Linguagem Formal e Informal


A linguagem formal e informal são duas variantes linguísticas que possuem o intuito de comunicar. No entanto, elas são utilizadas em contextos distintos.

Sendo assim, é muito importante saber diferenciar essas duas variantes para compreender seus usos em determinadas situações.

Quando falamos com amigos e familiares utilizamos a linguagem informal. Entretanto, se estamos numa reunião na empresa, numa entrevista de emprego ou escrevendo um texto, devemos utilizar a linguagem formal.

Diferenças

Charge linguagem formal e informal
Na tirinha acima podemos notar a presença da linguagem formal e informal

A linguagem formal, também chamada de "culta" está pautada no uso correto das normas gramaticais bem como na boa pronúncia das palavras.

Já a linguagem informal ou coloquial representa a linguagem cotidiana, ou seja, trata-se de uma linguagem espontânea, regionalista e despreocupada com as normas gramaticais.

No âmbito da linguagem escrita, podemos cometer erros graves entre as linguagens formal e informal.

Dessa forma, quando os estudantes produzem um texto, pode haver dificuldade de se distanciar da linguagem mais espontânea e coloquial. Isso acontece por descuido ou mesmo por não dominarem as regras gramaticais.

Assim, para que isso não aconteça, é muito importante estar atento à essas variações, para não cometer erros.

Duas dicas muito importantes para evitar escrever um texto repleto de erros e expressões coloquiais são:

  • Conhecer as regras gramaticais;
  • Possuir o hábito da leitura, que auxilia na compreensão e produção dos textos, uma vez que amplia o vocabulário do leitor.

Leia também:

Exemplos

Para melhor entender essas duas modalidades linguísticas, vejamos os exemplos abaixo:

Exemplo 1

Doutor Armando seguiu até a esquina para encontrar o filho que chegava da escola, enquanto Maria, sua esposa, preparava o almoço.

Quando chegaram em casa, Armando e seu filho encontraram Dona Maria na cozinha preparando uma das receitas de família, o famoso bolo de fubá cremoso, a qual aprendera com sua avó Carmela.

Exemplo 2

O Doutor Armando foi até a esquina esperá o filho que chegava da escola. Nisso, a Maria ficou em casa preparando o almoço.

Quando eles chegarão em casa a Maria tava na cozinha preparando a famosa receita da família boa pra caramba o bolo de fubá cremoso.

Aquele que ela aprendeu cum a senhora Carmela anos antes da gente se casâ.

De acordo com os exemplos acima fica claro distinguir o texto formal (exemplo 1) do texto informal (exemplo 2).

Observe que o primeiro exemplo segue as regras gramaticais de concordância e pontuação.

Já o segundo, não segue as normas da língua culta, ou seja, apresenta erros gramaticais, ortográficos e falta de pontuação.

Exercícios Resolvidos

1. Utilizamos a linguagem coloquial em qual situação:

a) Durante uma entrevista de emprego
b) Durante uma conversa com os amigos
c) Numa palestra para o público
d) Na sala de aula com a professora

Alternativa b) Durante uma conversa com os amigos.

A linguagem coloquial representa a linguagem informal, ou seja, aquela que utilizamos em contextos de informalidade com familiares, amigos e vizinhos).

2. Transforme os discursos abaixo apresentados na linguagem informal, para a linguagem formal:

Doeu pra caramba a injeção.

Doeu muito a injeção.

Fui na casa da Mariana porque tava rolando uma festa manera.

Fui até a casa de Mariana porque estava acontecendo uma festa divertida.

O Filipe ficô babando na Cíntia.

O Filipe ficou admirando muito a Cíntia.

Tem uma galera muito sem noção.

Tem muita gente (muitas pessoas) que não compreende as coisas.

E aê Brother, como cê tá?

Olá amigo, como você está?

Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.