Exercícios de Pronomes

Márcia Fernandes

Teste seus conhecimentos sobre todos os tipos de pronomes e fique craque no assunto!

No fim de cada exercício, você encontra as respostas comentadas para conferir se já sabe tudo.

Questão 1

(PUC-SP) No trecho que a seguir transcrevemos, há vários pronomes.

"Com esta história eu vou me sensibilizar, e bem sei que cada dia é um dia roubado da morte. Eu não sou um intelectual, escrevo com o corpo. E o que escrevo é uma névoa úmida."

Identifique, nele, dois pronomes demonstrativos, um pronome pessoal do caso reto e um pronome pessoal do caso oblíquo.

pronomes demonstrativos: esta, o;
pronome pessoal do caso reto: eu;
pronome pessoal do caso oblíquo: me.

Comentário: Neste caso, o artigo “o” tem o valor de pronome demonstrativo. Isso porque poderia ser substituído da seguinte forma: “E aquilo que escrevo é uma névoa úmida."

Questão 2

(Mackenzie) A colocação do pronome oblíquo está incorreta em:

a) Para não aborrecê-lo, tive de sair.
b) Quando sentiu-se em dificuldade, pediu ajuda.
c) Não me submeterei aos seus caprichos.
d) Ele me olhou algum tempo comovido.
e) Não a vi quando entrou.

Alternativa b: Quando sentiu-se em dificuldade, pediu ajuda.

Comentário: O correto seria “Quando se sentiu em dificuldade, pediu ajuda.” Quando há advérbio antes do verbo (quando é advérbio de tempo), usa-se próclise.

Questão 3

(PUC-MG) Encontramos pronome indefinido em:

a) "Muitas horas depois, ela ainda permanecia esperando o resultado."
b) "Foram amargos aqueles minutos, desde que resolveu abandoná-las."
c) "A nós, provavelmente, enganariam, pois nossa participação foi ativa."
d) "Havia necessidade de que tais ideias ficassem sepultadas."
e) "Sabíamos o que você deveria dizer-lhe ao chegar da festa."

Alternativa a: "Muitas horas depois, ela ainda permanecia esperando o resultado."

Comentário: Os pronomes das orações restantes são classificados em:

b) aqueles: pronome demonstrativo;
c) nossa: pronome possessivo;
d) tais: pronome demonstrativo;
e) lhe: pronome pessoal do caso oblíquo.

Questão 4

(UFRJ) Numa das frases, está usado indevidamente um pronome de tratamento. Assinale-a:

a) Os Reitores das Universidades recebem o título de Vossa Magnificência.
b) Sua Excelência, o Senhor Ministro, não compareceu à reunião.
c) Senhor Deputado, peço a Vossa Excelência que conclua a sua oração.
d) Sua Eminência, o Papa Paulo VI, assistiu à solenidade.
e) Procurei o chefe da repartição, mas Sua Senhoria se recusou a ouvir as minhas explicações.

Alternativa d: Sua Eminência, o Papa Paulo VI, assistiu à solenidade.

Comentário: O pronome de tratamento utilizado para o Papa é Vossa Santidade.

Questão 5

(PUC) Na frase: "Chegou Pedro, Maria e o seu filho dela", o pronome possessivo está reforçado para:

a) ênfase
b) elegância e estilo
c) figura de harmonia
d) clareza
e) n.d.a

Alternativa d: clareza.

Comentário: A contração da preposição “de” mais o pronome “ela” foi utilizado para reforçar que o filho é somente de Maria.

Isso porque o pronome “seu” não deixaria essa informação clara: “Chegou Pedro, Maria e o seu filho”, poderia sugerir que o filho é de Pedro e de Maria.

Questão 6

(Fuvest) Assinale a alternativa onde o pronome pessoal está empregado corretamente:

a) Este é um problema para mim resolver.
b) Entre eu e tu não há mais nada.
c) A questão deve ser resolvida por eu e você.
d) Para mim, viajar de avião é um suplício.
e) Quando voltei a si, não sabia onde me encontrava.

