma de identificar a "cidade de São Paulo".

Figuras de Pensamento

As figuras de pensamento são usadas para tornar os textos mais bonitos ou expressivos através da utilização de ideias e pensamentos.

Hipérbole

A hipérbole corresponde ao exagero de uma ideia feito de maneira intencional.

Exemplos:

Quase morri de estudar.

Tirinha com exemplo de Figura de pensamento Hipérbole

Na tirinha acima, a expressão "morrendo de inveja" é uma hipérbole.

Eufemismo

O eufemismo é utilizado para suavizar o discurso.

Exemplos:

Entregou a alma a Deus. (Nesta frase está sendo informada a morte de alguém.)

Tirinha com exemplo de Figura de pensamento Eufemismo

Na charge acima, "produtora de biografias orais não autorizadas" foi uma forma delicada de dizer que a mulher é, na verdade, uma fofoqueira.

Litote

O litote representa uma forma de suavizar uma ideia. Neste sentido, assemelha-se ao eufemismo, bem como é a oposição da hipérbole.

Exemplos:

— Não é que sejam más companhias… — disse o filho à mãe. (Pelo discurso, percebemos que apesar de as suas companhias não serem más, também não são boas.)

Tirinha com exemplo de Figura de pensamento Litote

Na tirinha acima, nota-se o uso do litote por meio da expressão "acho que você deveria aperfeiçoar essa técnica".

Ironia

A ironia é a representação do contrário daquilo que se afirma.

Exemplos:

É tão inteligente que não acerta nada.

Imagem de Figura de pensamento Ironia

Nota-se o uso da ironia na charge acima. O personagem está zangado com alguém, a quem ele chama de "inteligente" de maneira irônica.

Personificação

A personificação ou prosopopeia é a atribuição de qualidades e sentimentos humanos a objetos ou aos seres irracionais.

Exemplos:

O jardim olhava as crianças sem dizer nada.

Tirinha com exemplo de Figura de pensamento Personificação

A personificação é expressa na última parte do quadrinho, onde o Zé Lelé afirma que o espelho está lhe olhando. Assim, utilizou-se uma característica dos seres vivos (olhar) em um ser inanimado (o espelho).

Antítese

A antítese é o uso de termos que têm sentidos opostos.

Exemplos:

Toda guerra finaliza por onde devia ter começado: a paz.

Tirinha com exemplo de Figura de pensamento Antítese

Na tirinha acima, há várias antíteses, ou seja, termos que têm sentidos opostos: positivo, negativo; mal, bem; paz e guerra.

Paradoxo

O paradoxo representa o uso de ideias que têm sentidos opostos, não apenas de termos (tal como no caso da antítese).

Exemplos:

Estou cego de amor e vejo o quanto isso é bom. (Como é possível alguém estar cego e ver?)

Tirinha com exemplo de Figura de pensamento Paradoxo

Na tirinha acima, as ideias com sentidos opostos (certeza e relativa) é um exemplo de paradoxo.

Gradação

A gradação é a apresentação de ideias que progridem de forma crescente (clímax) ou decrescente (anticlímax).

Exemplos:

Inicialmente calma, depois apenas controlada, até o ponto de total nervosismo. (Neste exemplo, acompanhamos a progressão da tranquilidade até o nervosismo.)

Tirinha com exemplo de Figura de pensamento Gradação

Na tirinha acima, o personagem foi explicando de forma crescente como foi trazida pela cegonha (decolou; fizemos uma escala; trocaram uma pena; finalmente ela me deixou aqui).

Apóstrofe

A apóstrofe é a interpelação feita com ênfase.

Exemplos:

Ó céus, é preciso chover mais?

Tirinha com exemplo de Figura de pensamento Apóstrofe

Na tirinha acima, notamos a ênfase no segundo quadrinho: "Ai meu Deus!!! Ele vai me matar! O que faço!? É o fim!"

Figuras de Sintaxe

As figuras de sintaxe são usadas para tornar os textos mais bonitos ou expressivos através da construção gramatical das frases e orações.

Elipse

A elipse é a omissão de uma palavra que se identifica de forma fácil.

