Oscar Niemeyer

Daniela Diana

Oscar Niemeyer foi um arquiteto brasileiro moderno e contemporâneo. Além de arquiteto renomado, ele fez esculturas, mobiliários, gravuras, desenhos e ainda escreveu livros.

É muito conhecido pelas obras que realizou em Brasília: o Palácio da Alvorada, o Congresso Nacional do Brasil, o Palácio do Planalto, o Supremo Tribunal Federal, o Panteão da Liberdade, a Catedral de Brasília e o Complexo Cultural da República João Herculino.

Oscar NiemeyerPrédio do Congresso Nacional em Brasília

Além disso, realizou obras em outros países e diversas exposições no Brasil e no mundo, com mais de 600 projetos. Seu estilo influenciou a arquitetura brasileira e mundial. Sobre sua obra ele aponta:

Nao é a linha reta, dura e inflexível, feita pelo homem, que me atrai. O que me chama a atenção é a curva livre e sensual. A curva que encontro nas montanhas do meu país, nas margens dos seus rios, nas nuvens do céu e nas ondas do mar. O universo está cheio de curvas, um universo de Einstein.”

Biografia

Oscar NiemeyerOscar Niemeyer em 1977

Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho nasceu em 15 de dezembro de 1907 no Rio de Janeiro. Estudou no Colégio Santo Antônio Maria Zaccaria.

Em 1928, com 21 anos, casou-se com Annita Baldo e com ela teve uma filha. No ano seguinte, iniciou seus estudos na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (atual UFRJ).

Concluiu o curso de Arquitetura em 1934 e logo foi trabalhar com um dos mais renomados arquitetos brasileiros: Lúcio Costa (1902-1998).

Ali conhece o arquiteto e urbanista suíço Le Corbusier (1887-1965). Em 1968 foi convidado por Lúcio Costa para participar de Feira Mundial de Nova York, nos Estados Unidos.

Em 1945 Oscar se integra ao Partido Comunista Brasileiro (PCB). Após dois anos, retorna à Nova York uma vez que foi indicado para participar do desenvolvimento do projeto da sede da ONU.

Em 1949 Oscar foi agraciado com o título de “Membro Honorário da Academia Americana de Artes e Ciências”.

Em 1954 viajou para a Europa com o intuito de participar de um projeto de reconstrução da cidade de Berlim, na Alemanha.

No mesmo ano, trabalhou na Venezuela no projeto do Museu de Arte Moderna de Caracas. Além disso ele ficou encarregado do projeto arquitetônico do Parque Ibirapuera, em São Paulo.

Um de seus projetos mais conhecidos no parque é o Auditório Ibirapuera, concebido pelo arquiteto em 1950 e inaugurado em 2005. O equipamento cultural possui 7 mil m2 de área construída e 4.870 m2 de área projetada.

Curioso notar que até 2014 era chamado somente de Auditório Ibirapuera. No entanto, para homenagear o arquiteto, o prefeito da cidade, Fernando Haddad, sancionou a Lei n.° 16.046, alterando o nome da construção para: Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer.

No Rio de Janeiro, Oscar fundou a Revista Módulo em 1955, que anos mais tarde foi banida pelo governo militar.

No final dos anos 50, Niemeyer foi convidado pelo presidente Juscelino Kubitschek a participar da construção da capital do Brasil: Brasília.

Por conta disso, ele foi nomeado Diretor do Departamento de Urbanismo e Arquitetura da Novacap. Após a construção de Brasília em 1960, trabalhou como coordenador da Escola de Arquitetura da Universidade de Brasília (UNB) de 1962 a 1965.

Em 1963 foi agraciado pelo "Prêmio Lênin da Paz", na URSS. No mesmo ano, foi nomeado membro honorário do American Institute of Architects (Instituto Americano de Arquitetos) nos Estados Unidos.

Após o golpe militar de 1964, viajou para Paris com o intuito de participar da exposição intitulada “Oscar Niemeyer, l’architecte de Brasília”, no Louvre.

Na capital francesa ele abriu um escritório nos Champs Elysées em 1972 e ali trabalhou cerca de 20 anos. Durante esse tempo, fez projetos e exposições na França, Itália, Argélia, etc.

Em 1988 recebeu o "Prêmio Pritzker de Arquitetura", em Chicago, nos Estados Unidos. No ano seguinte recebeu o "Prêmio Príncipe de Astúrias", na categoria Artes, da Fundação Principado de Astúrias, Espanha.

Nesse mesmo ano, Oscar foi nomeado membro honorário do Real Instituto dos Arquitetos Britânicos, na Inglaterra.

Em 1996 recebeu o "Prêmio Leão de Ouro da Bienal de Veneza", por ocasião da VI Mostra Internacional de Arquitetura.