Alternativa d: Para mim, viajar de avião é um suplício.

Comentário: Por que as restantes alternativas estão erradas?

  • "mim resolver": sempre que for conjugar um verbo, usa-se pronomes do caso reto e não do caso oblíquo. O correto seria: Este é um problema para eu resolver.
  • "entre eu e tu": com a preposição “entre”, usa-se pronomes pessoais do caso oblíquo. O correto seria: Entre mim e ti não há mais nada.
  • "por eu e você": depois de preposição (por), usa-se pronomes pessoais do caso oblíquo tônicos. O correto seria: A questão deve ser resolvida por mim e ti.
  • "a si": aqui houve uma mistura de pessoas (eu voltei - 1.ª pessoa do singular - e si - 3.ª pessoa do singular). O correto seria: Quando voltei a mim, não sabia onde me encontrava.

Questão 7

(UFPR) Complete com os pronomes e indique a opção correta, dentre as indicadas abaixo:

1. De repente, deu-lhe um livro para _____ ler.
2. De repente, deu um livro para _____ .
3. Nada mais há entre _____ e você.
4. Sempre houve entendimentos entre _____ e ti.
5. José, espere vou _____ .

a) ele, mim, eu, eu, consigo
b) ela, eu, mim, eu, contigo
c) ela, mim, mim, mim, com você
d) ela, mim, eu, eu, consigo
e) ela, mim, eu, mim, contigo

Alternativa c: ela, mim, mim, mim, com você.

Comentário: Depois de preposição usa-se pronome pessoal do caso oblíquo, por isso, a 2.ª oração não poderia ser “De repente, deu um livro para eu”.

O mesmo acontece na 3.ª e na 4.ª oração, de modo que o correto é “Nada mais há entre mim e você.” e “ Sempre houve entendimentos entre mim e ti.”

Na 5.ª oração, o uso de “com você” e “contigo” estão corretos.

Questão 8

(Mackenzie) Assinale a alternativa que apresenta erro de colocação pronominal:

a) Você não devia calar-se.
b) Não lhe darei qualquer informação.
c) O filho não o atendeu.
d) Se apresentar-lhe os pêsames, faço-o discretamente.
e) Ninguém quer aconselhá-lo.

Alternativa d: Se apresentar-lhe os pêsames, faço-o discretamente.

Comentário: Usa-se próclise em orações com conjunções subordinativas “se apresentar…”. Assim, o correto seria: “Se lhe apresentar os pêsames, faço-o discretamente.”.

Questão 9

(UFMA) Identifique a oração em que a palavra “certo” é pronome indefinido:

a) Certo perdeste o juízo.
b) Certo rapaz te procurou.
c) Escolheste o rapaz certo.
d) Marque o conceito certo.
e) Não deixe o certo pelo errado.

Alternativa b: Certo rapaz te procurou.

Comentário: “certo rapaz” dá uma ideia vaga de quem seria o rapaz, motivo pelo qual estamos diante de um pronome indefinido.

Questão 10

(ITA) O pronome pessoal oblíquo átono está bem colocado em um só dos períodos. Qual?

a) Isto me não diz respeito! respondeu-me ele, afetadamente.
b) Segundo deliberou-se na sessão, espero que todos apresentem-se na hora conveniente.
c) Me entenda! Lhe não disse isto!
d) O conselho que dão-nos os pais, levamo-los em conta mais tarde.
e) Amanhã contar-te-ei por que peripécias consegui não envolver-me.

Alternativa a: Isto me não diz respeito! respondeu-me ele, afetadamente.

Comentário: O correto seria: Isto não me diz respeito. No que respeita “respondeu-me”, a colocação está correta pelo fato de que a ênclise é usada quando o verbo inicia a oração.