Exemplos:

Tomara você me entenda. (Tomara que você me entenda.)

Tirinha com exemplo de Figura de sintaxe Elipse

Na segunda imagem do quadrinho, notamos o uso da elipse: "depois (ele começou) a comer sanduíches entre as refeições...".

Zeugma

A zeugma é a omissão de uma palavra pelo fato de ela já ter sido usada antes.

Exemplos:

Fiz a introdução, ele a conclusão. (Fiz a introdução, ele fez a conclusão.)

Tirinha com exemplo de Figura de sintaxe Zeugma

A zeugma é utilizada na segunda e terceira parte dos quadrinhos: "(você é) um descongestionante nasal para o meu nariz"; (você é) um antiácido para meu estômago!".

Hipérbato

O hipérbato é a alteração da ordem direta da oração.

Exemplos:

São como uns anjos os seus alunos. (Os seus alunos são como uns anjos.)

Charge com exemplo de Figura de sintaxe Hipérbato

A charge acima é um exemplo de hipérbato, porque a ordem direta do nosso hino é "Das margens plácidas do Ipiranga, ouviram um brado retumbante de um povo heroico" ou "Ouviram um brado retumbante de um povo heroico das margens plácidas do Ipiranga".

Polissíndeto

O polissíndeto é o uso repetido de conectivos (e, ou, nem).

Exemplos:

As crianças falavam e cantavam e riam felizes.

Charge com exemplo de Figura de sintaxe Polissíndeto

A charge acima é um exemplo de polissíndeto, porque o conectivo "se for" esta sendo repetido muitas vezes ("se for eleitor", "se for deputado", "se for assessor).

Assíndeto

O assíndeto representa a omissão de conectivos, sendo o contrário do polissíndeto.

Exemplos:

Não sopra o vento; não gemem as vagas; não murmuram os rios.

Poema com exemplo de figura de sintaxe Assíndeto

Anacoluto

O anacoluto é a mudança repentina na estrutura da frase.

Exemplos:

Eu, parece que estou ficando zonzo. (A estrutura normal da frase é: Parece que eu estou ficando zonzo.)

Magali, comer é o que ela mais gosta de fazer. (A estrutura normal da frase é: O que a Magali mais gosta de fazer é comer.)

Magali recebendo entrega de pizza

Pleonasmo

Pleonasmo é a repetição da palavra ou da ideia contida nela para intensificar o significado.

Exemplos:

A mim me parece que isso está errado. (Parece-me que isto está errado.)

Tirinha com exemplo de Figura de sintaxe Pleonasmo

Na tirinha acima, o "saia para fora" é um pleonasmo, uma vez que o verbo "sair" já significa "para fora".

Silepse

A silepse é a concordância com a ideia que se pretende transmitir, e não com o que está implícito. Ela é classificada em: silepse de gênero, de número e de pessoa.

Exemplos:

Vivemos na bonita e agitada São Paulo. (silepse de gênero: Vivemos na bonita e agitada cidade de São Paulo.)

A maioria dos clientes ficaram insatisfeitas com o produto. (silepse de número: A maioria dos clientes ficou insatisfeita com o produto.)

Todos terminamos os exercícios. (silepse de pessoa: neste caso concordância com nós, em vez de eles: Todos terminaram os exercícios.)

Tirinha com exemplo de Figura de sintaxe Silepse

Na tirinha acima, há silepse de pessoa em "mais da metade da população mundial somos crianças" e "as crianças, vamos ter o mundo nas mãos".

Anáfora

A anáfora é a repetição de uma ou mais palavras de forma regular.

Exemplos:

Se você sair, se você ficar, se você quiser esperar. Se você “qualquer coisa”, eu estarei aqui sempre para você.

Tirinha com exemplo de Figura de sintaxe Anáfora

A charge acima é um exemplo de anáfora, porque há várias repetições do termo "falta".

Figuras de Som

As figuras de som são usadas para tornar os textos mais bonitos ou expressivos através da sonoridade das palavras.

Aliteração

A aliteração é a repetição de sons consonantais.

