Dissacarídeos

Carolina Batista

Os dissacarídeos são carboidratos formados pela combinação de dois monossacarídeos através de uma ligação glicosídica.

Estes compostos orgânicos são formados por moléculas de carbono, hidrogênio e oxigênio. Suas principais características são o sabor doce e a solubilidade em água e, por isso, são muito utilizados como adoçantes.

Confira os dissacarídeos mais conhecidos e os alimentos em que são encontrados:

  • Sacarose (glicose + frutose): extraída da cana-de-açúcar;
  • Lactose (glicose + galactose): presente no leite;
  • Maltose (glicose + glicose): encontrada na cevada.

Ligação glicosídica e a estrutura dos dissacarídeos

A união de dois monossacarídeos acontece através de uma ligação glicosídica. Esta ligação covalente é formada com a perda de um átomo de hidrogênio de um dos monossacarídeos e a saída de um radical hidroxila do outro.

Com a saída do hidrogênio e da hidroxila forma-se uma molécula de água. Por isso, pode-se dizer que um dissacarídeo é formado em uma síntese por desidratação.

Ligação glicosídica

A maltose, por exemplo, possui uma ligação glicosídica entre o carbono 1 e o carbono 4 de seus monossacarídeos.

A ligação glicosídica pode ser classificada em alfa ou beta dependendo da posição do radical hidroxila que participará da ligação.

No caso da maltose a ligação é alfa, pois a hidroxila está do lado direito do carbono anomérico, que é o carbono ligado ao oxigênio central. Se a hidroxila estivesse do lado esquerdo teríamos uma ligação beta.

Leia também sobre função e classificação dos carboidratos.

Exemplos de dissacarídeos

Os três dissacarídeos mais conhecidos são: sacarose, maltose e lactose. Ao serem consumidos, o organismo quebra a ligação glicosídica dos dissacarídeos e libera seus monômeros, que são absorvidos e utilizados como fonte de energia.

Sacarose

Este dissacarídeo com sabor doce característico é um açúcar comum em vegetais, extraído principalmente da cana-de-açúcar e beterraba para fazer o açúcar de mesa.

Estrutura da sacarose

Por ser rapidamente absorvido pelo organismo, trata-se de uma fonte de energia imediata. A ação da enzima invertase faz com que sejam liberados as monossacarídeos glicose e frutose por meio da hidrólise.

Maltose

O malte é um grão com alta concentração de maltose. Durante a digestão, a maltose também é liberada pela quebra do polissacarídeo amido.

Estrutura da maltose

A maltose é um açúcar redutor, pois em sua estrutura existe uma extremidade redutora e, portanto, pode ser oxidado. Estes compostos possuem um grupo aldeído ou cetona livre.

Lactose

É encontrada no leite e em seus derivados. Trata-se de um açúcar redutor e menos doce. Sua porcentagem no leite humano pode variar entre 5-8% e no leite de vaca em 4-5%.

Estrutura da lactose

A lactase é a enzima responsável pela quebra da lactose. A intolerância à lactose está relacionada com a ausência desta enzima no intestino, seja ao nascer ou deixando de produzi-la com o tempo.

Carboidratos: diferença entre monossacarídeos, oligossacarídeos e polissacarídeos

Os carboidratos, também chamados de glicídios, são diferenciados principalmente pela complexidade da cadeia. Veja a seguir como ocorre esta classificação.

Monossacarídeos: são os carboidratos mais simples, que podem apresentar a função orgânica aldeído (CHO) ou cetona (C=O).

São classificados de acordo com o número de carbonos presentes na cadeia, por exemplo, triose (3C), tetrose (4C), pentose (5C) e hexose (6C).

Oligossacarídeos: são os carboidratos de cadeia intermediária, formados pela ligação de pelo menos dois monossacarídeos iguais ou diferentes.

Embora os dissacarídeos e os trissacarídeos sejam as moléculas mais conhecidas desta classe, a estrutura destes compostos pode variar de 2 a 10 monossacarídeos.

Polissacarídeos: são carboidratos de cadeia longa. Estas macromoléculas são polímeros, cuja unidade formadora é o monossacarídeo.

Os polissacarídeos mais conhecidos são: amido, reserva energética das plantas, glicogênio, reserva energética de animais e a celulose, componente da parede celular dos vegetais.

Saiba mais sobre os monossacarídeos e polissacarídeos.

Carolina Batista
Carolina Batista
Técnica em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (2011) e Bacharelada em Química Tecnológica e Industrial pela Universidade Federal de Alagoas (2018).