Pedro Álvares Cabral

Pedro Álvares Cabral foi um navegador e explorador português responsável por encontrar, em 1500, as terras pertencentes ao Brasil.

Nasceu em 1467 no Castelo de Belmonte, na Beira Baixa, em Portugal. Sua família, os Cabrais, era uma família nobre portuguesa, antiga e abastada.

Os Cabrais eram da linhagem de Carano, o lendário primeiro rei da Macedônia que, por sua vez, era descendente do semideus grego Hércules.

O brasão de armas dos Cabrais é representado com duas cabras roxas - das quais se origina o nome de família, em um campo de prata. O roxo significa fidelidade e as cabras, humildade.

Retrato de Pedro Álvares Cabral
Retrato de Pedro Álvares Cabral

Ainda jovem, Cabral foi levado para residir na província interior. Ali recebeu boa educação, estudando temas como ciências humanas e táticas armadas, sob a tutela dos mestres da corte de Afonso V.

Sua ascensão começou quando, aos 16 anos, D. João II o nomeou fidalgo. Foi também comandante militar, navegador e explorador português, provavelmente o primeiro europeu no Brasil.

Adquiriu grande experiência em navegação e diplomacia. Mas, após realizar seus maiores feitos, irá declinar na preferência do rei em favor de Vasco da Gama, momento em que se aposenta da vida pública.

Pedro Álvares Cabral foi casado com D. Isabel de Castro, e morreu em 1520 em Santarém, onde viveu durante seus últimos anos. A causa da sua morte não é conhecida.

Os feitos de Cabral ficaram no esquecimento por séculos. Após a Independência do Brasil, no século XIX, suas proezas foram reafirmadas pelo próprio Imperador Pedro II do Brasil, um erudito e estudioso dos temas de História.

Sobre isso, vale lembrar que os historiadores divergem se Cabral realmente descobriu o Brasil propositalmente ou acidentalmente, como indicam os registros.

Principais feitos de Pedro Álvares Cabral

Como Vasco da Gama fora bem-sucedido em chegar às Índias, em 1498, ficou clara a possibilidade de lucros explorando a nova rota comercial para o oriente.

Assim, Pedro Álvares Cabral é encarregado pelo rei D.Manuel I de Portugal para comandar a segunda expedição para às Índias, no ano de 1500. Com 33 anos, uma grande esquadra composta por 13 naus e mais de mil homens, Cabral iniciou sua viagem.

Alguns anos antes, Cristóvão Colombo já havia chegado no continente americano, mais precisamente em 1492.

A expedição de Cabral chegou em Calecute em 15 de setembro, onde foram recebidos a ferro e fogo pelos hindus.

Rota de Pedro Álvares Cabral
Rota de Pedro Álvares Cabral

Os locais foram derrotados e subjugados, mas ao custo de várias embarcações, dentre os quais a de Bartolomeu Dias. Bartolomeu Dias foi outra figura de destaque deste período, por ter naufragado perto do Cabo da Boa Esperança, sobrevivido e atravessado o continente até retornar aos domínios portugueses.

Entretanto, mesmo com todos os prejuízos de vidas humanas e navios, a missão de Cabral foi considerada um sucesso. Isso se deveu aos lucros que a precederam, referentes à nova rota comercial das especiarias.

O objetivo desta empreitada era romper o monopólio dos italianos e árabes pelas lucrativas especiarias. Ao mesmo tempo, era formar e consolidar relações comerciais e diplomáticas na Índia.

Descobrimento do Brasil

Sob a indicação de Vasco da Gama, Cabral tentou contornar o Cabo da Boa Esperança, mas realizou o famoso desvio para sudoeste que os estudiosos tanto discutem. Assim, no dia 22 de abril de 1500, chegou à costa brasileira. Esse evento ficou registrado como a "descoberta" do Brasil.

O território foi denominado à primeira vista de Monte Pascoal, devido às formações do relevo que surgiram nas proximidades da costa da Bahia.

Os portugueses não atribuíram muito valor ao território descoberto, pois tinham outro foco, já que buscavam naquele momento uma rota comercial viável para o Oriente.

Vale destacar que o novo território se encontrava dentro dos limites portugueses do Tratado de Tordesilhas, o que permitiu à Coroa Portuguesa reivindicar aquelas terras.

No ano em que chegou ao Brasil, Cabral ordenou o envio imediato de um navio comandado pelo melhor navegador da esquadra para Portugal, para levar ao Rei as novas da descoberta.

Leia também:

Atualizado em