José Saramago

Daniela Diana

José Saramago foi um escritor, poeta, contista, dramaturgo e jornalista português. É considerado a maior expressão da literatura portuguesa contemporânea.

Foi o primeiro escritor em língua portuguesa a receber o Prêmio Nobel de Literatura, em 1998.

Saramago nasceu em 16 de novembro de 1922, na aldeia de Azinhaga. A aldeia é localizada na província portuguesa do Ribatejo.

O escritor morreu em 18 de junho de 2010, em Lazaronte, na Espanha, na presença da esposa, a jornalista espanhola Pilar Del Rio, e da família.

José SaramagoJosé Saramago

Biografia

José de Souza Saramago morou a maior parte da vida em Lisboa, para onde a família migrou quando ele tinha dois anos de idade.

Apesar do reconhecimento como escritor, frequentou somente cursos técnicos. Por cinco anos esteve na escola para aprender o ofício de serralheiro mecânico.

O nome Saramago só foi descoberto quando passou a frequentar a escola. Foi adicionado de forma espontânea pelo funcionário do cartório em alusão ao apelido da família.

Saramago é o nome de uma planta que cresce na região onde o escritor nasceu.

Foi desenhista, funcionário público dos setores de saúde e segurança social, jornalista, editor e tradutor. Também foi diretor literário e de produção de uma revista literária, a Seara Nova.

No período de 1972 a 1973, foi comentarista político no jornal Diário de Lisboa, onde também coordenou um suplemento cultural.

Saramago também integrou a Associação Portuguesa de Escritores e foi diretor adjunto do Diário de Notícias.

Em 1976, tomou a decisão de viver exclusivamente da literatura. Começou como tradutor antes de chegar à fase autoral.

Recebeu o Prêmio Camões em 1995.

Principais Obras

  • Terra do Pecado (1947)
  • Manual de Pintura e Caligrafia (1977)
  • Levantado do Chão (1980)
  • Memorial do Convento (1982)
  • O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984)
  • A Jangada de Pedra (1986)
  • História do Cerco de Lisboa (1989)
  • O Evangelho Segundo Jesus Cristo (1991)
  • Ensaio sobre a Cegueira (1995)
  • Todos os Nomes (1997)
  • A Caverna (2000)
  • O Homem Duplicado (2002)
  • Ensaio sobre a Lucidez (2004)
  • As Intermitências da Morte (2005)
  • Caim (2009)
  • A Viagem do Elefante (2008)
  • Claraboia (2011)
  • Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas (2014)

Frases

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara". (Ensaio sobre a cegueira)

"E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos? Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?"

Características Literárias

Forma

A crítica afiada e a descrição minuciosa estão entre as características da obra de Saramago. A pontuação não é convencional. Os pontos finais aparecem ao fim dos parágrafos, que podem ser longos.

Os travessões foram excluídos e a interpretação da fala dos personagens é, muitas vezes, confundida com a auto-reflexão.

Mescla personagens reais com fictícios. Entre os exemplos estão Memorial do Convento (1982) e a Viagem do Elefante (2008).

Conteúdo

Saramago era comunista declarado e o pensamento é evidenciado em sua obra. Também fazia duras e ácidas críticas à igreja católica e seus dogmas.

O Evangelho Segundo Jesus Cristo

O romance, lançado em 1991, foi censurado pelo governo de Portugal que o considerou ofensivo aos católicos.

Como resultado da manobra política, Saramago e a mulher transferiram a residência para o arquipélago de Canárias, permanecendo na ilha de Lanzarote.

Entre as passagens de "O Evangelho Segundo Jesus Cristo" está o envolvimento sexual de Jesus com Maria Madalena.

Caim

O romance Caim, lançado em 2009, também foi considerado ofensivo à fé católica. Na obra, Caim questiona os critérios de Deus para suas escolhas. Deus é apontado como um ser vaidoso, vingativo e contraditório.

Ensaio sobre a Cegueira

A obra aponta o comportamento de uma sociedade diante de uma epidemia sem explicação ou cura em que a pessoa atingida perdia a visão.

Diferente da escuridão, a cegueira era branca e apavorante. Aos poucos, o escritor vai revelando o caráter das personagens e suas instituições.

O romance, lançado em 1995, foi reproduzido no cinema em 2008, e venceu o festival de Cannes daquele.

O filme foi dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles e contou com a participação dos atores Julianne Moore e Mark Ruffalo.

As Intermitências da Morte

Mais uma vez, um dogma religioso é questionado, a morte. No romance, lançado em 2005, Saramago imagina uma greve decretada pela própria morte, cansada das contradições e da ingratidão da humanidade.

Enquanto a morte questiona seu papel, a humanidade vive um colapso religioso, social, político e estrutural.

Poesia

Os traços comunistas, a exaltação à liberdade, à luta e à fraternidade também estão presentes na poesia de Saramago.

Após um hiato de 19 anos na literatura, o autor publicou, em 1966, Os Poemas Possíveis. Eis um exemplo de um poema:

Criação

Deus não existe ainda,
Nem sei quando,

Sequer o esboço, a cor se afirmará
No desenho confuso da passagem
De gerações inúmeras nesta esfera.

Nenhum gesto se perde,
nenhum traço

Que o sentido da vida é este só:
fazer da Terra um Deus que nos mereça,

E dar ao Universo o Deus que espera.

Leia também: Origens da Literatura Portuguesa.

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.