Movimentos literários

Daniela Diana

Os movimentos literários (ou escolas literárias) representam um conjunto de escritores e obras de determinado período da história. Eles reúnem produções literárias com características e estilos similares.

1. Trovadorismo (séculos XII a XV)

  • Período: 1189 a 1434
  • Produção literária: cantigas de amor, de amigo, de escárnio e de maldizer.
  • Principais características: a união da poesia e da música; amor cortês; sofrimento amoroso.
  • Principais escritores: Paio Soares da Taveirós, Garcia de Resende, João Ruiz de Castelo Branco, Nuno Pereira, Fernão da Silveira, Conde Vimioso, Aires Teles, Diogo Brandão.

Primeiro movimento literário que surgiu na Idade Média, na França. Em Portugal, teve como marco inicial a Cantiga da Ribeirinha (ou Cantiga de Guarvaia), produzida pelo trovador Paio Soares da Taveirós.

A produção literária desse movimento foi reunida nos Cancioneiros e esteve marcado pelas cantigas trovadorescas, divididas em: cantigas de amor, de amigo, de escárnio e de maldizer.

Elas recebem esse nome pois, na época, a poesia era feita para ser cantada, ou seja, ela era acompanhada por instrumentos musicais.

2. Humanismo (séculos XV e XVI)

  • Período: 1418 a 1527
  • Produção literária: teatro popular, poesia palaciana e crônica histórica.
  • Principais características: antropocentrismo; racionalidade; cientificismo.
  • Principais escritores: Fernão Lopes, Gil Vicente, Francesco Petrarca, Dante Alighieri, Giovanni Boccaccio, Erasmo de Roterdã, Thomas More, Michel de Montaigne.

O humanismo foi um movimento literário, filosófico e artístico de transição entre o trovadorismo e o classicismo e surgiu na passagem da Idade Média para a Idade Moderna.

Nesse momento, o teocentrismo, característica central da Idade Média (onde Deus está no centro de tudo), começa a dar lugar para o antropocentrismo (cujo homem está no centro no mundo).

Dessa forma, o humanismo, como o próprio nome indica, buscou a valorização do homem e permitiu compreender melhor o mundo e o ser-humano.

3. Classicismo (século XVI)

  • Período: 1537 a 1580
  • Produção literária: sonetos e epopeias.
  • Principais características: imitação dos modelos clássicos; humanismo renascentista; objetividade.
  • Principais escritores: Francisco Sá de Miranda, Bernardim Ribeiro, António Ferreira, Luís de Camões, Miguel de Cervantes.

Movimento literário que buscou a pureza, a beleza, a perfeição, o rigor e o equilíbrio dos clássicos, o Classicismo surgiu no contexto do Renascimento. Por esse motivo, a produção literária desse período também ficou conhecida como literatura renascentista.

Em Portugal, o início do Classicismo foi marcado pelo retorno do poeta Francisco Sá de Miranda, que estava na Itália. Assim, inspirado no humanismo italiano, ele trouxe uma nova forma de poesia chamada o “dolce stil nuevo” (Doce estilo novo), baseado na forma fixa do soneto.

Vale notar que os escritores classicistas buscavam a perfeição estética aliada a esse modelo mais clássico. Por isso, a mitologia greco-romana é um dos temas explorados.

4. Quinhentismo (século XVI)

  • Período: 1500 a 1600
  • Produção literária: crônicas de viagem, literatura de informação, literatura jesuítica (de catequese).
  • Principais características: conquista material e espiritual; caráter documental e religioso; exaltação à terra
  • Principais escritores: Pero Vaz de Caminha, José de Anchieta, Manuel da Nóbrega, Pero de Magalhães Gândavo.

Primeiro movimento literário do Brasil, o Quinhentismo surge no início do século XV sendo marcado pela chegada dos portugueses ao Brasil. Os textos do período surgem da necessidade dos viajantes de expressar as impressões das terras encontradas além-mar.