Questão 11

(Unirio) Assinale o item que completa convenientemente as lacunas do trecho: A maxila e os dentes denotavam a decrepitude do burrinho; _____ , porém, estavam mais gastos que _____ .

a) esses, aquela
b) estes, aquela
c) estes, esses
d) aqueles, esta
e) estes, esses

Alternativa b: estes, aquela.

Comentário: O pronome demonstrativo “estes” refere-se aos dentes, uma vez que é o termo mais próximo. O pronome “aquela” refere-se à maxila, uma vez que é o termo mais distante na oração.

Questão 12

(Cesgranrio) Assinale a opção em que o pronome NÃO tem valor reflexivo:

a) “entregou-se ao mais sombrio desespero”
b) “Quase te fizeste réu de polícia”
c) “– Senhor! – exclamou Isaura correndo a lançar-se aos pés de Álvaro”
d) “as seguintes serão ainda piores… e te farão ir rolando de abismo em abismo”
e) “eu me julgo o mais feliz dos mortais”

Alternativa d: “as seguintes serão ainda piores… e te farão ir rolando de abismo em abismo”.

Comentário: Essa oração não dá a ideia de que o sujeito pratica uma ação sobre si próprio. Afinal são “as seguintes (que o) farão ir rolando ao abismo” e não a própria pessoa.

Questão 13

(Cesgranrio) Marque a opção em que a forma pronominal utilizada está INCORRETA.

a) É difícil, para mim, praticar certos exercícios físicos.
b) Ainda existem muitas coisas importantes para eu fazer.
c) Os chinelos da aposentadoria não são para ti.
d) Quando a aposentadoria chegou, eu caí em si.
e) Para tu não teres aborrecimentos, evita o excesso de velocidade.

Alternativa d: Quando a aposentadoria chegou, eu caí em si.

Comentário: O pronome “eu” pertence à 1.ª pessoa do singular. O pronome “si” pertence à 2.ª pessoa do singular. O correto seria: Quando a aposentadoria chegou, eu caí em mim.

Questão 14

(Enem) O uso do pronome átono no início das frases é destacado por um poeta e por um gramático nos textos abaixo.

Pronominais

Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro.

(ANDRADE, Oswald de. Seleção de textos. São Paulo: Nova Cultural, 1988.)

“Iniciar a frase com pronome átono só é lícito na conversação familiar, despreocupada, ou na língua escrita quando se deseja reproduzir a fala dos personagens (…)”.

(CEGALLA. Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. São Paulo: Nacional, 1980.)

Comparando a explicação dada pelos autores sobre essa regra, pode-se afirmar que ambos:

a) Condenam essa regra gramatical
b) Acreditam que apenas os esclarecidos sabem essa regra.
c) Criticam a presença de regras na gramática.
d) Afirmam que não há regras para uso de pronomes.
e) Relativizam essa regra gramatical.

Alternativa e: Relativizam essa regra gramatical.

Comentário: Apesar da regra de que se usa ênclise quando o verbo inicia a oração, na linguagem coloquial é comum usar a próclise, tal como foi exemplificado pelo poeta.

Questão 15

(Unicamp-SP) O Partido X dedica-se a essa atividade mais do que nunca. Ocorre que ainda está longe do desejado, seja por falta de vontade, de vocação ou de incapacidade do partido. Entre outras razões, é por esse motivo que o dólar sobe.

RODRIGUES, Fernando. Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 set. 2002. Parcialmente adaptado.

a) Na primeira oração ocorre uma palavra (um pronome) que permite concluir que o trecho acima não é o início do texto de Fernando Rodrigues. Qual é a palavra e por que sua ocorrência permite tal conclusão?

A palavra é “essa”, pronome demonstrativo que indica que a atividade já terá sido mencionada no texto.

Questão 16

(UFV-MG) Das alternativas abaixo, apenas uma preenche de modo correto as lacunas das frases. Assinale-a.

