Estilos de Época

Daniela Diana

Na literatura, os Estilos de Época (também chamadas de Escolas Literárias ou Movimentos Literários) representam o conjunto de procedimentos estéticos que caracterizam a produção literária de determinado período histórico.

Estão concentrados a partir de características semelhantes entre as obras dos produtores literários, nesse caso, os escritores.

Em outras palavras, os estilos de época surgem na medida em que os processos artísticos individuais se tornam repetitivos e constantes.

São assinalados por determinada época histórica de acordo com seus valores estéticos e ideológicos, criando assim, uma geração de escritores e consequentemente, de obras literárias que apresentam características semelhantes.

Estilo Individual

O Estilo Individual ou Estilo Pessoal designa o modo particular utilizado por cada escritor na composição de suas obras.

Ou seja, representa o conjunto de características estilísticas ou temáticas (na forma ou no conteúdo da construção poética), o qual fora incluído numa determinada escola literária, de acordo com a época vivida (contexto-histórico) ou até mesmo pelas características que ressaltam em sua obra.

Dessa maneira, podemos pensar no escritor Machado de Assis (1839-1908) que está inserido no movimento romântico e realista, uma vez que suas obras contêm características de ambas escolas.

Estilos de Época na Literatura Brasileira e Portuguesa

Toda a produção literária foi dividida didaticamente em “Eras ou Épocas”.

Dentro delas, surgem as “Escolas, Movimentos ou Correntes”, as quais representam um período histórico determinado, repleto de escritores e obras, que possuem semelhanças estilísticas e temáticas e compartilham estilos e visão de mundo.

Note que qualquer obra literária apresenta marcas do contexto em que foi produzida, seja na esfera social, política, cultural ou ideológica da época em questão.

Na Literatura de Portugal, as Eras são classificadas em: Medieval, Clássica e Moderna, sendo que dentro de cada uma há um conjunto de movimentos literários.

  • Na Era Medieval estão reunidos os movimentos literários do Trovadorismo (1189) e do Humanismo (1418).
  • Na Era Clássica encontram-se as escolas: Classicismo (1527), Barroco (1580) e o Arcadismo (1756).
  • Na Era Moderna, também denominada de Era Romântica, estão os movimentos: Romantismo (1825), Realismo-Naturalismo (1865), Simbolismo (1890) e Modernismo (1915).

A Literatura Brasileira é formada por duas Eras: Colonial e Nacional.

  • Na Era Colonial estão reunidas as escolas literárias do Quinhentismo (1500), Barroco (1601) e Arcadismo (1768).
  • Na Era Nacional estão: o Romantismo (1836), Realismo/Naturalismo/Parnasianismo (1881), Simbolismo (1893), Pré-Modernismo (1902) e o Modernismo (1922).

Periodização da Literatura

A Periodização Literária representa o conjunto de eras e escolas literárias, agrupadas sistematicamente de forma a facilitar o estudo dos escritores e da arte literária.

A divisão das escolas literárias de Portugal e Brasil diferem na época em que cada uma começou a se desenvolver, entretanto, abrigam características semelhantes.

O conjunto de movimentos literários portugueses são: Trovadorismo, Humanismo, Classicismo, Barroco, Arcadismo, Romantismo, Realismo-Naturalismo, Simbolismo, Modernismo.

O conjunto de movimentos literários brasileiros são: Quinhentismo, Barroco, Arcadismo, Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parnasianismo, Simbolismo, Pré-Modernismo e Modernismo.

Trovadorismo (século XII a XIV)

Destacam-se os cancioneiros e as cantigas (amor, amigo e escárnio), sendo as principais características do Trovadorismo: união de música e poesia, uso da emoção, críticas sociais, ideal cavaleiresco, tradições populares, temas profanos e amorosos.

Humanismo (século XV)

Marcado pela transição do teocentrismo para o antropocentrismo, as principais características do Humanismo são: foco no psicológico das personagens (crônicas históricas e teatro) e separação do texto literário e da poesia.

Quinhentismo/Classicismo (século XVI)

O classicismo é o nome atribuído às manifestações literárias que ocorreram em Portugal no século XVI, sendo suas principais características o antropocentrismo, universalismo, nacionalismo, predomínio da razão e do equilíbrio e rigor formal.

Por sua vez, o Quinhentismo é o nome da primeira manifestação literária ocorrida no Brasil no século XVI, após a chegada dos portugueses.

As principais características do Quinhentismo são: literatura Informativa (crônicas de viagens) baseada em temas sobre a conquista material e espiritual, e a literatura de catequese.

Barroco/Seiscentismo (século XVII)

Surgido com a crise renascentista europeia no período da Contrarreforma, o barroco representa a escola literária do conflito do corpo e da alma, baseada na busca dos valores humanísticos donde congrega duas principais características: cultismo (jogo de palavras) e o conceptismo (jogo de ideias).

Arcadismo/Setecentismo (século XVIII)

Retorno ao modelo clássico, o arcadismo ao contrário do barroco busca a objetividade, sendo suas principais características: bucolismo (natureza), predomínio da razão, cientificismo, universalismo e materialismo.

Romantismo (primeira metade do século XIX)

No período romântico há o rompimento com a tradição clássica (greco-romana), sendo suas principais características: sentimentalismo, nacionalismo, subjetividade, individualidade, egocentrismo, escapismo, idealização da mulher.

Realismo (segunda metade século XIX)

Oposto aos ideais românticos, o realismo pretendeu desenvolver um retrato mais fidedigno da realidade, sendo suas principais características: objetivismo, veracidade, contemporaneidade, foco no psicológico das personagens, temática social, urbana e cotidiana.

Naturalismo (segunda metade século XIX)

Diante de uma linguagem mais próxima do coloquial, o naturalismo recorre a uma visão determinista e mecanicista do homem, de forma que propõem apresentar a realidade com objetividade.

Além disso, outra característica marcante do naturalismo é a presença de personagens patológicas (desequilibradas e doentias com características de morbidez).

Parnasianismo (segunda metade século XIX)

A maior preocupação dos poetas parnasianos foi a busca do rigor estético, traduzido na perfeição da forma poética, sendo suas principais características: objetivismo, cientificismo, universalismo, culto à forma poética.

Simbolismo (final do século XIX)

Movimento literário oposto ao realismo e naturalismo, o simbolismo utiliza da musicalidade para propor uma arte mais subjetiva, relacionada à imaginação (subconsciente e inconsciente) e ao irracional.

Pré-Modernismo e Modernismo (século XX)

Movimento de transição literária entre o simbolismo e o modernismo, o pré-modernismo despontou no Brasil no início do século XX.

Composto de uma grande variedade estética (gama de características), ele rompeu com o academicismo, ao propor uma arte mais próxima do cotidiano e da realidade, a partir de uma linguagem coloquial traduzida no regionalismo e marginalização de personagens.

Da mesma forma, o Modernismo rompeu com o tradicionalismo, propondo uma libertação estética e formal da arte literária.

Pós-Modernismo

O Pós-Modernismo surge a partir dos anos 50, o movimento pós-modernista vigora até os dias atuais pautados na imprecisão, no hiper-realismo, na individualidade e na busca incessante do prazer (hedonismo).

Saiba mais sobre:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.