Em 2001, Niemeyer foi agraciado com o título de Arquiteto do Século XX, do Conselho Superior do Instituto de Arquitetos do Brasil.

Em 2004, sua mulher Annita Baldo faleceu. Em 2005 recebeu o título de "Patrono da Arquitetura Brasileira", concedido pela Câmara dos Deputados de Brasília.

No ano seguinte, com 98 anos casa-se novamente com Vera Lúcia G. Niemeyer. Em 2012, falece sua única filha: Anna Maria Niemeyer. No mesmo ano, Oscar Niemeyer morreu em 5 de dezembro de 2012, com 104 anos.

Nas palavras do arquiteto:

Cem anos é uma bobagem, depois dos 70 a gente começa a se despedir dos amigos. O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela.”

Obras

Oscar NiemeyerMuseu de Arte Contemporânea (MAC), Niterói

Com uma obra influenciada por Le Corbusier, Niemeyer foi um grande artista sendo suas principais obras:

  • Edifício Gustavo Capanema (Rio de Janeiro)
  • Conjunto Arquitetônico da Pampulha (Belo Horizonte)
  • Sede da Organização das Nações Unidas (Nova York, Estados Unidos)
  • Parque Ibirapuera (São Paulo)
  • Edifício Copan (São Paulo)
  • Palácio da Alvorada (Brasília)
  • Congresso Nacional do Brasil (Brasília)
  • Catedral de Brasília
  • Sambódromo da Marquês de Sapucaí (Rio de Janeiro)
  • Memorial da América Latina (São Paulo)
  • Museu Oscar Niemeyer (Curitiba)
  • Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC)
  • Museu do Cinema (Niterói)
  • Monumento Eldorado Memória (Pará)
  • Cidade Administrativa de Minas Gerais
  • Centro Cultural Oscar Niemeyer - CCON (Goiânia)
  • Museu de Arte Moderna de Caracas (Venezuela)
  • Centro Cultural Principado de Astúrias (Avilés, Astúrias, Espanha)
  • Parque da Boa Viagem (Recife)
  • Memorial João Goulart (Brasília)
  • Memorial dos Presidentes (Brasília)
  • Universidade de Ciências e Informática (Havana, Cuba)
  • Torre Digital de Brasília
  • Praça em Astana (Cazaquistão)

Caminho Niemeyer

Oscar NiemeyerTeatro Popular Oscar Niemeyer, inaugurado em 2007, faz parte do Caminho Niemeyer em Niterói

Em 2002 foi inaugurado o projeto em Niterói chamado de "Caminho Niemeyer". Trata-se do segundo maior conjunto arquitetônico projetado por Niemeyer, depois de Brasília.

Com 11 Km de extensão na orla da praia (do centro à zona sul), o complexo cultural abriga:

  • Fundação Oscar Niemeyer
  • Memorial Roberto Silveira
  • Teatro Popular de Niterói
  • Praça Juscelino Kubitschek
  • Centro Petrobras de Cinema
  • Museu de Arte Contemporânea (MAC)
  • Estação das Barcas de Charitas

Bibliografia

Além de livros técnicos sobre arquitetura, Niemeyer escreveu romances, contos, crônicas e biografias. Confira abaixo algumas de suas principais obras:

  • Minha Experiência em Brasília (1961)
  • A Forma na Arquitetura (1978)
  • Rio - De província a metrópole (1980)
  • Conversa de Arquiteto (1993)
  • Museu de Arte Contemporânea de Niterói (1997)
  • As Curvas do Tempo - Memórias (1998)
  • Conversa de Amigos (2002)
  • E Agora? (2003)
  • Casas Onde Morei (2005)
  • Minha Arquitetura (2005)
  • Sem Rodeios (2006)
  • O Ser e a Vida (2007)
  • Universidade de Constantine: Universidade dos Sonhos (2007)
  • Crônicas (2008)
  • ? (2004)

Frases

  • A vida nos leva pra onde ela quer. Cada um vem, escreve sua historinha e vai embora. Não vejo segredo em levar a vida.”
  • Eu não dou a menor importância a dinheiro. Nem à própria vida. A vida é um sopro, um minuto. A gente nasce, morre. O ser humano é um ser completamente abandonado...
  • Meu trabalho não tem importância, nem a arquitetura tem importância pra mim. Para mim o importante é a vida, a gente se abraçar, conhecer as pessoas, haver solidariedade, pensar num mundo melhor, o resto é conversa fiada.”
  • Não entendo quem tem medo dos vãos livres. O espaço faz parte da arquitetura.”
  • A gente tem é que sonhar, senão as coisas não acontecem.”

Quer saber mais sobre a Arquitetura? Leia os artigos:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.