Quando saíres, avisa-nos que iremos _____ .
Meu pai deu um livro para _____ ler.
Não se ponha entre _____ e ela.
Mandou um recado para você e para _____ .

a) contigo, eu, eu, eu
b) com você, mim, mim, mim
c) consigo, mim, mim, eu
d) consigo, eu, mim, mim
e) contigo, eu, mim, mim

Alternativa e: contigo, eu, mim, mim.

Comentário: Na conjugação de verbos, usa-se pronome pessoal do caso reto (“para eu ler”).
Depois de preposição, usa-se pronomes pessoais do caso oblíquo. (“entre mim e ela” e “para você e para mim”).

Leia mais sobre Mim ou me: quando usar cada um deles?

Questão 17

(FEI-SP) Substitua os termos destacados pelos pronomes oblíquos correspondentes.

a) Encontraram o corpo na estufa.
b) Arrancara do peito uma cruz de ametistas.
c) A disposição das plantas não permite um esconderijo.

a) Encontraram-no na estufa.
b) Arrancara-a do peito.
c) A disposição das plantas não o permite.

Questão 18

(Mackenzie) "Este inferno de amar - como eu amo! - / Quem mo pôs aqui n’alma ... quem foi? / Esta chama que alenta e consome, / Que é a vida - e que a vida destrói - / Como é que se veio a atear, / Quando - ai quando se há-de apagar? (Almeida Garret)

No texto, os pronomes eu - quem - esta, são, respectivamente:

a) indefinido - pessoal - indefinido
b) pessoal - interrogativo - demonstrativo
c) pessoal - indefinido - demonstrativo
d) interrogativo - pessoal - indefinido
e) indefinido - pessoal - interrogativo

Alternativa b: pessoal - interrogativo - demonstrativo.

Comentário:

  • "eu" é um pronome pessoal do caso reto, que exerce função de sujeito;
  • "quem" é um pronome interrogativo, que é usado na formulação de perguntas diretas ou indiretas;
  • "esta" é um pronome demonstrativo, que é usado para indicar posição .

Questão 19

(FCMSCSP) Por favor, passe _____ caneta que está aí perto de você; _____ aqui não serve para _____ desenhar.

a) aquela, esta, mim
b) esta, esta, mim
c) essa, esta, eu
d) essa, essa, mim
e) aquela, essa, eu

Alternativa c: essa, esta, eu.

Comentário:

  • “Essa caneta”, porque a caneta está mais próxima da pessoa com quem o interlocutor está falando.
  • “Esta”, porque o interlocutor tem a caneta com ele.
  • “Eu”, porque na conjugação de verbos usa-se sempre pronome pessoal do caso reto.

Questão 20

(UFAM) Assinale o item em que há erro no emprego do pronome pessoal:

a) Recebidas as mangas, os meninos as repartiam irmãmente entre si.
b) Sempre me presenteava livros, dizendo-me que era para eu adquirir o hábito da leitura.
c) Estas deliciosas balas de mangarataia, eu as trouxe para ti levares ao Píndaro.
d) Os altruístas pensam menos em si e mais nos outros.
e) Leve o jornal consigo, Acácio. Já o li desde cedo.

Alternativa c: Estas deliciosas balas de mangarataia, eu as trouxe para ti levares ao Píndaro.

Comentário: O correto seria “Estas deliciosas balas de mangarataia, eu as trouxe para tu levares ao Píndaro.”. Isso porque o verbo levar está conjugado na 2.ª pessoa do singular (levares).

Questão 21

Indique a alternativa certa.

a) Há apenas um pronome de tratamento que é utilizado em situações informais. Esse pronome é: senhor(a).
b) Os pronomes de tratamento são usados apenas em situações formais, sem exceção.
c)Vossa Alteza, a Rainha Elizabeth II, está a vossa espera.
d) No aguardo da apreciação de Vossa Senhoria, despeço-me cordialmente.
e) N.D.A.

Alternativa d: No aguardo da apreciação de Vossa Senhoria, despeço-me cordialmente.

