Polissacarídeos

Carolina Batista
Escrito por Carolina Batista
Professora de Química

De acordo com a complexidade, os carboidratos são classificados em monossacarídeos, oligossacarídeos e polissacarídeos. Nessa última classe, estão inseridos uma grande quantidade de carboidratos, como a celulose, o amido e a quitina.

O que são polissacarídeos?

Polissacarídeos são grandes polímeros naturais formados por cadeias de monossacarídeos ligados entre si por ligações glicosídicas, que são ligações covalentes resultantes da condensação de dois monossacarídeos.

Insolúveis em água, os polissacarídeos são carboidratos, também conhecidos como glicanos. Através da hidrólise da biomolécula, um grande número de açúcares menores é liberado.

Exemplos de polissacarídeos

  • Ácido hialurônico: preenche as lacunas entre as células de todos os animais.
  • Amido: reservatório de energia em plantas, encontrado em diversos alimentos.
  • Celulose: componente da parede celular de plantas e outros organismos.
  • Glicogênio: reservatório de energia em animais e outros organismos, como fungos e bactérias.
  • Heparina: componente de órgãos, como pulmões, pele e órgãos de defesa do organismo.
  • Pectina: fibra solúvel que compõe frutas e vegetais.
  • Quitina: componente da parede celular de fungos e da carapaça de insetos.
  • Tunicina: secreção responsável por proteger o corpo de alguns animais pela formação de uma túnica.

Os polissacarídeos mais abundantes da natureza são a celulose e a quitina.

Classificação dos polissacarídeos

De acordo com a sua estrutura, os polissacarídeos são classificados em:

Homopolissacarídeos: apresentam um tipo de monossacarídeo. Exemplos: amido, celulose, glicogênio, pectina, quitina e tunicina.

Heteropolissacarídeos: apresentam dois ou mais tipos de monossacarídeos. Exemplos: ácido hialurônico e heparina.

Estrutura do ácido hialurônico
Estrutura do ácido hialurônico

De acordo com a cadeia polimérica, os polissacarídeos são classificados em:

Polissacarídeos lineares: a união dos monossacarídeos resulta em uma cadeia linear. Exemplos: amilose e celulose.

Polissacarídeos ramificados: apresentam cadeias laterais ligadas à cadeia principal. Exemplos: amilopectina e glicogênio.

estrutura de polissacarídeo
Estrutura da amilopectina

Saiba mais sobre o polissacarídeo glicogênio.

Principais funções dos polissacarídeos

As funções dos polissacarídeos são bem diversificadas, sendo as principais: reserva energética, sustentação e comunicação celular.

Reserva energética

Os polissacarídeos têm a função de armazenar energia. Ao serem decompostos são liberados monossacarídeos, que pela ação de enzimas, transferem para o organismo a energia necessária para realização das atividades.

Nas plantas, a reserva energética é desempenhada pelo amido, que é um polissacarídeo de origem vegetal. Nos animais, a energia é armazenada pelo glicogênio, que é um polissacarídeo de origem animal.

Saiba mais sobre o amido.

Sustentação

Polissacarídeos podem ser componentes estruturais, sendo responsáveis por conferir a estabilidade das paredes celulares.

A quitina, presente em abundância no nosso planeta, é o principal polissacarídeo que desempenha esse papel nos insetos e fungos.

A celulose também desempenha a função estrutural, mas nas plantas. Esse polissacarídeo faz parte da constituição da parede celular das plantas.

Comunicação celular

Polissacarídeos podem se ligar a proteínas e lipídios, formando glicoproteínas e glicolipídios, tornando-se responsáveis pela sinalização dentro das células.

Nesse processo, o polissacarídeo atua indicando que uma proteína, por exemplo, precisa ser direcionada para uma determinada organela e, dessa forma, ele ajuda a célula a entender qual o seu destino.

Você também pode se interessar por:

Atualizado em
Carolina Batista
Escrito por Carolina Batista
Técnica em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (2011) e Bacharelada em Química Tecnológica e Industrial pela Universidade Federal de Alagoas (2018).