Exemplos:

"Chove chuva.
Chove sem parar". (Jorge Ben Jor)

Tirinha com exemplo de Figura de som Aliteração

Na tirinha acima, ocorre aliteração, porque a letra "r" é repetida muitas vezes em "O rato roeu a roupa do rei de Roma."

Paronomásia

Paronomásia é a repetição de palavras cujos sons são parecidos.

Exemplos:

O cavaleiro, muito cavalheiro, conquistou a donzela. (cavaleiro = homem que anda a cavalo, cavalheiro = homem gentil)

Charge com exemplo de Figura de som Paronomásia

A charge acima contém paronomásia, porque foram usados termos que possuem sons parecidos: "grama" e "grana".

Assonância

A assonância é a repetição de sons vocálicos.

Exemplos:

"O que o vago e incógnito desejo
de ser eu mesmo de meu ser me deu." (Fernando Pessoa)

Tirinha com exemplo Figura de som Assonância

Na tirinha acima, o uso da assonância é expresso pela repetição das vogais "a" em: "massa", "salga", "amassa".

Onomatopeia

Onomatopeia é a inserção de palavras no discurso que imitam sons.

Exemplos:

Não aguento o tic-tac desse relógio.

Exemplo de tirinha com Figura de som Onomatopeia

No primeiro e último quadrinho temos o uso da onomatopeia com "Bum, Bum, Bum" e "Buááá...; Buááá...". O primeiro expressa o som do tambor, e o segundo, o choro do Cebolinha.

Resumo das Figuras de Linguagem

resumo para figuras de linguagem

Confira na tabela abaixo o que diferencia cada uma das figuras de linguagem, bem como cada um dos seus tipos.

Figuras de Palavras ou semânticas Figuras de Pensamento Figuras de Sintaxe ou construção Figuras de Som ou harmonia
Produzem maior expressividade à comunicação através das palavras. Produzem maior expressividade à comunicação através da combinação de ideias e pensamentos. Produzem maior expressividade à comunicação através da inversão, repetição ou omissão dos termos na construção das frases. Produzem maior expressividade à comunicação através da sonoridade.
  • metáfora
  • comparação
  • metonímia
  • catacrese
  • sinestesia
  • perífrase ou antonomásia
  • hipérbole
  • eufemismo
  • litote
  • ironia
  • personificação ou prosopopeia
  • antítese
  • paradoxo ou oxímoro
  • gradação ou clímax
  • apóstrofe
  • elipse
  • pleonasmo
  • zeugma
  • hipérbato
  • silepse
  • polissíndeto
  • assíndeto
  • anacoluto
  • anáfora
  • aliteração
  • paronomásia
  • assonância
  • onomatopeia

Exercícios de Vestibular

1. (UNITAU) No sintagma: “Uma palavra branca e fria”, encontramos a figura denominada:

a) sinestesia
b) eufemismo
c) onomatopeia
d) antonomásia
e) catacrese

Alternativa a: sinestesia.

2. (Universidade Anhembi Morumbi)

"A novidade veio dar à praia
na qualidade rara de sereia
metade um busto de uma deusa maia
metade um grande rabo de baleia
a novidade era o máximo
do paradoxo estendido na areia
alguns a desejar seus beijos de deusa
outros a desejar seu rabo pra ceia
oh, mundo tão desigual
tudo tão desigual
de um lado este carnaval
do outro a fome total
e a novidade que seria um sonho
milagre risonho da sereia
virava um pesadelo tão medonho
ali naquela praia, ali na areia
a novidade era a guerra
entre o feliz poeta e o esfomeado
estraçalhando uma sereia bonita
despedaçando o sonho pra cada lado”

(Gilberto Gil – A Novidade)

Gilberto Gil em seu poema usa um procedimento de construção textual que consiste em agrupar ideias de sentidos contrários ou contraditórios numa mesma unidade de significação.

A figura de linguagem acima caracterizada é:

a) metonímia
b) paradoxo
c) hipérbole
d) sinestesia
e) sinédoque

Alternativa b: paradoxo.

Leia também:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos (habilitação para Ensino Fundamental II e Ensino Médio) e formada no Curso de Magistério (habilitação para Educação Infantil e Ensino Fundamental I).