Dessa forma, as crônicas de viagem e a literatura de informação são produções que se destacam nesse momento. Textos descritivos, repletos de adjetivos e impressões de seus autores são as principais características dessa produção literária. Um dos maiores destaques é a Carta de Pero Vaz de Caminha, escrita em 1.º de maio de 1500 no Brasil.

5. Barroco (séculos XVI, XVII e XVIII)

  • Período: 1601 a 1767 (no Brasil) / 1580 a 1756 (em Portugal)
  • Produção literária: poemas épicos, líricos, satíricos, eróticos, religiosos; sermões.
  • Principais características: cultismo; conceptismo; rebuscamento da linguagem.
  • Principais escritores: Bento Teixeira, Gregório de Matos, Manuel Botelho de Oliveira, Frei Vicente de Salvador, Frei Manuel da Santa Maria de Itaparica, Padre Antônio Vieira, Padre Manuel Bernardes, Francisco Manuel de Melo, Francisco Rodrigues Lobo, Soror Mariana Alcoforado, Antônio José da Silva.

Movimento literário que representa a dualidade histórica do período, o Barroco também ficou conhecido como Seiscentismo.

Em Portugal, esse movimento teve início com a morte de Camões, em 1580. Já no Brasil, o Barroco começa um pouco depois, em 1601, com a publicação da obra Prosopopeia, de Bento Teixeira.

Esse estilo esteve pautado na valorização dos detalhes, dos contrastes, evidenciados por uma literatura que prezou o jogo de palavras e de ideias.

6. Arcadismo (séculos XVIII e XIX)

  • Período: 1768 a 1835 (no Brasil) / 1756 a 1835 (em Portugal)
  • Produção literária: sonetos
  • Principais características: valores clássicos; racionalismo; bucolismo
  • Principais escritores: Cláudio Manuel da Costa, José de Santa Rita Durão, José Basílio da Gama, Tomás Antônio Gonzaga, Inácio José de Alvarenga Peixoto, Silva Alvarenga, Bocage, António Dinis da Cruz e Silva, Correia Garção, Marquesa de Alorna, Francisco José Freire, Domingos dos Reis Quita, Nicolau Tolentino de Almeida, Filinto Elísio.

O Arcadismo, também chamado de Setecentismo ou Neoclassicismo, foi um movimento literário de busca da simplicidade. Influenciado pelos ideais luministas, ele surge no século XVIII durante a revolução industrial que despontava na Inglaterra.

No Brasil, o Arcadismo tem início em 1768 com a publicação de Obras Poéticas, de Cláudio Manuel da Costa e a fundação da Arcádia Ultramarina, em Vila Rica. Já em Portugal, ele começa em 1756 com a fundação da Arcádia Lusitânia em Lisboa.

Os escritores árcades se afastaram do modelo anterior do barroco, onde o exagero e os excessos eram notórios, para usufruir de uma vida no campo, longe da agitação das cidades.

7. Romantismo (século XIX)

  • Período: 1836 a 1880 (no Brasil) / 1836 a 1864 (em Portugal)
  • Produção literária: poemas românticos, romances indianistas, regionalistas, históricos e urbanos.
  • Principais características: idealismo; egocentrismo; nacionalismo.
  • Principais escritores: Gonçalves de Magalhães, Gonçalves Dias, Teixeira e Souza, Araújo Porto-Alegre, José de Alencar, Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela, Junqueira Freire, Castro Alves, Tobias Barreto, Sousândrade, Visconde de Taunay, Almeida Garret, Alexandre Herculano, Antônio Feliciano de Castilho, Oliveira Marreca, Camilo Castelo Branco, Júlio Diniz.

O Romantismo foi um momento de intensa produção literária tanto no Brasil como em Portugal. Esse período foi dividido em três gerações que, no Brasil, ficaram conhecidas como: geração nacionalista-indianista, geração ultrarromântica e geração condoreira.

Na primeira fase, o índio foi eleito como herói nacional e a produção literária esteve voltada para a exaltação da terra. Na segunda, as principais características foram o pessimismo e o egocentrismo, cujos temas estavam centrados na morte, na fuga da realidade, nos vícios e na melancolia.

