Estrogênio

Lana Magalhães

O estrogênio ou estrógeno é um hormônio sexual feminino produzido mais intensamente pelos folículos do ovário. Ele começa a ser produzido na adolescência e continua até a menopausa.

Nos homens, os níveis de estrogênio são mais baixos, mas contribuem na regulação da saúde dos ossos e no metabolismo da gordura e carboidratos.

Funções do estrogênio

O estrogênio é o principal hormônio responsável pelas características sexuais secundárias femininas, tais como o tamanho dos seios e o controle da ovulação.

A partir da puberdade, o estrogênio desempenha importante função no ciclo menstrual. Durante a menopausa ocorre a diminuição da liberação de estrogênio e progesterona, os principais hormônios femininos.

As principais funções do estrogênio são:

  • Estimula o crescimento do endométrio do útero preparando-o para a fertilização;
  • Regula a distribuição de gordura no corpo, contribuindo para as formas corporais femininas, como por exemplo da região do quadril;
  • Desenvolvimento mamário;
  • Crescimento de pelos pubianos;
  • Estimula o desenvolvimento dos pequenos e grandes lábios da vulva.

Produção de estrogênio

Ciclo menstrual e estrogênio
Níveis de estrogênio durante o ciclo menstrual

A produção do estrogênio inicia na puberdade e dura até a menopausa.

O estrogênio é produzido pelos ovários e placenta, e em menor quantidade pelas glândulas suprarrenais e testículos. Nas mulheres, a produção do estrogênio é intimamente relacionada com o ciclo menstrual.

A síntese de estrogênio é regulada por outros dois hormônios chamados de gonadotrofinas, o FSH (hormônio folículo estimulante) e LH (hormônio luteinizante), secretados pela hipófise.

Na fase folicular, início do ciclo menstrual, ocorre liberação de FSH, o que irá promover o amadurecimento dos folículos ovarianos para permitir a ovulação. Com isso, o ovário aumenta a produção de estrogênio com objetivo de preparar o útero para uma possível gravidez.

Durante a fase ovulatória, o estrogênio estimula a liberação do hormônio LH pela hipófise, responsável por selecionar o óvulo mais maduro durante a ovulação. Em geral, isso ocorre até o 14° dia do ciclo menstrual.

A fase lútea é a última fase do ciclo e se inicia por volta dos 12 últimos dias, caracterizada pela predominância do hormônio progesterona. Até esse momento, as ações dos hormônios ainda estão voltadas para preparar o útero para a gravidez. Existe ainda a produção moderada de estrogênio.

Caso tenha ocorrido fecundação, os níveis de progesterona e estrogênio se mantém elevados para garantir o revestimento do útero até a formação da placenta.

Porém, se não houve fecundação, o folículo vai diminuindo no ovário e, consequentemente, os níveis de estrogênio e progesterona caem até que o revestimento do útero seja eliminado, dando origem a uma nova menstruação e reiniciando o ciclo.

Tipos de estrogênio

O estrogênio é, na verdade, um termo que designa também outros compostos, os quais são denominados de hormônios esteroides.

Mais de vinte estrogênios foram identificados, sendo que os mais importantes são o estradiol, a estrona e o estriol. Eles são sintetizados a partir do colesterol.

Existem três tipos de estrogênios naturais presentes nas mulheres, são eles:

  • Estradiol: Principal e mais importante hormônio sexual feminino e essencial para que a gravidez possa acontecer. Estima-se que possua mais de 300 funções no organismo feminino.
  • Estrona: Predominante em mulheres após a menopausa.
  • Estriol: Subproduto do metabolismo da estrona, sendo mais importante durante a gravidez.

Níveis de estrogênio no organismo

Deficiência de estrogênio

Alguns problemas podem ocasionar na pouca produção de estrogênio, reduzindo os seus níveis no organismo. Os principais efeitos da deficiência desse hormônio são os seguintes:

  • Fadiga;
  • Insônia;
  • Ansiedade;
  • Dores de cabeça;
  • Irritabilidade;
  • Ondas de calor e suor noturno;
  • Redução da líbido sexual;
  • Ressecamento da vagina;
  • Dificuldades de atenção;
  • Redução da memória.
Reposição hormonal
A reposição hormonal pode ser indicada durante a menopausa

Na fase da menopausa há uma possível redução dos níveis de estrogênio, existindo a possibilidade de fazer reposição hormonal, com o devido acompanhamento médico.

Excesso de estrogênio

O estrogênio pode passar a ser produzido em maior quantidade pelo organismo em casos de ovários policísticos, tumores nos ovários e pelo uso de alguns tipos de medicamentos.

Quando os níveis de estrogênio ficam acima do normal, surgem os seguintes sintomas:

  • Ganho de peso;
  • Ciclo menstrual irregular;
  • Dificuldades de engravidar;
  • Inchaço das mamas.

Saiba mais, leia também:

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.