Antero de Quental

Daniela Diana

Antero de Quental foi um poeta e filósofo do Romantismo, considerado um dos maiores sonetistas portugueses.

Biografia de Antero de Quental

Antero Tarquínio de Quental nasceu em Ponta Delgada, na Ilha de São Miguel, no Arquipélago dos Açores, Portugal, no dia 18 de abril de 1842.

Descendente de família nobre, Antero era filho de Fernando de Quental e Ana Guilhermina da Maia. Ele passou sua infância e cursou os estudos primários e secundários em sua cidade natal, na capital da ilha de São Miguel.

Antero de Quental
Ilustração de Antero de Quental na nota de 5 mil Escudos, Portugal (1993)

Com apenas 16 anos, ingressou em Direito e foi estudar em Coimbra onde se destacou com seu brilhantismo.

Interessado pela política, filosofia e literatura, Antero em 1862, com 20 anos, publicou seus primeiros sonetos intitulados “Sonetos de Antero”.

Junto aos poetas portugueses Luís de Camões e Bocage (um de seus amigos íntimos) formou a tríade dos maiores sonetistas portugueses.

Viajou pela França, Estados Unidos e Canadá, entretanto, foi em seu país que passou a maior parte de sua vida se dedicando à literatura e às questões políticas.

Durante sua estadia em Coimbra, suas ideias socialistas começaram a desabrochar, graduando-se em 1864. Passa a viver em Lisboa, a partir de 1866, onde participou da fundação do Partido Socialista Português.

Na capital do país, trabalhou como operário e editor da revista “O Pensamento Social”. Em 1869, fundou o jornal "A República".

Influenciado pelas ideias do filósofo francês Pierre-Joseph Proudhon (1809-1865) e do filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770-1831), Antero de Quental foi um dos introdutores da socialismo em Portugal.

Em 1869 vai morar no Porto, já acometido pela tuberculose. Por razões médicas, mais tarde passa a viver em Vila do Conde. Em 1872, fundou a "Associação Fraternidade Operária", representante em Portugal da 1ª Internacional Operária.

Morte de Antero de Quental

Diagnosticado com depressão e transtorno bipolar, cometeu suicídio em sua cidade natal, no dia 11 de setembro de 1891.

Disparou dois tiros num banco de jardim, onde está inscrito parede a palavra “Esperança”. Sobre Antero de Quental, o escritor português Eça de Queirós (1845-1900) acrescenta: “Um gênio que era um santo.”

Poetas da "Geração de 70" e a Questão Coimbrã

Os poetas da geração de 1870 formaram o grupo de literatos empenhados em renovar o pensamento português.

Esse poetas estiveram ligados à Questão Coimbrã, uma polêmica literária travada em 1865 entre os jovens da Universidade de Coimbra e os poetas amigos de António Feliciano de Castilho.

Assim, Feliciano critica as ideias dos novos poetas portugueses, centradas na liberdade de pensamento, sobretudo de Antero de Quental.

Antero foi o maior agitador da Questão Coimbrã, consagrado pelos poemas "Odes Modernas" e o ensaio "Bom Senso e Bom Gosto". Esse último, representa a resposta violenta dada à Antônio Feliciano de Castilho.

A publicação dos Sonetos Completos, em 1866, com prefácio de Oliveira Martins, foi a obra que levou Antero a participar e se identificar ainda mais com as ideias e valores propostos pelos poetas da “Geração de 70”.

Esse grupo esteve relacionado com a Questão Coimbrã que pretendia renovar a mentalidade em Portugal, rompendo com valores do passado e sobretudo, do Romantismo.

Principais Obras de Antero de Quental

Dono de uma obra essencialmente filosófica, social, política, metafísica e lírica, Antero de Quental é considerado um dos maiores escritores de língua portuguesa. Algumas de suas obras:

  • Sonetos de Antero (1861)
  • Beatrice e Fiat Lux (1863)
  • Odes Modernas (1865)
  • Bom Senso e Bom Gosto (1865)
  • A Dignidade das Letras e as Literaturas Oficiais (1865)
  • Defesa da Carta Encíclica de Sua Santidade Pio IX (1865)
  • Portugal perante a Revolução de Espanha (1868)
  • Primaveras Românticas (1872)
  • Considerações sobre a Filosofia da História Literária Portuguesa (1872)
  • A Poesia na Actualidade (1881)
  • A Filosofia da Natureza dos Naturalistas (1884)
  • Sonetos Completos (1886)
  • A Filosofia da Natureza dos Naturistas (1886)
  • Tendências Gerais da filosofia na Segunda Metade do Século XIX (1890)
  • Raios de extinta luz (1892)

Sonetos de Antero de Quental

Para conhecer melhor sua linguagem, segue abaixo três Sonetos do poeta português:

Logos

(Ao snr. D. Nicolau Salmeron)

Tu, que eu não vejo, e estás ao pé de mim
E, o que é mais, dentro de mim — que me rodeias
Com um nimbo de affectos e de ideas,
Que são o meu principio, meio e fim...

Que estranho ser és tu (se és ser) que assim
Me arrebatas comtigo e me passeias
Em regiões innominadas, cheias
De encanto e de pavor... de não e sim...

És um reflexo apenas da minha alma,
E em vez de te encarar com fronte calma,
Sobresalto-me ao ver-te, e tremo e exoro-te...

Falo-te, calas... calo, e vens attento...
És um pae, um irmão, e é um tormento
Ter-te a meu lado... és um tyranno, e adoro-te!

Transcendentalismo

(A J. P. Oliveira Martins)

Já socega, depois de tanta lucta,
Já me descança em paz o coração.
Cahi na conta, emfim, de quanto é vão
O bem que ao Mundo e á Sorte se disputa.

Penetrando, com fronte não enxuta,
No sacrario do templo da Ilusão,
Só encontrei, com dor e confusão,
Trevas e pó, uma materia bruta...

Não é no vasto mundo — por immenso
Que ele pareça á nossa mocidade —
Que a alma sacia o seu desejo intenso...

Na esphera do invisivel, do intangivel,
Sobre desertos, vacuo, soledade,
Vôa e paira o espirito impassivel!

A um poeta

Tu que dormes, espírito sereno,
Posto à sombra dos cedros seculares,
Como um levita à sombra dos altares,
Longe da luta e do fragor terreno.

Acorda! É tempo! O sol, já alto e pleno
Afugentou as larvas tumulares...
Para surgir do seio desses mares
Um mundo novo espera só um aceno...

Escuta! É a grande voz das multidões!
São teus irmãos, que se erguem! São canções...
Mas de guerra... e são vozes de rebate!

Ergue-te, pois, soldado do Futuro,
E dos raios de luz do sonho puro,
Sonhador, faze espada de combate!

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.