Já na terceira fase, a liberdade e a justiça foram os principais motes, tendo o abolicionismo como marca da produção literária do momento.

8. Realismo (século XIX)

  • Período: 1881 a 1893 (no Brasil) / 1865 a 1890 (em Portugal)
  • Produção literária: romances, contos e poesia.
  • Principais características: retrato fidedigno da realidade; cientificismo; denúncia social.
  • Principais escritores: Machado de Assis, Antero de Quental, Guerra Junqueiro, Cesário Verde, Eça de Queiroz.

O movimento realista tem início na França com a publicação de Madame Bovary de Gustave Flaubert, em 1857. Essa nova visão da realidade se espalhou pela Europa rapidamente chegando ao Brasil décadas depois.

Em Portugal, o realismo tem início com a Questão Coimbrã, ocorrida em 1865. De um lado estavam os escritores românticos e de outro, os acadêmicos da Universidade de Coimbra que lutavam por uma mudança do cenário literário.

No Brasil, o realismo surge em 1881 com a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. A produção literária desse movimento preocupou-se em captar o real e, por isso, eram objetivas e repletas de descrições.

9. Naturalismo (século XIX)

  • Período: 1881 (no Brasil) / 1875 (em Portugal)
  • Produção literária: romances
  • Principais características: radicalização do realismo; visão mecanicista do homem; cientificismo.
  • Principais escritores: Aluísio Azevedo, Raul Pompeia, Adolfo Caminha, Inglês de Sousa, Eça de Queiroz, Francisco Teixeira de Queirós, Júlio Lourenço Pinto, Abel Botelho.

O movimento naturalista surge em 1880, na França, com a publicação da obra O Romance Experimental, de Émile Zola. No Brasil, o naturalismo teve como marco inicial a publicação do romance O Mulato (1881), de Aluísio de Azevedo. Já em Portugal, a publicação da obra de O Crime do Padre Amaro (1875) de Eça de Queiroz inaugurou o movimento no país.

O naturalismo está intimamente relacionado com o realismo, visto que a descrição e percepção da realidade são também características marcantes. No entanto, ele é definido como um movimento de radicalização do realismo, sendo mais exagerado e com a presença de personagens patológicas.

Dessa forma, a produção literária naturalista engloba romances cujas personagens são desequilibradas, mórbidas e doentias.

10. Parnasianismo (século XIX)

  • Período: 1882 a 1893 (no Brasil)
  • Produção literária: poesia, sobretudo sonetos
  • Principais características: arte pela arte; valorização da cultura clássica; rigor estético.
  • Principais escritores: Teófilo Dias, Olavo Bilac, Alberto de Oliveira, Raimundo Correia, Vicente de Carvalho, Francisca Júlia, João Penha, Gonçalves Crespo, António Feijó, Cesário Verde.

O movimento parnasiano tem início em 1866, na França, com a publicação das antologias Parnase Contemporain. No Brasil, ele é inaugurado em 1882 com a publicação da obra Fanfarras, de Teófilo Dias. Os maiores poetas parnasianos brasileiros - Olavo Bilac, Alberto de Oliveira e Raimundo Correia - formaram a tríade parnasiana.

Vale lembrar que a “arte pela arte” é o grande mote do movimento parnasianista, cujos poetas possuíam uma maior preocupação estética em detrimento do conteúdo. Assim, de maneira objetiva e inspirados em temas da realidade, os escritores parnasianos demonstraram o culto à forma em suas produções.

11. Simbolismo (séculos XIX e XX)

  • Período: 1893 a 1901 (no Brasil) / 1890 a 1915 (em Portugal)
  • Produção literária: poesia
  • Principais características: subjetivismo; misticismo; valorização da espiritualidade humana.
  • Principais escritores: Cruz e Souza, Alphonsus de Guimarães, Eugênio de Castro, Camilo Pessanha, Antônio Nobre.

O simbolismo literário tem início em 1857, na França, com a publicação da obra As Flores do Mal, de Charles Baudelaire. No Brasil, Cruz e Souza inaugura o movimento em 1893 com suas obras Missal (prosa) e Broquéis (poesia).

