Bússola


A bússola, também chamada de bússola magnética, é um objeto utilizado para orientação geográfica.

Durante muito tempo esse instrumento foi utilizado na navegação como forma de localização, e até hoje é considerada uma das maiores invenções da humanidade.

Bússola

Como Funciona a Bússola?

Por meio de uma agulha magnetizada colocada de maneira horizontal, a bússola é um objeto capaz de localizar os pontos cardeais (norte, sul, leste e oeste).

Portanto, ela possui em seu interior a rosa dos ventos que indica os pontos cardeais, colaterais e subcolaterais da Terra.

Isso porque ela atua sob o magnetismo terrestre, sendo atraída para a direção dos polos do planeta.

A agulha, suspensa pelo centro de gravidade, gira de acordo com os movimentos realizados.

Note que ela aponta sempre para o polo norte magnético da Terra. Isso porque o planeta funciona como um enorme ímã que exerce força de atração nessa direção.

Você sabia?

Com alguns objetos simples você pode construir uma bússola caseira de baixa precisão. Basta ter um ímã, uma agulha, um pedaço de isopor (ou cortiça), uma fita adesiva e uma vasilha com água.

Para magnetizar a agulha basta esfregá-la durante alguns segundos no ímã. Por conseguinte, prenda a agulha no isopor ou na cortiça por meio da fita adesiva.

Por fim, basta colocar na água e ver que a agulha magnetizada irá se alinhar com o campo magnético da Terra indicando a direção norte-sul.

Bússola Caseira

Ilustração de uma bússola caseira

Os primeiros modelos de bússola foram criados dessa maneira mais rudimentar. Ou seja, agulhas magnetizadas eram colocadas em madeira ou rolhas que flutuavam num recipiente com água.

Origem e História da Bússola

A bússola provavelmente foi criada na China no século I. Diferente do que conhecemos hoje, naquela época o protótipo de bússola foi criado com um prato quadrangular que representava a Terra. Sob ele foi colocada uma espécie de colher de magnetite.

Bússola Chinesa

A primeira bússola criada pelos chineses

Logo no início, esse objeto foi utilizado na navegação e até os dias de hoje possui grande importância nos estudos da cartografia e astronomia. Mais tarde ela foi trazida para a Europa pelos árabes e levada para outras partes do mundo.

Já na Idade Média e no Renascimento era um instrumento muito conhecido. Foi ela que permitiu e facilitou na exploração do novo mundo na época das grandes navegações.

No século XIII o navegante e inventor italiano Flavio Gioia contribuiu com o aperfeiçoamento da bússola. Ele utilizou esse sistema sob um cartão com a rosa dos ventos, que indicava os pontos cardeais. Para alguns, ele é tido como o próprio inventor do objeto.

No entanto, foi somente no século XIX que a bússola moderna foi elaborada. Isso porque o inventor e físico inglês William Sturgeon construiu em 1825 o primeiro eletroímã.

A partir disso, foram criados diversos tipos de bússola. Com a atualidade e os avanços tecnológicos é possível hoje ter uma bússola online.

Ou seja, por meio de um aplicativo instalado em algum dispositivo (celular, tablete, computador) a bússola digital pode ser utilizada por qualquer pessoa que queira se localizar.

Curiosidades

  • O termo bússola vem do italiano e significa “caixa pequena”
  • As bússolas são protegidas por tampas de vidro para impedir a interferência de outros metais.
  • Objetos metálicos e circuitos elétricos podem interferir no funcionamento da bússola.
  • O polo geográfico é diferente do polo magnético da Terra. Ele está localizado cerca de 1.930 Km ao norte do polo magnético.
  • A declinação magnética representa um ângulo formado entre o norte magnético e o geográfico. O Triângulo das Bermudas é um local do globo em que ocorre declinação magnética.