Guerra dos Trinta Anos


A Guerra dos Trinta Anos representou um conjunto de conflitos, de caráter político e religioso, desenvolvidos entre diversos países da Europa (França, Inglaterra, Espanha, Portugal, Alemanha, Dinamarca, Países Baixos, Áustria, Suécia), durante os anos de 1618 e 1648.

Essas batalhas, que durariam três décadas, buscavam sobretudo o domínio na Europa. Teve início em 23 de maio de 1618, na região da Boêmia (atualmente território da República Tcheca) com a invasão de um grupo de protestantes ao Palácio Real, posto que estavam insatisfeitos (com destruição dos templos protestantes, a proibição aos cultos, dentre outras) e se sentiam, cada vez mais, ameaçados pelos católicos. Esse momento, conhecido como a “Defenestração de Praga”, ficou marcado pela violência ao Rei Católico Fernando II, o qual fora atirado pela janela do Palácio Real.

Resumo

A guerra dos trinta anos, de cunho religioso e político, começou após a passagem da Idade Média para a Idade Moderna, com a crise do sistema feudal e da Igreja Medieval, de forma que o poder religioso da Igreja, vinha perdendo prestígio e fiéis com a Reforma Protestante, de Martinho Lutero, em meados do século XVI.

Além disso surgia uma nova classe social, a burguesia, que ao lado dos reis, libertaram as cidades medievais (burgos) do domínio feudal, o que resultou, mais tarde, na formação das monarquias nacionais, fortalecendo o poder e a independência dos países europeus.

Foi assim que as divergências entre os adeptos do catolicismo e do protestantismo passaram a ser comuns naquela época, o que gerou diversas disputas, por exemplo, entre os reinos do Sacro Império Romano-Germânico, com príncipes de aspiração católicos e outros, protestantes.

Nesse ínterim, um evento que marcou um desses conflitos religiosos foi no momento em que o Imperador Católico Rodolfo II (1576-1612), avançou contra os ideais dos reinos protestantes na Alemanha, com a destruição de diversas Igrejas, o que levou a união dos príncipes protestantes e a criação da “Liga Evangélica” em 1608, enquanto os católicos criavam a “Liga Sagrada”, no ano seguinte.

Ademais de seu caráter religioso, os países europeus estavam empenhados em conquistar os territórios e desenvolverem o comércio, o que decerto gerou diversas contendas, da qual se destaca a guerra dinástica entre os Habsburgos, da Áustria, e os Bourbons, da França e Navarra (na atual Espanha).

Os Habsburgos representavam uma dinastia germânica interessada em combater o protestantismo no Sacro-Império, enquanto, a casa Bourbon, herdeira das dinastias capetíngias francesa e espanhola, lutava pelos ideais protestantes. Ambas lutavam pela ampliação do domínio político e econômico.

O fim desses conflitos foi marcado pela queda do Sacro Império Romano Germânico, a fragmentação da Alemanha, que foi derrotada e ficou devastada durante esses anos de conflitos, enquanto, a França adquiriu grande poder e relevância no continente, além de conquistar o território da Alsácia-Lorena. A Suécia ficou com os territórios da Pomerânia, Wismar, Bremen e Werden, e os Países Baixos se tornaram independentes da Espanha.

Portanto, em 24 de outubro de 1648 foi assinado o Tratado denominado a “Paz de Vestfália”, que pôs fim aos conflitos no continente europeu, permitindo a liberdade de culto para ambas religiões e acabando com a luta pela conquista dos territórios.

Períodos da Guerra

A Guerra dos Trinta Anos é dividida em quatro períodos, a saber:

  • Período Palatino-Boémia (1618-1625)
  • Período Dinamarquês (1625-1629)
  • Período Sueco (1630)
  • Período Francês (1635-1648)

Principais Batalhas da Guerra dos Trinta Anos

Muitos conflitos aconteceram durante esse período. Estima-se que aproximadamente 40 batalhas ocorreram durante esses trinta anos de conflitos, das quais se destacam:

  • Batalha de Pilsen (1618)
  • Batalha da Montanha Branca (1620)
  • Batalha de Fleurus (1622)
  • Batalha de Lutter am Barenberge (1626)
  • Batalha de Breitenfeld (1631)
  • Batalha de Rain (1632)
  • Batalha de Nördlingen (1634)
  • Batalha de Wittstock (1636)
  • Batalha de Rocroi (1643)
  • Batalha de Friburgo (1644)
  • Batalha de Jankau (1645)
  • Segunda Batalha de Nördlingen (1645)