“Vossa Senhoria” é o pronome utilizado para se dirigir a funcionários graduados em correspondências comerciais, que é provavelmente o contexto da oração acima.

Quanto às alternativas restantes:

a) “Você”, frequentemente utilizado em situações informais é um pronome de tratamento, enquanto “senhor(a)” é um tratamento respeitoso para se dirigir a pessoas mais velhas.

b) Os pronomes de tratamento são usados em situações formais, com exceção de “você”, que é utilizado em contexto informal.

c) “Vossa Alteza” é o pronome de tratamento usado para príncipes, princesas, duques e duquesa. O pronome adequado para uma rainha é “Vossa Majestade”.

Questão 22

Reescreva a oração abaixo de modo a eliminar a ambiguidade:

A mãe disse ao filho que a sua atitude não estava correta. De seguida, abraçaram-se.

A mãe disse ao filho que a atitude dele não estava correta. De seguida, abraçaram-se.

ou

A mãe disse ao filho que a atitude dela não estava correta. De seguida, abraçaram-se.

O pronome possessivo “seu/sua” algumas vezes gera ambiguidade. Assim, na oração acima, não é possível afirmar se a mãe falava da sua própria atitude ou da atitude do filho.

Para evitar isso, podemos utilizar as formas “dele(a)”, que é a contração de “de + pronome pessoal ele(a)”.

Questão 23

Reescreva cada uma das orações abaixo em uma só. Utilize pronomes relativos para evitar repetições.

a) Você falou sobre o filme. Não assisti esse filme.
b) Aguardo resposta do solicitado. Reencaminho cópia da solicitação.
c) Os vizinhos estão falando coisas por aí. O que os vizinhos disseram é verdadeiro.
d) Minha amiga passou férias num local lindo. Passarei minhas férias no mesmo local.
e) Passa o dia falando do irmão mais novo. Gosta muito do irmão.

a) Não assisti o filme de que você falou. (“que” é um pronome relativo invariável)
b) Aguardo resposta acerca do solicitado cuja cópia da requisição reencaminho. (“cuja” é um pronome relativo variável)
c) As coisas sobre as quais os vizinhos estão falando são verdadeiras. (“as quais” é um pronome relativo variável)
d) Passarei minhas férias num local lindo onde minha amiga passou suas férias também. (“onde” é um pronome relativo invariável)
e) Passo o dia falando do irmão mais novo, de quem gosta muito. (“quem” é um pronome relativo invariável)

Questão 24

Identifique os pronomes interrogativos nas orações abaixo.

a) Gostaria de saber qual o preço daquela viagem.
b) Quanto você pagou pelos meus livros?
c) Quais são as nossas alternativas?
d) Quero saber quem fez essa bagunça.
e) Que dia algo novo acontecerá?

a) qual é pronome interrogativo variável, “daquela” é a contração de “de” + pronome demonstrativo “aquela”.
b) quanto é pronome interrogativo variável, “meus” é pronome possessivo da 1ª pessoa do singular.
c) quais é pronome interrogativo variável, “nossas” é pronome possessivo da 1ª pessoa do plural.
d) quem é pronome interrogativo invariável, “essa” é pronome demonstrativo feminino singular.
e) que é pronome interrogativo invariável, “algo” é pronome indefinido invariável.

Questão 25

Quais alternativas estão erradas?

a) Isso é para mim fazer?
b) Este livro é para mim?
c) Este livro é para eu ler nas férias?
d) Ele ajudou eu no que pôde.
e) Preciso de um destes para mim.

Alternativa a: Isso é para mim fazer?

Correção: Isso é para eu fazer?
“Mim” é um pronome pessoal do caso oblíquo. Os pronomes oblíquos nunca têm a função de sujeito, mas sim de objeto direto.
Os pronomes que têm a função de sujeito são os pronomes do caso reto - eu, tu, ele(a), nós, vós, eles(as).

