Modernismo

Laura Aidar

O modernismo foi uma tendência artístico-cultural ocorrida na primeira metade do século XX.

Se manifestou em diversos campos das artes, como a pintura, escultura, arquitetura, literatura, dança e música.

No Brasil, a linguagem de maior destaque dentro do movimento modernista foi a literária e, assim como as demais, tinha como objetivo questionar e romper com tradições passadas.

Origem do modernismo e contexto histórico

O movimento moderno se iniciou na primeira década do século XX, a princípio na Europa, chegando posteriormente ao Brasil por volta dos anos 20.

Impulsionados por um contexto histórico bastante conturbado, no qual grandes transformações estavam em curso, os artistas e intelectuais modernos passaram a repensar a maneira de produzir arte e literatura, objetivando cada vez mais um pensamento crítico.

Assim, a história do modernismo acontece em um cenário de conquistas tecnológicas, progresso da indústria, aprofundamento do sistema capitalista e das desigualdades, bem como grandes eventos como a Primeira Guerra Mundial, a Revolução Russa e o surgimento de regimes totalitários.

Podemos dizer que a corrente modernista perdurou até os anos 50, após a Segunda Guerra Mundial.

Caraterísticas do modernismo

As características que podemos notar no modernismo de maneira geral estão relacionadas à ruptura com os modelos artísticos-literários vigentes e a busca por inovação.

Dessa forma, os modernistas passam a produzir obras transgressoras e com maior liberdade criativa, sem seguir necessariamente métricas e padrões.

Tanto na literatura como nas demais vertentes artísticas, podemos elencar como particularidades das obras modernistas:

  • Recusa aos moldes acadêmicos;
  • Liberdade criativa e de expressão;
  • Valorização da experimentação;
  • Busca pela aproximação da linguagem popular;
  • Espontaneidade e irreverência;
  • Quebra de formalismos;
  • Ironia e espírito cômico.

Modernismo no Brasil

No Brasil, o movimento modernista se consolidou com a Semana de Arte Moderna, ocorrida em 1922 no Theatro Municipal, em São Paulo. O evento contou com artistas de diversas áreas, com representantes da literatura, pintura, música e dança.

cartaz e catálogo da Semana de Arte Moderna de 22
Di Cavalcanti foi o artista que produziu o cartaz e o catálogo da Semana de Arte Moderna

A Semana de 22, como também é chamada, é considerada um marco da vertente no país, entretanto, obras com características modernas já estavam sendo produzidas anteriormente. O momento ficou conhecido como Primeira Fase do Modernismo brasileiro.

Antropofagia, quadro modernista de Tarsila do Amaral
Antropofagia (1929), de Tarsila do Amaral, é uma obra modernista

Os artistas buscavam inspiração na arte que acontecia na Europa (as chamadas vanguardas europeias) para produzir trabalhos com caráter inovador e ao mesmo tempo nacional.

Também é importante destacar que a realidade brasileira nesse período impulsionou o surgimento da arte e literatura moderna nacional. O contexto social por aqui era bastante delicado, com a grande insatisfação popular por conta da crescente alta dos preços, gerando manifestações e paralisações de trabalhadores.

Assim, a intelectualidade brasileira passa a criar trabalhos com o intuito de questionar os tradicionalismos e propor uma nova visão de mundo, baseada na valorização de temas cotidianos e nacionais.

Modernismo literário brasileiro

O modernismo literário foi uma vertente bastante forte no Brasil, sendo que a Segunda Fase modernista no país foi marcada pela produção da literatura, com destaque para a prosa e poesia.

Os escritores passam a usar as palavras de maneira mais flexível, abusando de versos livres, linguagem sarcástica e cômica e renúncia à métrica e à rima.

Alguns dos escritores de maior destaque no período são: Oswald de Andrade, Mario de Andrade, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Rachel de Queiroz.

A partir de 1945, surge um novo momento na literatura do país, com a Terceira Fase do Modernismo, na qual os escritores buscavam integrar novamente recursos formais com características intimistas, regionalistas e urbanas. Os representantes dessa fase são considerados também como “neoparnasianos”.

Modernismo nas artes

Nas artes visuais, a tendência também se deu de maneira significativa, sobretudo na Europa. Lá ocorreram as primeiras expressões modernas, e fazem parte delas:

  • Expressionismo;
  • Fauvismo;
  • Cubismo;
  • Abstracionismo;
  • Futurismo;
  • Dadaísmo;
  • Surrealismo;
  • Concretismo.
Les demoseilles D'Avignon, de Picasso, primeira obra cubista
Les Demoseilles D’Avignon (1907), de Picasso é considerado o primeiro quadro cubista

Todas essas vertentes tiveram em comum a busca pela inovação, seja através da arbitrariedade no uso das cores, a deformação e geometrização das formas, a abstração das figuras ou a busca pelo absurdo.

Essas foram as maneiras encontradas para expor e questionar o caráter ilógico e incoerente da sociedade naquele momento.

Você também pode se interessar:

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007 e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design, localizada em São Paulo, em 2010.