Já em Portugal, o simbolismo tem início em 1890 com o livro de poemas Oaristos, de Eugênio de Castro.

O subjetivismo, o egocentrismo e o pessimismo permeiam a produção desse momento, cujos escritores fazem uso de figuras de linguagem como a sinestesia e a aliteração, proporcionando uma forte musicalidade às suas poesias.

12. Pré-modernismo (século XX)

  • Período: 1900 a 1922 (no Brasil)
  • Produção literária: romances e poesia
  • Principais características: nacionalismo; regionalismo; sincretismo estético.
  • Principais escritores: Euclides da Cunha, Graça Aranha, Monteiro Lobato, Lima Barreto, Augusto do Anjos.

O pré-modernismo foi um movimento de transição caracterizado por uma intensa produção literária. Nesse período, as obras apresentavam características distintas - neo-realistas, neo-parnasianas e neo-simbolistas - o que conferiu um sincretismo estético notório.

Embora houvesse diversos estilos, a preocupação com a realidade nacional foi a característica mais marcante das obras produzidas. Dessa forma, os escritores pré-modernistas buscavam denunciar a sociedade, ao mesmo tempo que tentavam desmistificar alguns estereótipos, como o do sertanejo.

13. Modernismo (século XX)

  • Período: 1922 a 1960 (no Brasil) / 1915 a 1960 (em Portugal)
  • Produção literária: romances (prosa urbana, regionalista, intimista) e poesia
  • Principais características: ruptura com o passado; espírito dinâmico, crítico e questionador; liberdade e originalidade artísticas.
  • Principais escritores: Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Rachel de Queiroz, Jorge Amado, Érico Veríssimo, Graciliano Ramos, Vinícius de Moraes, Cecília Meireles, João Cabral de Melo Neto, Clarice Lispector, Guimarães Rosa, Murilo Mendes, Mario Quintana, Jorge de Lima, Ariano Suassuna, Lygia Fagundes Telles, Fernando Pessoa, Mário de Sá Carneiro, Almada Negreiros, Branquinho da Fonseca, João Gaspar Simões, José Régio, Alves Redol, Ferreira de Castro, Soeiro Pereira Gomes.

Com uma intensa produção literária, o movimento modernista no Brasil têm início com a Semana de arte moderna de 1922 e, em Portugal, ele começa em 1915 com a publicação da Revista Orpheu.

Inspirados pelas vanguardas artísticas que despontavam na Europa, os escritores desse período apostaram numa nova visão que rompesse com as estruturas do passado.

No Brasil, o movimento foi dividido em três fases: Fase heroica (1922 a 1930); Fase de consolidação (1930 a 1945); Geração de 45 (1945 a 1980).

Em Portugal, o movimento também se ramificou em três períodos: Orfismo ou Geração de Orpheu (1915 a 1927); Presencismo ou Geração de Presença (1927 a 1940); Neorrealismo (1940 a 1947).

14. Pós-modernismo (séculos XX e XXI)

  • Período: 1980 até os dias atuais
  • Produção literária: prosa e poesia
  • Principais características: ausência de valores; pluralidade de estilos; individualismo
  • Principais escritores: Antônio Callado, Adélia Prado, Caio Fernando Abreu, Carlos Heitor Cony, Cora Coralina, Dalton Trevisan, Ferreira Gullar, Lya Luft, Millôr Fernandes, Murilo Rubião, Nélida Pinõn, Paulo Leminski, Rubem Braga, Cacaso.

O movimento pós-moderno se consolida após a queda do muro de Berlim, em 1989. Influenciado pela era digital e a globalização, novas ideias vão surgindo no campo artístico. Esse movimento de teor antiartístico, está intimamente relacionado com a vida do homem pós-moderno e a expansão das comunicações.

Dessa forma, os escritores desse período exploram a pluralidade de gêneros, a polifonia e a intertextualidade. A ausência de valores e regras fez com que a produção literária pós-moderna apresentasse características como: a imaginação, a espontaneidade e o individualismo permeados por uma realidade ambígua e multiforme.

Sobre esse tema, veja também:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.