Manifesto Regionalista

Márcia Fernandes

O Manifesto Regionalista de 1926 é um dentre os manifestos publicados na Primeira Fase do Modernismo no Brasil (1922-1930). Além dele merecem destaque:

  • Manifesto da Poesia Pau-Brasil (1924)
  • Manifesto Antropófago (1928)
  • Manifesto Nhenguaçu Verde-Amarelo (1929)

Características

Embora chamado de manifesto, este foi, na verdade, um conjunto de declarações que foram feitas pelo Grupo modernista-regionalista de Recife.

À semelhança de outros grupos, ele era formado por escritores em virtude das opiniões concordantes acerca da renovação cultural que estava sendo vivida no nosso país.

O grupo modernista-regionalista de Recife era liderado pelo destacado sociólogo pernambucano Gilberto Freyre (1900-1987).

Essas declarações foram apresentadas no "1.º Congresso Regionalista do Nordeste". Em suma, seu conteúdo, expressava a necessidade de restituir a cultura regional nordestina, e por esse motivo, o manifesto recebe esse nome.

Dessa valorização da cultura regional, surgem brilhantes nomes a partir de 1930. São eles: Graciliano Ramos, José Lins do Rego, José Américo de Almeida, Rachel de Queiroz, Jorge Amado, Érico Veríssimo e Marques Rebelo.

Em 1930, tem início a Segunda Fase do Modernismo no Brasil, a chamada Fase de Consolidação. Nesse momento, os modernistas alcançam grande êxito e se destacaram especialmente na poesia, bem como no romance.

Confira a obra na íntegra, fazendo o download do PDF aqui: Manifesto Regionalista.

Leia também:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.