Texto de Divulgação Científica

O texto de divulgação científica é um tipo de texto expositivo e argumentativo mais elaborado. São produzidos mediante pesquisas, aprofundamentos teóricos e resultados de investigações sobre determinado tema.

Possuem a finalidade principal de “popularizar a ciência”, ou seja, difundir o conhecimento científico, transmitindo assim diversos informações de valor indiscutível.

Características

Esse tipo de modalidade textual é muito utilizado no mundo acadêmico, seja na produção de dissertações de mestrado, teses de doutorado, artigos científicos, resenhas, dentre outros.

São apresentados com uma linguagem clara, objetiva e impessoal (destituído de marcas pessoais com verbos na terceira pessoa) de acordo com as normas da língua. Por esse motivo, são evitadas as expressões populares, a linguagem coloquial, gírias e figuras de linguagem como a redundância e a ambiguidade.

É notório a presença de termos técnicos da área, essenciais da linguagem científica e ainda, verbos predominantemente no presente do indicativo.

Eles são escritos por pesquisadores e especialistas no assunto dedicados ao ramo da ciência por meio de métodos científicos. Esses textos possuem uma função primordial para o desenvolvimento da sociedade, posto que são divulgados conhecimentos diversos baseados em experimentos, estudos de caso, dentre outros.

Os suportes mais utilizados para a divulgação desse tipo de texto são as revistas e jornais científicos, livros, plataformas de divulgação cientifica, televisão, internet.

Para completar o curso numa Universidade do Brasil, a maior parte delas exige um trabalho final do aluno (Monografia ou Trabalho de Conclusão de Curso-TCC), com o intuito de prepará-lo no mundo da pesquisa bem como de testar seus conhecimentos e capacidade de relacionar diversos autores que foram explorados durante o curso.

No trabalho monográfico (de teor cientifico), o aluno delimita uma área de pesquisa, para assim fazer um recorte do tema que será explorado. Feito isso, e com o auxílio de um professor orientador, o aluno pesquisa, levanta dados e referências bibliográficas para construir seu trabalho.

Estrutura Textual

Além do padrão básico estrutural dos textos dissertativos (introdução, desenvolvimento e conclusão), os textos de divulgação científica não possui uma forma rígida, posto que dependem do tema abordado, do emissor (autor do texto), do público ao qual é destinado (receptores) e do suporte que será divulgado (jornal, revista, televisão, internet). No entanto, alguns deles, como as monografias, dissertações e teses, seguem algumas regras de produção, a saber:

  • Capa: na capa do texto científico aparecem as informações básicas referente ao trabalho desenvolvido como o título, nome do escritor ou grupo e da instituição.
  • Sumário: no sumário, serão apresentados os títulos de cada capítulo do texto e em qual página cada um se encontra.
  • Dedicatória e Agradecimentos: alguns trabalhos tem uma página específica para a dedicatória e outra para os agradecimentos, donde o pesquisador apresenta as pessoas e/ou instituições que foram essenciais para o desenvolvimento da pesquisa.
  • Resumo: em alguns trabalhos científicos são solicitados os resumos (abstracts em inglês), ou seja, uma breve apresentação (geralmente com limite de palavras) em que o pesquisador vai expor a ideia central de sua pesquisa. Dependendo do trabalho, podem apresentar um resumo na língua materna e outro em língua estrangeira.
  • Palavras-Chave: geralmente abaixo do resumo, são incluídas algumas palavras-chave, ou seja, termos essenciais e pontuais para o desenvolvimento da pesquisa.
  • Epígrafe: nos trabalhos científicos é comum encontrar uma epígrafe, ou seja, uma frase ou parágrafo que tenha alguma relação com o que será discutido no texto.
  • Introdução: parte extremamente importante do trabalho onde deverão aparecer as principais ideias (tese) e conceitos que serão desenvolvidas no texto.
  • Desenvolvimento: chamado também de "antítese", nessa parte serão abordados todos os conceitos e possíveis autores e referências utilizadas. Possui forte presença de argumentação e contra-argumentação com presença de comparações, citações de autores, dados estatísticos.
  • Conclusão: Na conclusão, há um arremate de tudo o que foi exposto, sendo que uma nova ideia geralmente é apontada referente ao que foi apresentado no trabalho. Por esse motivo, essa parte é chamada também de “nova tese”.
  • Referências Bibliográficas: é a bibliografia e webgrafia utilizada para o desenvolvimento da pesquisa. Essa parte deverá estar de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Junto as referências, está o glossário, apêndices e anexos com as tabelas, gráficos, quadros, ilustrações, lista de símbolos, abreviaturas e siglas que foram utilizadas no texto.

Para complementar sua pesquisa veja também os artigos: