Metonímia

Daniela Diana

Na semântica, a metonímia é uma figura de linguagem, mais precisamente uma figura de palavra, as quais são largamente utilizadas para dar ênfase aos discursos.

Dessa maneira, a metonímia é um recurso linguístico-semântico que substitui outro termo segundo a relação de contiguidade e/ou afinidade estabelecida entre duas palavras, conceitos, ideias, por exemplo:

Aquele homem é um sem-teto (nesse caso, a expressão “sem-teto”, representa a substituição de um conceito referente às pessoas que não possuem casa.

Do grego, a palavra "metonímia" (metonymía) é constituída pelos termos “meta” (mudança) e “onoma” (nome) que literalmente significa “mudança de nome”.

Para saber mais: Figuras de Linguagem

Metáfora

Uma vez que há confusão na definição precisa de cada uma das figuras dessas figuras de linguagem (metáfora e metonímia), importante destacar que a metáfora estabelece uma relação de comparação entre dois termos, por exemplo:

Margarida é uma gata (comparação implícita entre a beleza de Margarida e a beleza felina).

Por outro lado, a metonímia substitui um termo por outro pela relação de proximidade entre eles, por exemplo:

Comprei Maisena para fazer o bolo (maisena é a marca e o produto é o amido de milho).

Para saber mais sobre o tema leia os artigos:

Exemplos de Metonímia

A metonímia pode ocorrer de inúmeras maneiras sendo as mais comum os casos abaixo:

  • Parte pelo todo: Ele possuía inúmeras cabeças de gado. (bois)
  • Causa pelo efeito: Consegui comprar a televisão com meu suor. (trabalho)
  • Autor pela obra: Li muitas vezes Camões. (obra literária do autor)
  • Inventor pelo Invento: Meu pai me presenteou com um Ford. (inventor da marca Ford: Henri Ford)
  • Marca pelo produto: Meu pai adora tomar Nescau com leite. (chocolate em pó)
  • Matéria pelo objeto: Passou a vida atrás do vil metal. (dinheiro)
  • Singular pelo plural: O cidadão foi às ruas lutar pelos seus direitos. (vários cidadãos)
  • Concreto pelo abstrato: Natália, a melhor aluna da classe, tem ótima cabeça. (inteligência)
  • Continente pelo conteúdo: Quero um copo d’água. (copo com água)
  • Gênero pela espécie: Os homens cometeram barbaridades. (humanidade)
Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.