Alternativa d: Ele ajudou eu no que pôde.

Correção: Ele ajudou-me no que pôde.
“Eu” é um pronome pessoal do caso reto. Os pronomes do caso reto nunca têm a função de complemento, mas sim de sujeito. Nesta oração, o sujeito é “ele”, que pertence ao caso reto.
Os pronomes que têm a função de complemento verbal são os pronomes do caso oblíquo. Neste caso, “me”, o qual se refere à 1ª pessoa do singular.

Questão 26

Indique a oração em que o pronome oblíquo, em destaque, tem a função de objeto direto.

a) Leu-o e foi dormir.
b) Se isto não tivesse acontecido, daria o dinheiro a ti.
c) Atropelou-os e fugiu.
d) Recompensarei se ele obedecer-lhe.
e) Eles me devolveram os livros.

Alternativa a: Leu-o e foi dormir.

Leu (o livro) e foi dormir. (“o” é um pronome oblíquo que tem a função de complemento da oração, que neste caso é a de objeto direto, porque complementa o verbo sem precisar de preposição)

Alternativa c: Atropelou-os e fugiu.

Atropelou (alguém) e fugiu (“os” é um pronome oblíquo que tem a função de complemento da oração, que neste caso é a de objeto direto, porque complementa o verbo sem precisar de preposição)

Quanto às restantes alternativas:

b) Se isto não tivesse acontecido, daria o dinheiro a ti.

Daria o dinheiro (objeto direto) a ti (objeto indireto). (“ti” é um pronome oblíquo que tem a função de complemento da oração, que neste caso é a de objeto indireto, porque complementa o verbo com a necessidade de usar preposição)

d) Recompensarei se ele obedecer-lhe.

Obedecer a (alguém) (“lhe” é um pronome oblíquo que tem a função de complemento da oração, que neste caso é a de objeto indireto, porque complementa o verbo com a necessidade de usar preposição)

e) Eles me devolveram os livros.

Devolveram os livros a mim (“mim” é um pronome oblíquo que tem a função de complemento da oração, que neste caso é a de objeto indireto, porque complementa o verbo com a necessidade de usar preposição)

Questão 27

Complete com os pronomes demonstrativos adequados.

a) Pedro, ______ livro que você está segurando foi o que li nas últimas férias.
b) Queria ler ______ livro que está na última prateleira.
c) ______ livro aqui eu ganhei no meu aniversário, mas ainda não tive vontade de começar a ler.

a) Pedro, esse livro que você está segurando foi o que li nas últimas férias.

O pronome “esse” deve ser usado quando o elemento de que se fala está próximo da pessoa com quem falamos. Neste caso, o livro está nas mãos do Pedro.

b) Queria ler aquele livro que está na última prateleira.

O pronome “aquele” deve ser usado quando o elemento de que se fala está distante da pessoa que fala e da pessoa com quem se fala. Neste caso, o livro está na última prateleira da livraria/biblioteca.

c) Este livro aqui eu ganhei no meu aniversário, mas ainda não tive vontade de começar a ler.

O pronome “este” deve ser usado quando o elemento de que se fala está com a pessoa que fala. Neste caso, o livro está comigo.

Questão 28

Identifique e classifique os pronomes pessoais na primeira estrofe do poema Três Idades, de Manuel Bandeira:

"A vez primeira que te vi,
Era eu menino e tu menina.
Sorrias tanto... Havia em ti
Graça de instinto, airosa e fina.
Eras pequena, eras franzina...
"

“A vez primeira que te vi”: pronome pessoal do caso oblíquo, 1ª pessoa do singular
“Era eu menino...”: pronome pessoal do caso reto, 1ª pessoa do singular
“... e tu menina”: pronome pessoal do caso oblíquo, 2ª pessoa do singular
“Sorrias tanto... Havia em ti”: pronome pessoal do caso oblíquo, 2ª pessoa do singular

Para você estudar mais:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.