Escolas Literárias

Márcia Fernandes

As Escolas Literárias são as formas como estão divididas a literatura mediante as características apresentadas em cada uma delas. Essa divisão depende, entre outros aspectos, principalmente dos momentos históricos.

Também chamadas de movimentos literários, as escolas literárias dividem-se em eras, sendo elas: era colonial e era nacional.

Escolas da Era Colonial

As escolas da era colonial refletem a influência da literatura portuguesa, afinal surge com o descobrimento do Brasil até alguns anos antes da sua independência.

EscolasCaracterísticasAutores e Obras
Quinhentismo (1500 - 1601)Textos de caráter informativo e de caráter pedagógico.
  • Pero Vaz de Caminha - Carta de Pero Vaz de Caminha a el-rei D. Manuel
  • Gândavo - Tratado da Terra do Brasil
  • José de Anchieta - Poema à Virgem
Barroco
(1601 - 1768)
Caracteriza-se pelos detalhes, pelo exagero e pelo rebuscamento. Nele destaca-se o cultismo e o conceptismo.
  • Gregório de Matos - Triste Bahia
  • Bento Teixeira - Prosopopeia
  • Botelho de Oliveira - Música do Parnaso
Arcadismo
(1768 - 1808)
Exaltação da natureza e linguagem simples. Este período literário é marcado principalmente pela simplicidade dos temas abordados.
  • Cláudio Manuel da Costa - Obras Poéticas
  • Santa Rita Durão - Caramuru
  • Tomás Antônio Gonzaga - Marília de Dirceu

Saiba mais sobre as escolas literárias da era colonial:

Entre os anos 1808 e 1836 há uma fase de transição.

Escolas da Era Nacional

As escolas da era nacional caracterizam-se pela autonomia da literatura brasileira, cujo país, nesse momento, já é independente.

EscolasCaracterísticasAutores e Obras
Romantismo (1836 - 1881)

Cada uma das fases do Romantismo apresenta características distintas:

1.ª fase: nacionalismo e indianismo

2.ª fase: egocentrismo e pessimismo

3.ª fase: liberdade

  • 1.ª fase: Gonçalves Dias - Canção do Exílio
  • 2.ª fase: Álvares de Azevedo - Lira dos Vinte Anos
  • 3.ª fase: Castro Alves - O Navio Negreiro
Realismo
Naturalismo
Parnasianismo
(1881 - 1893)

Realismo: objetividade, temática social, linguagem objetiva

Naturalismo: linguagem mais próxima da coloquial, temática polêmica

Parnasianismo: arte pela arte, culto à forma

  • Realismo: Machado de Assis - Memórias Póstumas de Brás Cubas
  • Naturalismo: Aluísio de Azevedo - O Mulato
  • Parnasianismo: Olavo Bilac - Tratado de Versificação
Simbolismo
(1893 - 1910)
Subjetivismo, espiritualidade e misticismo são características que refletem o estilo desta escola.
  • Cruz e Sousa - Tropos e Fantasias
  • Alphonsus de Guimarães - Kyriale
  • Augusto dos Anjos - Eu
Pré-Modernismo
(1910 - 1922)
O Pré-Modernismo rompe com o academicismo, além do que é marcado pela marginalidade das suas personagens.
  • Euclides da Cunha - Os Sertões
  • Lima Barreto - Triste Fim de Policarpo Quaresma
  • Graça Aranha - Canaã
Modernismo
(1922 - 1950)

O Modernismo se divide em três fases, caracterizadas por:

1.ª fase: renovação estética, radicalismo

2.ª fase: temáticas nacionalistas

3.ª fase: inovações linguísticas e experimentações artísticas

  • 1.ª fase: Manuel Bandeira - Libertinagem
  • 2.ª fase: Graciliano Ramos - Vidas Secas
  • 3.ª fase: Clarice Lispector - A Legião Estrangeira
Pós-Modernismo
(1950 - até hoje)
Espontaneidade, liberdade artística, multiplicidade de estilos e combinação de tendências são as principais marcas dessa escola literária.
  • Ariano Suassuna - Auto da Compadecida
  • Millôr Fernandes - Millôr Definitivo: A Bíblia do Caos
  • Paulo Leminski - Agora é que são Elas

Saiba mais sobre as escolas literárias da era nacional:

Leia também:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.